Religioso foi fuzilado durante Guerra Civil de Espanha

Braga, 22 abr 2013 (Ecclesia) – O religioso português Mário Félix, fuzilado durante a Guerra Civil de Espanha, vai ser beatificado em outubro, revela a página da Arquidiocese de Braga, onde nasceu.

O novo beato, que pertenceu aos Irmãos das Escolas Cristãs, conhecidos por religiosos de La Salle, “é um dos vários fiéis martirizados na perseguição religiosa que teve lugar entre 1934 e 1939”, refere a mesma fonte, acrescentando que a beatificação vai ocorrer, “tudo indica”, em Tarragona, Espanha.

Manuel José de Sousa nasceu em Santa Marta de Bouro, Arciprestado de Amares, a 27 de dezembro de 1860, tendo sido morto em Griñon, a 30 km de Madrid, refere a obra ‘Venerável Manuel José de Sousa – Irmão Mário Félix – Um mártir da guerra civil espanhola’, citada pelo site da arquidiocese bracarense.

Em criança emigrou para o Brasil, onde trabalhou numa empresa de confeções do Rio de Janeiro pertencente a um tio, acrescenta a biografia assinada pelo cónego Narciso Fernandes e publicada em 2003.

Durante a permanência na cidade estabeleceu contactos com cristãos protestantes, que lhe despertaram o interesse pela leitura da Bíblia, e mais tarde manteve contactos com padres jesuítas, relação que o conduziu ao catolicismo.

De regresso a Portugal fixou-se em Lisboa com um tecelão e a 14 de junho de 1888, aos 28 anos, entrou no Instituto de La Salle, tendo passado por várias casas da congregação até chegar à comunidade de Griñon.

Pelas 13h00 de 28 de julho de 1936 “centenas de revolucionários invadiram o convento onde restavam poucos religiosos (a maioria tinha saído de véspera) e os jovens noviços”, recorda a página da arquidiocese.

“Depois de destruírem os símbolos religiosos da instituição separaram os religiosos dos noviços, estes últimos poupados ao martírio. No exterior, os religiosos foram alinhados e foram executados”, lê-se.

O reconhecimento do martírio dos religiosos foi determinado a 19 de dezembro de 2011 pelo Papa emérito Bento XVI, na sequência de uma audiência ao prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, cardeal Angel Amato.

O irmão Mário Félix junta-se aos beatos Bartolomeu dos Mártires e Alexandrina de Balasar, ambos ligados à arquidiocese bracarense.

RJM

Partilhar:
Share