Responsável escreve mensagem de boas-vindas ao seu sucessor, D. José Cordeiro

Foto: Agência ECCLESIA/LFS

Braga, 03 dez 2021 (Ecclesia) – D. Jorge Ortiga encerrou hoje a sua missão como arcebispo de Braga, após 22 anos, no dia em que o Papa aceitou a sua renúncia ao cargo, elogiando a comunidade católica local, que apresenta ao seu sucessor como “motivada e empenhada”.

“De coração cheio e alegre pela nomeação do Santo Padre de D. José Cordeiro para arcebispo de Braga, sinto-me no dever de, em nome de todo o povo cristão, lhe dar as boas-vindas a esta vetusta arquidiocese”, escreve, na saudação ao novo responsável pela arquidiocese minhota, até agora bispo de Bragança-Miranda.

D. Jorge Ortiga apresentou a sua renúncia ao Papa em 2019, após completar 75 anos de idade, esta terça-feira, seguindo as determinações do Direito Canónico.

A resignação foi hoje aceite por Francisco, que nomeou como arcebispo de Braga D. José Cordeiro, de 54 anos.

“Há muito esperado, queremos que sinta a nossa plena comunhão e a mais profunda unidade. Garantimos que se sentirá bem entre nós e que juntos prosseguiremos uma história que remonta aos primórdios do cristianismo”, escreve D. Jorge Ortiga ao seu sucessor.

Queremos que sinta o nosso afeto, na certeza de que encontrará uma diocese motivada e empenhada para uma consciente sinodalidade”.

Segundo o arcebispo emérito. D. José Cordeiro chega a Braga num momento de “particular significado”, face ao processo do Sínodo 2021-2023, convocado pelo Papa e iniciado no último mês de outubro.

“É esta Igreja, que procura crescer na sinodalidade quotidiana, que entregamos a D. José Cordeiro. Enquanto corpo eclesial, caminharemos e sonharemos juntos uma Igreja renovada para estar ao serviço da Humanidade”, escreve D. Jorge Ortiga, num texto enviado à Agência ECCLESIA.

A mensagem destaca o impacto da pandemia de Covid-19 no “quotidiano da pastoral”.

“A experiência pastoral de D. José Cordeiro e a riqueza das suas qualidades enriquecerão a nossa Igreja local. Acreditamos na novidade que nos oferecerá. Conte com a generosa entrega das nossas capacidades”, acrescenta o responsável.

D. Jorge Ortiga vai exercer funções de administrador apostólico, para assegurar o governo ordinário da Arquidiocese de Braga, até à tomada de posse do seu sucessor, a quem diz que pode “contar com todos e cada um: sacerdotes, leigos, religiosos, religiosas, comunidades paroquiais, confrarias, movimentos”.

“A Igreja será credível se souber viver em unidade e comunhão. Presente no meio de nós, Cristo caminha connosco e percorre as estradas da Humanidade, com o intuito de fazer crescer uma Igreja sinodal: afetiva na fraternidade e efetiva nos ministérios”, prossegue.

Em julho de 2021, nos 22 anos da sua tomada de posse, D. Jorge Ortiga concedeu uma entrevista à Agência ECCLESIA, na qual deixava votos de que o seu sucessor encontrasse “uma Igreja unida, em comunhão, empenhada”.

O arcebispo emérito assinalava o processo de “renovação” que pode beneficiar com o dinamismo de um novo responsável diocesano.

“Talvez a vinda de alguém fora de Braga possa trazer um outro ritmo diferente, outra maneira de conceber a Igreja. Acredito, seriamente, que poderá também ajudar neste processo de renovação inadiável”, referiu D. Jorge Ortiga.

O entrevistado assumiu que a espera de mais de dois anos foi “muito tempo” para a diocese e para si próprio, mas sustentou que o mais importante é estar pronto para receber “aquele que a Igreja considerar mais oportuno e mais adequado para este momento”.

OC

 

Jorge Ferreira da Costa Ortiga nasceu a 5 de março de 1944, na freguesia de Brufe, concelho de Vila Nova de Famalicão; foi ordenado presbítero no dia 9 de julho de 1967, na igreja de Lousado, também em Famalicão, e, no dia 16 celebrou Missa Nova em Brufe, tendo sido esta a primeira Eucaristia concelebrada na circunscrição eclesiástica minhota, após a renovação litúrgica do Concílio Vaticano II.

O Papa João Paulo II nomeou-o bispo auxiliar de Braga em 1987, tendo escolhido como lema ‘Ut Unum Sint’ (que todos sejam um); a ordenação episcopal aconteceu a 3 de janeiro de 1988, na Cripta do Sameiro, numa celebração presidida por D. Eurico Dias Nogueira.

D. Jorge Ortiga seria nomeado arcebispo de Braga a 5 de junho de 1999, com 55 anos, tomando posse a 18 de julho, na Catedral arquidiocesana.

Em 2017, por ocasião das suas bodas de ouro sacerdotais, o responsável recebeu uma mensagem do Papa Francisco, na qual o pontífice elogiava o “zelo apostólico” e o “exemplo de vida” do arcebispo de Braga.

D. Jorge Ortiga foi presidente da Conferência Episcopal Portuguesa entre 2005 e 2011.

 

 

Partilhar:
Share