Cidade do Vaticano, 19 abr 2012 (Ecclesia) – Bento XVI assinala hoje o seu sétimo aniversário de pontificado, num dia sem compromissos públicos, depois de esta quarta-feira ter agradecido publicamente as felicitações recebidas.

A Conferência Episcopal Portuguesa saudou o Papa nesta data, “agradecendo em oração a sua vida e intensa ação apostólica”, como refere o comunicado final da assembleia plenária que decorreu em Fátima desde segunda-feira.

O então cardeal Joseph Ratzinger foi eleito sucessor de João Paulo II na tarde de 19 de abril de 2005, no quarto escrutínio do conclave iniciado um dia antes, tendo escolhido o nome de Bento XVI.

“Na próxima quinta-feira [hoje, ndr], por ocasião do sétimo aniversário da minha eleição para a sede de Pedro, peço-vos que rezem por mim, para que o Senhor me dê a força de cumprir a missão que me foi confiada”, afirmou o atual Papa, no domingo.

Esta quarta-feira, na audiência pública semanal, Bento XVI voltou a pedir orações para “perseverar” no “serviço a Cristo e à Igreja”.

Em sete anos, o Papa alemão realizou 26 viagens na Itália e 23 ao estrangeiro, incluindo um visita a Portugal, entre 11 e 14 de maio de 2010, com passagens por Lisboa, Fátima e Porto.

Bento XVI assinou três encíclicas e presidiu a três Jornadas Mundiais da Juventude, para além de ter convocado quatro Sínodos de Bispos, um Ano Paulino e um Ano Sacerdotal; em outubro vai ter lugar um novo Sínodo e inicia-se o Ano da Fé.

Joseph Aloisius Ratzinger, que esta segunda-feira completou 85 anos, nasceu na localidade alemã Marktl am Inn, Diocese de Passau, região da Baviera.

Filho de um comissário da polícia e de uma cozinheira, foi ordenado padre a 29 de junho de 1951, tinha então 24 anos, juntamente com o irmão.

A 28 de maio de 1977 recebeu a ordenação episcopal, tornando-se arcebispo de Munique-Freising, tendo escolhido como lema “Colaborador da verdade”, e a 27 de junho do mesmo ano foi criado cardeal por Paulo VI.

João Paulo II nomeou-o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e presidente da Pontifícia Comissão Bíblica a 25 de novembro de 1981 e no dia 27 de novembro de 2002 tornou-se decano do Colégio dos Cardeais, após votação dos seus pares.

Num balanço do atual pontificado, o porta-voz do Vaticano destacou que o Papa enfrentou “com coragem, humildade e determinação situações difíceis, como a crise que se seguiu aos abusos sexuais” cometidos por membros do clero ou em instituições católicas de vários países.

“Aprendemos coma coerência e a constância do seu [Bento XVI] ensinamento que a prioridade do seu serviço à Igreja e à humanidade é orientar a vida para Deus (…), que o esquecimento de Deus e o relativismo são perigos gravíssimos no nosso tempo”, afirma o padre Lombardi, no editorial do programa ‘Octava Dies’, do Centro Televisivo Vaticano.

Bento XVI é o sexto Papa mais velho dos últimos 700 anos – superando João Paulo II, que faleceu aos 84 anos, no dia 2 de abril de 2005 – e o mais idoso a manter-se no cargo em mais de 100 anos, desde que Leão XIII faleceu, com 93 anos, no dia 20 de julho de 1903.

Para assinalar o sétimo aniversário da eleição, o Vaticano lança hoje uma aplicação (widget) informática que permite passar de forma automática para outras páginas de internet “os principais conteúdos presentes no site institucional www.vatican.va”.

RJM/OC

Notícia atualizada às 16h42

Partilhar:
Share