Aveiro: «Talento e criatividade» dos jovens marcaram a receção dos símbolos da JMJ (c/fotos)

Início da peregrinação da cruz e do ícone mariano assinalada com uma «manifestação de fé» nas ruas da cidade

Aveiro, 03 mar 2023 (Ecclesia) –  A Diocese de Aveiro recebeu hoje os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), onde vão permanecer em peregrinação pelas 101 paróquias até 2 de abril, com o “talento e a criatividade” dos jovens.

Pedro Carvalho, coordenador do Comité Organizador Diocesano (COD) de Aveiro da JMJ 2023 disse em declarações à Agência ECCLESIA que o objetivo foi “envolver e acreditar no talento dos jovens” que acolheram a cruz e o ícone de Nossa Senhora.

“Para eles serem protagonistas, temos de creditar que eles conseguem fazer coisas fantásticas”, afirmou

Cruz da JMJ carregada pelos atuais e antigos responsáveis pela Pastoral Juvenil, em Aveiro

A peregrinação dos símbolos pelas ruas de Aveiro foi acompanhada com vários momentos de animação e celebração feita pela “criatividade e talento dos jovens” que protagonizaram uma “manifestação de fé”, referiu Pedro Carvalho.

Os símbolos da JMJ foram entregues a Aveiro pelos jovens da Arquidiocese de Braga e foram recebidos pelos antigos e atuais responsáveis pelo departamento da pastoral juvenil da diocese, que simbolicamente carregaram a cruz.

Antes de peregrinar pelas ruas centrais da cidade até à Sé, os símbolos foram acolhidos numa festa da juventude diante da Estação de Comboios, onde marcaram presença representantes dos 9 arciprestados da diocese, autarcas, o bispo de Aveiro D. António Moiteiro, o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 D. Américo Aguiar, assim como os bispos da Arquidiocese de Braga, que acompanharam os jovens numa inédita viagem de comboio.

Para D. António Moiteiro, o propósito principal de um mês de peregrinação com os símbolos da JMJ é que cada jovem possa ajudar a “construir um mundo melhor” e  “ser testemunha de Cristo ressuscitado”.

O bispo de Aveiro referiu que a diocese tem um “COD que já tem a experiência de outras JMJ”, o que ajuda “a profundar o que significam os símbolos enquanto mais um motivo para o anúncio do Evangelho”.

Presente na receção dos símbolos, na peregrinação pelas ruas da cidade e na celebração que aconteceu na Sé, o presidente da Câmara de Aveiro disse que a JMJ é uma ocasião para “fazer coisas positivas pelo mundo” atual e, pelo facto de ser mundial, significa que Portugal “conquistou a oportunidade” de acolher este encontro.

“Nós temos de aproveitar este palco que o mundo nos dá para comunicar com ele”, afirmou Ribau Esteves.

O presidente da Câmara Municipal de Aveiro referiu também que a JMJ é uma oportunidade para “puxar” pelos jovens e pela “dimensão jovem que todas as idades têm”.

“É para nós uma honra muito especial viver este momento e ser parte desta caminhada para a JMJ com toda a gente que venha por bem e se junte a este movimento”, afirmou.

Os permaneceram durante a noite na Sé de Aveiro e, este sábado e domingo, peregrinam pelas paróquias da cidade.

PR

Partilhar:
Share
Scroll to Top