Pará é o estado brasileiro onde existem mais localidades com o mesmo nome de Portugal

Foto Agência ECCLESIA, Jovens da Arquidiocese de Belém do Pará

Paulo Rocha, enviado da Agência ECCLESIA ao Brasil

Belém, Brasil, 11 set 2022 (Ecclesia) – O coordenador da Pastoral Juvenil na Arquidiocese de Belém do Pará, no Brasil, afirmou que é necessário resgatar o “vínculo histórico” entre cidades homónimas portuguesas e brasileiras, criando formas de cooperação no âmbito da próxima Jornada Mundial da Juventude.

“Há um vínculo sem dúvida histórico com Portugal. Seria muito interessante se nós resgatássemos esse vínculo afetivo e também de corresponsabilidade para a participação na Jornada Mundial da Juventude”, afirmou D. António Assis à Agência ECCLESIA.

O bispo auxiliar de Belém lembrou que o Estado do Pará “é o que tem maior número de cidades homónimas” em Portugal, quase 30, como Ourém, Alenquer, Óbidos, Bragança, Santarém.

Foto Agência ECCLESIA/PR, D. António Assis, bispo auxiliar de Belém do Pará

D. António Assis é natural de Ourém, no Pará, onde já esteve o presidente da Câmara Municipal de Ourém, de Portugal, para estabelecer uma parceria.

“Seria muito interessante se as cidades homónimas pudessem acolher jovens aqui do Estado do Pará”, indicou, acrescentando que se trada de um Estado da Amazónia, onde se vivem grandes desafios, nomeadamente a ecologia e o combate à pobreza.

D. Américo Aguiar, presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, que se encontra no Brasil para apresentar a jornada de Portugal e motivar os jovens brasileiros a participarem, fala de uma “feliz oportunidade” e desafia as cidades homónimas a acolherem, por exemplo, os Dias nas Dioceses, na semana anterior aos encontros de todos os jovens, em Lisboa.

“Quando o bispo auxiliar António Assis me falou da feliz oportunidade desses nomes, comecei a pensar em dirigir o desafio e o convite aos senhores presidentes de câmara destes municípios – e quem diz estes, diz outros – para que possam ajudar a que seja mais leve o encargo económico-financeiro destes jovens brasileiros que muito gostariam de ir a Portugal e assim poderiam fazer os Dias nas Dioceses nas terras que deram nome às suas terras aqui no Brasil”, afirmou D. Américo Aguiar.

Para D. António Assis, a “ideia de colaboração entre as cidades poderia até favorecer experiências de voluntariado, futuramente”.

O bispo responsável pela Pastoral Juvenil na Arquidiocese de Belém do Pará disse que a visita do presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 e da delegação do Comité Organizador Local (COL) a Belém provocou um “afervoramento ainda maior” e incentivou congregações, institutos e pastorais que trabalham com a juventude a criar formas de ultrapassar o “grande desafio” dos custos para participar na próxima jornada.

“Eu, enquanto assessor e bispo referencial para a juventude quero incentivar que vá comigo um grupo de líderes para fazermos uma experiência não só da jornada, mas uma experiência extraordinária de formação”, afirmou

A delegação do COL participou na Assembleia da CNBB e encontrou-se com lideranças da pastoral juvenil das principais regiões do Brasil.

PR

Partilhar:
Share