D. António Moiteiro publica nomeações para 2021/2022

Foto: Diocese de Aveiro

Aveiro, 28 jul 2021 (Ecclesia) – O bispo de Aveiro desafiou a diocese a reforçar o “caminho em conjunto” para a renovação da Igreja, no documento em que torna públicas as nomeações para 2021/2022.

“Cada vez mais se torna necessário fazer um caminho em conjunto, em colegialidade, onde os fiéis cristãos – leigos e clero – têm um papel ativo na renovação da Igreja”, escreve D. António Moiteiro.

O responsável católico destaca que a Diocese de Aveiro “não pode ficar alheia” à exigência que o Papa faz a toda a Igreja, no sentido de preparar o próximo Sínodo dos Bispos, de 2023, que tem como título “Por uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão”.

“A caminhada presbiteral que fizemos ao longo deste ano – inquérito aos sacerdotes, reflexão conjunta nos arciprestados e as propostas apresentadas ao presbitério – ajudou-nos a tomar consciência do presbitério que somos com as suas luzes, que são muitas, mas também com as suas sombras e dificuldades”, realça D. António Moiteiro.

A abertura do percurso do Sínodo de 2023 acontece no Vaticano, sob a presidência do Papa, nos próximos dias 9 e 10 de outubro, e em cada diocese católica, a 17 de outubro, sob a presidência do respetivo bispo.

Estas celebrações dão início à “fase consultiva” da 16ª assembleia geral do Sínodo dos Bispos, a partir de um documento preparatório, um questionário e um vademécum com propostas de consulta em cada diocese.

O bispo de Aveiro dirige-se em particular aos sacerdotes, pedindo “uma atitude permanente de conversão pastoral”.

“Para vivermos esta comunhão é necessário conviver, concelebrar, aprender a trabalhar juntos, partilhar sucessos e fragilidades, nomeadamente com os colegas do arciprestado, para sermos o rosto fraterno de Cristo, onde o bispo, os sacerdotes e os diáconos devem suscitar a fraternidade na construção da comunidade cristã”, assinala.

OC

Partilhar:
Share