Presidente da Cáritas Portuguesa elogia capacidade de encontrar caminhos de proximidade em tempos de crise

Cáritas Portuguesa.
Foto: Noelle Georg

Lisboa, 13 abr 2021 (Ecclesia) – Rita Valadas, presidente da Cáritas Portuguesa, disse à Agência ECCLESIA que o tempo de pandemia foi também de “criatividade em bondade”, criando dinâmicas para superar a crise sanitária e social.

“Encontraram-se caminhos que nos tornam próximos, com toda esta distância, porque efetivamente há uma grande diferença entre solidão e isolamento. Vivemos em isolamento, mas não temos de viver em solidão, e essas lições são dadas por quem já passou por isso”, destacou, em entrevista que é emitida hoje na Antena 1 da rádio pública.

A responsável destaca a alegria dos mais velhos, apesar das restrições, que “confortam os mais novos”, por força da sua experiência e da sua maturidade.

“Podemos encontrar alegria, apesar de toda a desgraça que nós vivemos e com que nos confrontamos, é uma lição de vida absolutamente incrível”, indica.

Os mais velhos, acrescenta Rita Valadas, souberam renascer, depois de uma “fase de revolta, de indignação, de incompreensão”.

“A única diferença que há entre vocês e nós, diziam-me no outro dia, é que vocês têm razões para ter mais medo”, acrescenta.

A responsável falava a respeito da celebração da festa da Divina Misericórdia, que a Igreja Católica celebrou este domingo, o segundo do tempo litúrgico da Páscoa.

OC

Partilhar:
Share