D. Jorge Ortiga convoca padres para uma maior atenção aos desafios da sociedade, a começar pelas famílias

Braga, 18 abr 2019 (Ecclesia) – O arcebispo de Braga denunciou hoje os “gritos escondidos” de quem luta por uma vida digna, pedindo a atenção dos sacerdotes para os problemas sociais.

“As dificuldades em ter uma vida digna e honrar os compromissos devem inquietar-nos. São muitas as pedras que precisam de ser removidas para que a esperança aconteça. Devemos ser sentinelas”, declarou D. Jorge Ortiga, na homilia da Missa Crismal a que presidiu na Sé de Braga.

A intervenção, na manhã de Quinta-Feira Santa, alertou para “campanhas” que visam “destruir” as famílias.

Para o arcebispo primaz, é essencial “discernir, juntamente com as famílias, os processos adequados para propor o Evangelho”.

“É chegada a hora de sair do nosso conforto e de ver tantas situações dolorosas que afetam as nossas famílias. Não julgamos nem condenamos! Caminhamos com todos, com gestos de compreensão e de acolhimento”.

No ano em que completou o seu 75.º aniversário, apresentando assim a renúncia do seu ministério ao Papa, D. Jorge Ortiga quis oferecer uma estola a cada membro do clero, como “símbolo de serviço”.

“Caros sacerdotes, deixai a disputa pelos primeiros lugares e lutai pela toalha do serviço. Permiti que a beleza da caridade vos motive a experiências novas que testemunhem a vitalidade da nossa Arquidiocese”, apelou.

O responsável pediu também que as atenções se mantenham centradas na “tragédia vivida” em Moçambique, mesmo após a atenção mediática.

OC

Partilhar:
Share