Programa oficial prevê sessão de cumprimentos a cardeais e partida para a residência de Castel Gandolfo

Bento XVI vive a 28 de fevereiro o último dia do seu pontificado, após ter renunciado ao mesmo, com um programa que inclui uma sessão de cumprimentos a cardeais e a partida rumo à residência de Castel Gandolfo, arredores de Roma.

A reunião com os cardeais presentes em Roma, na Sala Clementina do Palácio Apostólico, tem início marcado para as 11h00 locais (menos uma em Lisboa), com uma saudação do decano [figura que preside ao Colégio Cardinalício], D. Angelo Sodano.

Segundo o Vaticano, não está previsto qualquer discurso de Bento XVI e toda a sessão vai ser acompanhada pelo Centro Televisivo do Vaticano e difundida através da internet, no ‘Vatican player’.

De tarde, vai decorrer a partida em helicóptero para a residência pontifícia onde Bento XVI permanecerá durante cerca de dois meses.

O Papa vai cumprimentar o seu secretário de Estado, cardeal Tarcisio Bertone, no pátio de São Dâmaso, pelas 16h50 locais, perante um piquete da Guarda Suíça, seguindo depois para o heliporto do Vaticano, onde se despedirá do decano do colégio cardinalício, D. Angelo Sodano.

Bento XVI será recebido em Castel Gandolfo pelo presidente e o secretário do governo do Estado da Cidade do Vaticano, respetivamente o cardeal Giuseppe Bertello e D. Giuseppe Sciacca, bem como pelo presidente do município e outras autoridades civis.

A última aparição pública de Bento XVI vai acontecer pelas 17h30 de Roma, com uma saudação à população desde a varanda central do palácio apostólico de Castel Gandolfo, propriedade da Santa Sé.

O final do pontificado de Bento XVI, às 20h00 (menos uma em Lisboa), vai ser assinalado pela partida da Guarda Suíça colocada à porta da residência pontifícia de Castel Gandolfo, arredores da capital italiana.

Este será o único sinal visível do início da Sé vacante – período entre a morte/renúncia de um Papa e a eleição do seu sucessor – à hora determinada pelo próprio Bento XVI quando apresentou a resignação, no último dia 11.

Joseph Ratzinger realizou 24 viagens ao estrangeiro, incluindo um visita a Portugal, entre 11 e 14 de maio de 2010, com passagens por Lisboa, Fátima e Porto.

No total, as viagens pontifícias tiveram como destino prioritário a Europa (16), seguindo-se a América (3), o Médio Oriente (2), a África (2) e a Oceânia (1); a estas somam-se 30 visitas em solo italiano.

Bento XVI assinou três encíclicas: ‘Deus caritas est’ (Deus é amor), ‘Spe salvi’ (Salvos na esperança) e ‘Caritas in Veritate’ (A caridade na verdade).

Também presidiu a três Jornadas Mundiais da Juventude (Colónia, Sidney e Madrid), para além de ter convocado cinco Sínodos dos Bispos, um Ano Paulino, um Ano Sacerdotal e um Ano da Fé, que ainda decorre.

Em 2012, Bento XVI encerrou a sua trilogia sobre ‘Jesus de Nazaré’ com um livro sobre a infância de Cristo, dois anos após a publicação do livro-entrevista «Luz do Mundo», resultante de uma conversa com o jornalista alemão Peter Seewald.

No pontificado de Bento XVI foram canonizados 44 santos em 10 cerimónias, incluindo o português Nuno de Santa Maria, D. Nuno Álvares Pereira, a 26 de abril de 2009; Portugal conta também com duas novas beatas: Rita Amada de Jesus (beatificada a 28 de maio de 2006, em Viseu) e a Madre Maria Clara (21 de maio de 2011, Lisboa)

OC

Partilhar:
Share