Celebração deverá acontecer no 475º aniversário da criação da Diocese e D. José Cordeiro pede que a Semana Santa seja vivida «na medida da efetiva contingência»

Bragança, 21 mar 2020 (Ecclesia) – A Diocese de Bragança-Miranda adiou para maio o encontro de todo o clero, que acontece em cada ano na Semana Santa, para o dia em que se assinala o 475º aniversário da criação da Diocese, “segundo a real possibilidade”.

De acordo com um comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA pelo Secretariado das Comunicações Sociais da Diocese de Bragança-Miranda, o encontro do clero com o bispo diocesano, que acontece na celebração da Missa Crismal celebrada  na manhã de Quinta-feira Santa, muda para o dia 22 de maio.

Em relação às restantes celebrações da Semana Santa, nomeadamente o Tríduo Pascal e o Domingo de Páscoa, a Diocese de Bragança-Miranda segue o decreto da Congregação do Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos as indicações do comunicado da Conferência Episcopal Portuguesa.

“A celebração do Tríduo Pascal, sem a participação física da comunidade, ocorra no cumprimento das deliberações das autoridades civis e de saúde e na medida da efetiva contingência. Na igreja Catedral e nas igrejas paroquiais das Unidades Pastorais, mesmo sem a participação física da comunidade, celebrem-se os mistérios litúrgicos do Tríduo Pascal, avisando os fiéis da hora de início de modo a que se possam unir em oração nas respetivas casas. Neste caso serão uma boa ajuda os meios de comunicação telemática em direto, não gravada”, destaca o comunicado da Diocese de Bragança-Miranda.

O documento do Secretariado das Comunicações Sociais da Diocese de Bragança-Miranda indica que vai ser assegurada a transmissão da Missa de Domingo de Ramos na Paixão do Senhor, 5 de abril, pelas 11h.

Durante o Triduo Pascal estão igualmente previstas as celebrações Missa vespertina da Ceia do Senhor (sem lava-pés), no dia 9 de abril, às 21h; no dia 10 de abril, o Ofício de Leituras e Laudes, às 9.30h, e a Celebração da Paixão do Senhor e Adoração da Cruz, às 15h.

No dia 11, sábado, será transmitido o Ofício de Leituras e Laudes às 9h30 e a Vigília Pascal terá início às 21h.

No Domingo de Páscoa, a Diocese de Bragança-Miranda transmite a Eucaristia da ressurreição do Senhor às 18h.

Sobre a Quinta-Feira Santa, D. José Cordeiro afirma a possibilidade de os padres “concelebrarem” a Missa da Ceia do Senhor, “na medida da efetiva contingência”: “concede-se a título excecional a todos os Presbíteros a faculdade de celebrar neste dia, em lugar adequado, a Missa sem a comunidade”, afirma, destacando a “omissão do lava-pés”.

“No termo da Missa na Ceia do Senhor omite-se a procissão e o Santíssimo Sacramento guarda-se no Sacrário”, destaca.

Na Sexta-feira Santa, celebra-se a Paixão do Senhor, na medida da efetiva contingência, sublinha.

“Na oração universal faça-se uma intenção especial pelos doentes, pelos defuntos e pelos doridos que sofreram alguma perda”, sugere.

Para a celebração do Domingo de Páscoa, a Diocese de Bragança-Miranda afirma que a celebração da Vigília Pascal se realiza “na igreja catedral e igrejas paroquiais das Unidades Pastorais, na medida da real possibilidade”.

“Para o ‘início da vigília ou Lucernário’ omite-se o acender do fogo, acende-se o círio e, omitindo a procissão, segue-se o Precónio Pascal (Exsultet). Segue-se a ‘Liturgia da Palavra’ e  a ‘Liturgia batismal’ onde apenas se renovam as promessas batismais”.

Pede o bispo que o Tríduo Pascal seja celebrado “onde possível, nas comunidades religiosas”, devendo os seminaristas e pré-seminaristas permanecer na sua família.

“Aqueles que não podem de modo nenhum unir-se ao Tríduo Pascal celebrado na igreja Catedral e igrejas paroquiais das Unidades Pastorais, rezam a Liturgia das Horas ou outras propostas litúrgicas e espirituais a divulgar para a oração familiar e pessoal”, indica.

LS

Semana Santa: Conferência Episcopal assume indicações do Vaticano, com suspensão de celebrações comunitárias

Partilhar:
Share