O Papa recebeu esta Sexta-feira em audiência o novo Patriarca de Antioquia dos Sírios, Ignace Joseph III Younan, que foi eleito esta semana como líder da Igreja sírio-católica, e a quem concedeu a comunhão eclesiástica. No seu discurso, o Papa pediu aos sírio-católicos que sejam “semeadores de paz” na Terra Santa, no Iraque e no Líbano, onde a Igreja síria tem uma forte presença histórica. «O meu desejo é que no Oriente, de onde veio o anúncio do Evangelho, as comunidades cristãs continuem a viver e dar testemunho da fé, como o fizeram ao longo dos séculos”. Bento XVI pediu também ao novo patriarca um grande empenho evangelizador, “sem perder sua identidade própria e levando o selo da espiritualidade oriental”, para que, “utilizando as palavras do Oriente e Ocidente, a Igreja fale eficazmente de Cristo ao homem contemporâneo”. Assim, os cristãos “poderão enfrentar os desafios mais urgentes da humanidade, construir a paz e a solidariedade universal e dar testemunho da grande esperança da qual são portadores incansáveis”, acrescentou. Outra das preocupações do Papa é o fortalecimento dos laços da comunidade síria com seus fiéis migrantes noutros locais do mundo, dos quais, recordou, o próprio novo Patriarca foi até agora bispo. Nesse sentido, Bento XVI pediu “maior atenção pastoral” a estes fiéis, para que “possam manter-se ligados às suas raízes religiosas”. “Assim, os laços serão ainda mais estreitos com a sua pátria, que tantos orientais deixaram para procurar melhores condições de vida”, acrescentou. Igreja sírio-católica O novo patriarca foi eleito a 20 de Janeiro passado pelo Sínodo Sírio-Católico, reunido em Roma sob a presidência do Cardeal Leonardo Sandri, prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais. Como é tradição na Igreja sírio-antioquina, o novo patriarca escolheu como nome «Ignace», em honra de Santo Inácio de Antioquia. O Papa concedeu imediatamente a communio ecclesiastica ao novo patriarca, numa carta datada de Quinta-feira, 22 de Janeiro. Sua Beatitude Ignace Joseph Younan nasceu em Hassaké, na Síria, em 1944. Após a sua ordenação sacerdotal foi pároco em Beirute e professor do seminário. Desde 1986 que se encontrava nos Estados Unidos, na dioceses de Our Lady of Deliverance, em Newark, que depende do Patriarcado e que assiste os cristãos libaneses e sírios residentes na América do Norte. Em 1995, João Paulo II nomeou-o bispo desta diocese e visitador apostólico dos fiéis sírio-católicos da América Central. A Igreja Sírio-Católica separou-se da comunhão com Roma após o Concílio de Calcedónia, em 451, e voltou em 1656. As suas línguas litúrgicas oficiais são o siríaco e o árabe. O Patriarcado tem sua sede actualmente em Beirute, no Líbano. Redacção/Zenit

Partilhar:
Share