Responsável católico assume sonho de proclamação do novo santo como Doutor da Igreja

Foto: Agência Ecclesia/LFS – Relicário com o osso da vértebra de São Bartolomeu dos Mártires

Bragança, 08 nov 2019 (Ecclesia) – O bispo de Bragança-Miranda saudou a canonização de Frei Bartolomeu dos Mártires, que se celebra este domingo, em Braga, assumindo o sonho da proclamação do “arcebispo santo” como doutor da Igreja Católica.

Numa nota enviada hoje à Agência ECCLESIA, D. José Cordeiro recorda o trabalho levado a cabo por Mons. José de Castro (1886-1966), presbítero de Bragança-Miranda, a respeito do novo santo.

“Mons. José de Castro expressou em 1945 o sonho da canonização de Bartolomeu dos Mártires e da proclamação como Doutor da Igreja”, recorda o prelado.

Que bem ver o nome Bartolomeu dos Mártires inscrito no álbum dos Santos e porque não no elenco dos Santos Doutores da Igreja! S. Bartolomeu dos Mártires, intercedei por nós!”.

Frei Bartolomeu dos Mártires, de seu nome Bartolomeu Fernandes, nasceu em Lisboa a 3 de maio de 1514; foi arcebispo de Braga numa ocasião em que a arquidiocese incluía os territórios das dioceses de Braga, Bragança (Arciprestado de Moncorvo, que pertenceu a Braga atá 1881), Vila Real e Viana do Castelo.

O novo santo destacou-se pela sua missão pastoral à frente das comunidades católicas do Minho e de Trás-os-Montes, com especial relevo para o seu gosto pelas visitas pastorais às populações, a que dedicava grande parte do seu tempo.

Em Vila Real, a catedral diocesano acolhe uma Novena a S. Bartolomeu dos Mártires, preparando a canonização com este momento de oração.

O arcebispo português, que se afirmou como uma das vozes de referência no Concílio de Trento (1543 – 1563), foi declarado venerável a 23 de março de 1845, pelo Papa Gregório XVI, e beatificado a 4 de novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II.

Ao longo do seu percurso, D. Frei Bartolomeu dos Mártires ficou conhecido pela sua preocupação com a estruturação da Igreja Católica local, do clero às comunidades católicas, e pelo seu empenho nas causas sociais, de modo particular junto dos mais pobres e doentes.

Depois de resignar em 1582, por motivos de idade, Frei Bartolomeu dos Mártires viria a falecer em 1590, no Convento de Santa Cruz, em Viana do Castelo.

OC

Bragança-Miranda: Bispo intercede ao novo santo Frei Bartolomeu dos Mártires

Partilhar:
Share