Beja, 21 nov 2016 (Ecclesia) – O Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, juntamente com a União das Freguesias de Serpa, está a estudar a recuperação do adro santuário de Nossa Senhora de Guadalupe que foi, recentemente, vandalizado.

O santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, no monte de São Gens (Serpa), “um dos tesouros artísticos” daquela localidade, foi “severamente vandalizado” por um “grupo de energúmenos” que entreteve “a destruir, a pontapé ou usando ferros e paus como alavancas, muros e estruturas ornamentais, entre elas algumas urnas de inspiração barroca, do adro da igreja”, lamenta o Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja (DPHADB) num comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

O ano 2016 “não tem sido um ano propício no que diz respeito à conservação da arte sacra do Baixo Alentejo”, lê-se.

O alerta começou por ser dado, no verão, pelo Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, quando uma “onda de assaltos varreu nada menos do que doze paróquias da região, assumindo particular acutilância em Almodôvar, Castro Verde, Mértola, Odemira e Ourique, além de São João Baptista – a paróquia mais frequentada da cidade de Beja, com sede na igreja do Carmo”, refere.

De acordo com o Departamento do Património da Diocese de Beja, “atos vandálicos desta natureza começam a tornar-se frequentes em monumentos do Baixo Alentejo, o que tem levado a reclamar uma maior atenção das autoridades, para que, à semelhança do que sucede com outros edifícios públicos, as igrejas sejam alvo de um acompanhamento mais efetivo”.

LFS

Partilhar:
Share