Juan Ambrósio, teólogo, e Ricardo Perna, jornalista, projetam desconfinamento à luz dos ensinamentos de Francisco

Lisboa, 25 jun 2020 (Ecclesia) – Juan Ambrósio, professor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa (UCP), disse à Agência ECCLESIA que a liderança do Papa Francisco durante a pandemia desafiou a “viver de outro modo”, numa “dinâmica do dom” e de “gerar vida”.

“Esse devia ser um dos grandes critérios do desconfinamento”, referiu o especialista, convidado da edição desta quinta-feira das ‘Conversas na Ecclesia’, dedicada à atividade de Francisco e da Santa Sé.

Para o convidado, depois da “surpresa” da Covid-19, é preciso “introduzir alterações” nos estilos de vida.

“Seria uma oportunidade perdida se o voltar à normalidade for regressar ao ponto em que a interrompemos”, adverte.

Juan Ambrósio considera que é necessário usar este tempo para “recriar e reconfigurar” a sociedade e construir um futuro diferente, em diálogo com todos.

O docente de Teologia cita o n.º2 da ‘Evangelii Gaudium’ para apelar a uma mudança de discurso, que se preocupe com “deveres” e não apenas “direitos”: “O grande risco do mundo atual, com sua múltipla e avassaladora oferta de consumo, é uma tristeza individualista que brota do coração comodista e mesquinho, da busca desordenada de prazeres superficiais, da consciência isolada”.

Ricardo Perna, jornalista da ‘Família Cristã’, fala num “diagnóstico claro” que exige mudanças.

“Temos uma oportunidade para reaprender e fazer de novo”, aponta.

Para o jornalista, as propostas da Laudato Si’ são um “projeto de vida”, do plano individual às decisões internacionais.

“A nossa vida tem de mudar para sermos mais humanidade”, sustenta.

O convidado elogiou, a respeito da atual pandemia, a postura de “bom senso e de contenção” da Igreja Católica em Portugal e a gestão da crise, por parte do Papa, que o tornou uma “referência” para a possibilidade de recomeço.

OC

Partilhar:
Share