Caminho de sete anos convida a propostas de adoção de «estilos de vida saudáveis»

Lisboa, 08 jul 2021 (Ecclesia) – Teresa Paiva Couceiro, diretora executiva da Fundação Gonçalo da Silveira (FGS) afirmou que a proposta apresentada pelo Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral da Plataforma «Laudato Si» é “exequível em âmbito escolar”.

“Vejo que esta proposta é exequível em âmbito escolar. A linguagem é cristã mas se percebermos o conteúdo não é mais do que respeito pelos direitos humanos, pela biodiversidade, cuidado no uso dos recursos. A espiritualidade é uma possibilidade para sermos melhores pessoas na relação com o outro, com os bens, com a natureza”, explicou à Agência ECCLESIA a responsável pela organização não-governamental para o desenvolvimento fundada pela Província Portuguesa da Companhia de Jesus.

A Plataforma «Laudato Si» foi lançada no final de maio, marcando o encerramento do Ano especial «Laudato Si», convocado pelo Papa Francisco, com propostas de “estilo de vida sustentável”, com sete objetivos: Resposta ao Clamor da Terra; Resposta ao Clamor dos Pobres; Economia Ecológica; Adoção de Estilos de Vida Sustentáveis; Educação Ecológica; Espiritualidade Ecológica; Envolvimento da comunidade e Ação participativa.

Teresa Paiva Couceiro saúda a visão que incide sobre a “espiritualidade ecológica”.

“O Papa reconhece que é uma linguagem de todos para todos, uma humanidade que sofre, que tem de se redescobrir e perceber como deve atuar em harmonia com a natureza. Ao mesmo tempo, chama a atenção para as pessoas que têm uma obrigação diferente: moral, espiritual, em que dissemos «Sim», pelo batismo se assumiu uma prática”, considera, acrescentando que Francisco é “um facilitador de diálogo muito grande e com várias linguagens”.

A responsável pela FGS sustenta que o modelo de educação deve ter em conta “um ecossistema” particular de cada ambiente escolar, ao invés de “propor um modelo igual para todas as escolas”.

“A ecologia integral pede-nos um diálogo entre os vários intervenientes: Obriga a olhar ao todo, não apenas ao ambiente: à cultura, ao social, à economia, à pessoa. Pensar uma educação ecológica faz todo o sentido ao olhar para a escola e ao propor projetos a desenvolver”, explica.

Teresa Paiva Couceiro fala em sete anos para “trabalhar e a construir algo que fica para a vida”.

“O Papa fala na não obsessão pelo ter e convida à alegria de uma vida mais contemplativa que passa pelo ser e pelo uso das coisas na medida em que servem a minha necessidade e não nos coloca ao serviço das coisas”, afirma.

As «Conversas na Ecclesia» desta semana, de segunda a sexta-feira, às 17h00 no site ECCLESIA e às 22h45 no programa de rádio da Antena 1, abordam o memorando ‘Eco Igrejas Portugal’ e os objetivos da Plataforma «Laudato Si», a partir da realidade da ONGD Fundação Gonçalo da Silveira.

LS

Partilhar:
Share