Rita Figueiras, docente da UCP, sublinha impacto de nova cultura, que rejeita pagar pela informação

Lisboa, 25 set 2020 (Ecclesia) – Rita Figueiras, professora da Universidade Católica Portuguesa (UCP) e investigadora na área da comunicação, destacou a importância da imprensa regional para complementar uma comunicação generalista que tende a “centrar-se em Lisboa”.

“A imprensa regional é muito importante como complemento, porque tem a capacidade de falar para o local a partir do local”, assinala a entrevistada na edição de hoje nas ‘Conversas Originais’, um projeto da Agência ECCLESIA que decorre ao longo do mês de setembro.

A especialista destaca o conhecimento do terreno e as questões da população, por parte da imprensa regional, que permitem uma melhor presentação da realidade.

“Também queremos saber o que está a acontecer perto de nós”, assinalou.

Rita Figueiras destaca que a imprensa regional tem tido “muita dificuldade em sobreviver”, nos últimos anos, face à quebra do investimento publicitário, pelo que se exige “criatividade e imaginação” para repensar modelos, que possam ser viáveis e garantir a sobrevivência destas publicações.

Uma das questões identificadas é a falta de assinantes, face à “cada vez menor disponibilidade das pessoas de pagar para obter informação”.

“A internet estabeleceu o modelo de irmos a uma loja, pegarmos numa camisola e sair. Isso choca-nos, mas no limite é isto que se faz com a informação. Instituiu-se uma cultura que leva a questionar para quê pagar, se posso ter grátis”, indica a investigadora da UCP.

“A gratuidade e a circulação são uma combinação explosiva” que tornou muito difícil a sobrevivência do modelo de negócio da informação, acrescenta.

Rita Figueiras é a convidada desta sexta-feira das ‘Conversas Originais – das palavras à ação’, transmitidas e publicadas online, às 17h00, e do programa Ecclesia, na rádio Antena 1, pelas 22h45.

LS/OC

Partilhar:
Share