«Sonhemos juntos o caminho», convida D. António Moiteiro

Foto: Diocese de Aveiro

Aveiro, 15 set 2021 (Ecclesia) – O bispo de Aveiro afirma que o ano pastoral 2021-2022 “será um ano de transição” na diocese, “um recomeço na fidelidade criativa de uma caminhada em conjunto”, com cinco desafios que apresenta na Carta Pastoral ‘Sonhemos juntos o caminho’.

“Os desafios que traçamos para este ano são a ‘conversão pastoral’ das pessoas e das comunidades como atitude, a família como destinatária e protagonista que se deve privilegiar, os jovens como agentes da pastoral juvenil, acompanhados e guiados, mas livres”, explica D. António Moiteiro.

Na carta pastoral, o bispo acrescenta que o arciprestado (conjunto de paróquias católicas), “como estrutura de referência para promover a sinodalidade, de modo a promover a cultura do encontro e da partilha”, e a sinodalidade, “como critério maior nos processos a implementar”, são os outros dois desafios para o ano 2021/2022.

“O triénio pastoral 2018-2021, que ficou incompleto na sua concretização por causa dos efeitos da pandemia, é, no presente ano pastoral, retomado e retocado, no sentido de respondermos às múltiplas interpelações descritas anteriormente”, informa D. António Moiteiro, adiantando que o plano pastoral, com a calendarização, vai ser distribuído brevemente a toda a diocese.

Neste contexto, o bispo de Aveiro assinala que o ano pastoral 2021/2022 vai ser “um ano de transição, um recomeço na fidelidade criativa de uma caminhada em conjunto”.

“Não tentar regressar a um mundo que já não existe e, também, não confiar apenas em meras reformas estruturais exteriores, mas ir ao âmago do Evangelho, fazer uma viagem ao interior, ao essencial, à fonte original”, realça.

Segundo D. António Moiteiro, é tempo de “reformar” as comunidades e, considerando o caminho percorrido, querem “recordar que cada família é uma história de amor” e perguntar em que ponto estão com a ‘Amoris Laetitia’ (A Alegria do Amor), a exortação do Papa Francisco, publicada a 8 de abril de 2016, e que resultou de duas assembleias do Sínodo dos Bispos (2014 e 2015) e dos inquéritos aos católicos de todo o mundo.

O bispo de Aveiro lembra que o próximo Sínodo dos Bispos, com o tema ‘Por uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão’, vai começar o seu percurso sinodal em outubro, e convida “todos os agentes de pastoral” para uma assembleia diocesana de abertura do ano pastoral, na tarde do dia 17 de outubro.

D. António Moiteiro começa a carta pastoral ‘Sonhemos juntos o caminho’ a explica que, “neste tempo de viragem e de edificação de um novo mundo”, a importância dos planos pastorais “reveste-se de novos contornos”.

“Não se podem desligar da metamorfose cultural que acontece vertiginosamente no mundo que habitamos. Da capacidade e envolvimento de cada um de nós dependerá a edificação das paróquias, dos arciprestados, da Diocese”, acrescentou D. António Moiteiro no documento publicado hoje no sítio online da Diocese de Aveiro.

CB/OC

Partilhar:
Share