Peregrinos entram no Vaticano sob fortes medidas de segurança

Octávio Carmo, enviado da Agência ECCLESIA ao Vaticano

Cidade do Vaticano, 03 jan 2022 (Ecclesia) – O Vaticano anunciou hoje que 135 mil pessoas passaram em dois dias pela Basílica de São Pedro, para o último adeus ao Papa emérito Bento XVI, falecido no último sábado, aos 95 anos de idade.

O corpo, em câmara ardente, encontra-se na Basílica desde a manhã de segunda-feira e tem sido ponto de peregrinação para pessoas de todo o mundo, que chegam a uma Praça de São Pedro sob fortes medidas de segurança, com postos para revistas e detetores de metais, numa operação que envolve forças policiais e militares.

O velório decorre até às 19h00 desta quarta-feira, sendo o funeral de Bento XVI presidido, num momento inédito, pelo seu sucessor, o Papa Francisco, a partir das 09h30 (menos uma em Lisboa) desta quinta-feira.

Um grupo de peregrinos da República Democrática do Congo partilhou com a Agência ECCLESIA a sua admiração pelo falecido Papa emérito, um “grande sábio” e um “pai” espiritual para muitos católicos.

Andreia, do Peru, tinha a deslocação a Roma prevista antes da morte de Bento XVI e vive este momento com emoção, por poder acompanhar este último adeus a um Papa que “aprendeu a admirar”, após uma impressão inicial ainda marcada por uma ideia de distanciamento.

Para o padre Paolo, pároco na capital italiana, o falecido Papa é “magno”, um “grande” da Teologia católica, que merece ser recordado como um “mestre na busca da verdade”.

A fila para a Basílica de São Pedro começou a formar-se mais de uma hora antes da abertura das portas (07h00) e o fluxo de visitantes tem sido constante, desde a Avenida da Conciliação, cuja parte final, junto à Praça, tem um espaço reservado para os profissionais de Comunicação Social.

Ao final da tarde, a fila implicava uma espera de mais de uma hora para poucos segundos diante do corpo do Papa emérito, num dia em que se registaram 70 mil visitantes na Basílica do Vaticano.

“Esperei duas horas para entrar numa pizzaria famoso, posso esperar mais por Bento XVI”, referia um peregrino dos EUA.

A sala de imprensa informou que há 600 jornalistas acreditados para estas celebrações.

A Roma começaram a chegar responsáveis católicos de vários países e representantes de outras comunidades cristãs, que vão participar no funeral, além de várias personalidades políticas, que vão participar a “título pessoal”, como precisou a sala de imprensa da Santa Sé – entre eles, o presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa.

As únicas delegações oficiais previstas pelo cerimonial são as da Itália e da Alemanha, terra natal de Bento XVI.

O Vaticano anunciou ainda a presença de 23 delegações ecuménicas, incluindo representantes dos Patriarcados de Constantinopla e de Moscovo (Igreja Ortodoxa).

OC

notícia atualizada às 21h10

Partilhar:
Share