D. Virgílio Antunes vai presidir a Missa de sufrágio, no dia 3 de janeiro

Coimbra, 31 dez 2022 (Ecclesia) – O bispo de Coimbra lamentou hoje o falecimento do Papa emérito Bento XVI, que morreu no Vaticano, aos 95 anos de idade, recordando alguém que “entregou a totalidade da sua vida ao serviço de Deus e da sua Igreja”.

“Bento XVI, cristão de fé profunda e forte. No seu percurso, na sua ação pastoral e nos seus escritos, sobressai em primeiro lugar o testemunho da sua fé inabalável em Deus, Santíssima Trindade, que cantou, celebrou, adorou e foi o centro da sua vida. Queremos continuar a aprender dele o lugar único de Deus na nossa vida, como a razão de ser de tudo o que somos e fazemos”, escreve D. Virgílio Antunes, numa nota à diocese, enviada à Agência ECCLESIA.

O texto destaca o trabalho de Joseph Ratzinger-Bento XVI “em favor da identidade única da espiritualidade cristã” e “sempre à procura da clareza da doutrina da fé”.

Em tempos de afirmação de fortes relativismos e de grandes vazios, deu à Igreja escritos claros e baseados em argumentação profunda, que continuarão a iluminar os caminhos da Igreja na fidelidade à sua identidade querida por Cristo, o seu fundador”.

O bispo de Coimbra considera que o sucessor de João Paulo II, Papa entre 2005 e 2013, se “ofereceu até fim por meio da oração e do sacrifício”.

“Bento XVI, o cristão que se aniquila em favor da comunhão por meio da caridade na verdade. Acreditou em Deus, que é amor e quer reunir toda a humanidade num só povo, por meio do amor. Não se poupou a esforços pelos caminhos da razão e da fé para ajudar a Igreja e a humanidade a compreender que só Deus, que é amor, salva”, acrescentou.

O Papa emérito faleceu esta manhã, no antigo mosteiro ‘Mater Ecclesiae’, onde residia desde a sua renúncia ao pontificado, em fevereiro de 2013; o estado de saúde de Bento XVI tinha-se agravado nos últimos dias.

O bispo de Coimbra vai presidir a uma Missa na Sé Nova, às 19h00, pelo “seu eterno descanso”.

“Convido a comunidade diocesana de Coimbra a agradecer a Deus o Pontífice que nos deu no Papa Bento XVI, a rezar por ele e a crescer na fé, na esperança e no amor que a sua vida e o seu ministério continuam a testemunhar”, escreve D. Virgílio Antunes.

OC

Vaticano: Morreu Bento XVI (1927-2022)

Partilhar:
Share