D. João Lavrador, Isabel Figueiredo e Anabela Sousa dialogam sobre o “barco da comunicação” no futuro próximo

Lisboa, 26 mai 2020 (Ecclesia) – O presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais disse à Agência ECCLESIA que não basta comunicar no ambiente digital como numa assembleia, um setor onde é necessário “estar em conjunto”.

“Na comunicação social ou estamos em conjunto ou não está ninguém”, afirmou D. João Lavrador na edição desta terça-feira das “Conversas na Ecclesia”, com a participação também de Isabel Figueiredo, diretora do Secretariado Nacional das Comunicações Socais, e Anabela Sousa, diretora de Comunicação na Diocese de Setúbal.

Para o presidente da Comissão Episcopal que coordena o setor dos media na Conferência Episcopal Portuguesa, é necessário construir “uma rede articulada” de comunicação.

“O valor da comunicação social está na rede, em criar as sinergias”, disse D. João Lavrador, acrescentando que é necessário formar os comunicadores, porque não serve “fazer tudo na mesma” e celebrar para as câmaras como se celebra para uma assembleia.

“Temos de nos preparar para a forma de estar no digital. Precisamos de aprender”, afirmou.

O bispo de Angra referiu-se também à utilidade dos meios digitais para a formação, seja a nível geral, e até “superior”, colocando à disposição de todos a formação à distancia “com o mesmo nível de habilitações”.

Para D. João Lavrador, a experiência de celebração no ambiente digital não vai “substituir” os encontros presenciais, antes os “integra” e “vai potenciar” a celebração presencial.

Isabel Figueiredo considera que “se já era grande a responsabilidade da comunicação social da Igreja, ela agora é maior”.

“O desafio maior é continuar o caminho da partilha. Só conseguiremos andar para a frente se nos habituarmos a uma partilha regular do que fazemos, sem deixar cartas na manga, coisas escondidas”, sublinhou.

Para a diretora do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais, o caminho é o da partilha, sem que cada um esteja preocupado em “marcar mais pontos”, antes em fazer do trabalho de todos o melhor.

Anabela Sousa reafirmou a necessidade da “partilha de experiências” e de “conhecimentos” para que o “trabalho de conjunto dentro da Igreja seja uno”.

“Se conseguirmos comunicar dentro da Igreja e para os nossos, vamos conseguir chegar com força fora”, afirmou.

As conversas na Ecclesia são publicadas diariamente no portal da Agência ECCLESIA, em texto e vídeo, de segunda a sexta-feira, começando com diálogos com jovens (Momentos F5), seguindo depois com temas sociais (“Ninguém se salva sozinho”), de novas formas de comunicação e celebração (“Ligados em Casa”), a “Semana do Papa” e propostas culturais, à sexta-feira, numa conversa em torno dos “Cinco Sentidos”.

PR

Partilhar:
Share