Barcelos, 11 set 2019 (Ecclesia) – A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, na Arquidiocese de Braga, informa que as obras de reabilitação da sua igreja revelaram “património artístico em deterioração”.

“Descobriu-se que as pinturas têm agora uma leitura completamente diferente enquanto se procedeu à limpeza dos dois grandes quadros de pintura sobre tela, que estavam na Capela-Mor da igreja da Misericórdia”, explicou a historiadora de arte e investigadora da Universidade do Minho, Paula Bessa.

No seu sítio online, a Arquidiocese de Braga adianta que uma investigação aos arquivos da Misericórdia de Barcelos vai complementar o trabalho e aferir da relevância destas obras.

Os altares de Santo António, de Nossa Senhora da Conceição e do Senhor da Cana Verde, assim como as sanefas, as molduras e pinturas da Igreja vão ser beneficiados com trabalhos de restauro, para além da intervenção inicialmente prevista no telhado da igreja, Capela-Mor, no retábulo, soalho e paredes.

“É preciso dar tempo ao tempo e, sobretudo, continuar a fazer as obras de restauro que têm de ser feitas e da forma mais correta. Os trabalhos de investigação ajudarão a lançar mais luz sobre a importância destas obras de arte”, disse o provedor da Misericórdia de Barcelos.

Nuno Reis assinalou que as obras de reabilitação da igreja da Misericórdia não podiam ser mais adiadas “sob pena de custos ainda superiores no futuro ou mesmo danos irreparáveis”.

As obras de conservação e restauro do templo católico começaram em julho e do património intervencionado destacam-se duas obras, uma que retrata a Conversão de S. Paulo e outra com a Ceia de Emaús, refere a Arquidiocese de Braga.

“Edificada, no século XVI, pela extinta Ordem Terceira de S. Francisco, a Igreja da Misericórdia e o seu convento foram entregues, por D. Maria II, em 1836, à Irmandade de Nossa Senhora da Misericórdia de Barcelos. Local de culto e devoção, é um dos Templos mais frequentados pela comunidade barcelense”, lê-se no sítio online da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos que atua em diferente setores e faixas etárias – pessoas idosas, infância, na saúde, formação, no culto e cultura.

CB/OC

Partilhar:
Share