Cem mil euros para auxiliar em ações concretas

Lisboa, 17 Jun 2020 (ECCLESIA) – A Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau (APARF) criou um fundo de solidariedade de cem mil Euros para ajudar as vítimas da pandemia.

A APARF tem como missão “lutar contra a lepra e outras causas de marginalização social” e a “pandemia da COVID-19 veio agudizar as dificuldades das comunidades que esta associação “apoia e acompanha atenta e regularmente”, lê-se num comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

Assim, e fiel à sua missão, a APARF, criou um fundo de 100.000,00€ (cem mil euros) que visa “à cooperação com outras Instituições, publicamente reconhecidas como credíveis, para ajudar a minimizar estes efeitos”.

As candidaturas não podem “ultrapassar 5% do valor global e deverão ser apresentadas com pedido fundamentado”, realça o comunicado.

Os apoios vão ser geridos pelas instituições promotoras de acordo com as necessidades das famílias identificadas, traduzindo-se “em ações concretas como a distribuição de alimentação (refeições sociais e/ou cabazes), compra de medicamentos, pagamento de serviços básicos (água, gás, electricidade, etc…)”, acrescenta a nota.

Deste modo pretende-se apoiar as pessoas que, estando desempregadas ou com redução de rendimentos, se encontram “em grandes dificuldades, provocadas pelo estado de emergência devido à epidemia da COVID-19, em adquirir bens e serviços básicos”.

Em Portugal as consequências da COVID-19 são “aterradoras com surtos de pobreza, fome e marginalização social que não podem ser ignoradas pela Associação”.

A APARF – Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau, foi fundada em 1987, é uma IPSS, sem fins lucrativos, reconhecida oficialmente de utilidade pública.

LFS

Partilhar:
Share