Revista «Fátima Missionária» publica, desde janeiro de 1955, artigos e fotografias que ilustram o viver dos missionários em locais onde mais ninguém chega

Foto: Agência ECCLESIA/MC

Lisboa, 18 mai 2021 (Ecclesia) – O padre Bernard Obiero, diretor da revista «Fátima Missionária», disse que enquanto missionários da Consolata espalhados pelo mundo e conhecedores de “diversas realidades”, têm a capacidade de constituir uma rede onde muitos meios de comunicação social não chegam.

“Como temos missões em locais diferentes, nos vários continentes, isso possibilita a possibilidade de saber o que acontece em África, na Ásia, na América Latina, a realidade em geral, porque temos vários missionários que conhecem essas realidades, trabalham nelas realidades e são também os nossos correspondentes”, explica o missionário da Consolata, natural do Quénia, à Agência ECCLESIA.

O conselheiro regional e responsável pela província europeia dos Missionários da Consolata admite que “gastar as solas dos sapatos, como desafia o Papa”, vai ao encontro da missão da congregação.

“Faz parte da nossa missão e acho que é muito interessante a mensagem do Papa (para o 55º Dia Mundial das Comunicações Sociais), quando ele diz que devemos gastar as solas dos sapatos, pois essa é uma experiência muito missionária. Como missionários essa é a nossa tarefa”, apresenta.

O padre Bernard Obiero dá conta que os missionários, espalhados nas missões, “são os correspondentes” da revista «Fátima Missionária», que escrevem e fotografam os que veem, “vivem e acompanham” para “contar aos que estão longe”.

“Quando o Papa diz que os jornalistas não devem ficar nos computadores, trabalhando a partir da redação, copiando e fazendo o jornalismo de fotocópia, essa é a mensagem que procuramos transmitir. Nem sempre é fácil, para comunicar bem é necessário preparação, mas o essencial é tentar fazer estes contactos, cheirar as fontes, ir ao encontro delas, como estar na missão e a partir disso, fazer notícias”, indica.

A revista «Fátima missionária», propriedade da delegação Portuguesa do Instituto Missionário da Consolata, publicou a sua primeira edição em janeiro de 1955.

O padre Bernard Obiero, natural do Quénia a residir em Portugal, onde desempenha funções na província europeia na congregação, recorda que a sua primeira vocação não era a jornalística mas missionária.

“No início não pensava ser jornalista, mas como missionários temos de estar preparados para tudo. Um missionário é um faz-tudo. Fiz estudos de jornalismo, preparei-me neste âmbito e quando surgiu esta necessidade, contribuí tal como todos os missionários em diferentes locais”, regista.

A partir da mensagem do Papa Francisco para o 55º Dia Mundial das Comunicações Sociais, «Vem e Verás», as «Conversas na Ecclesia» desta semana vão destacar histórias de jornalistas que «gastam as solas dos sapatos» indo ao encontro das notícias onde elas acontecem e onde as pessoas as podem contar na primeira pessoa, às 17h na Agência ECCLESIA e às 22h45 na Antena 1.

PR/LS

Partilhar:
Share