A Palavra de Deus alegra o coração

A Palavra de Deus, acolhida e celebrada, meditada e vivida, está no centro das leituras bíblicas deste terceiro domingo do tempo comum. Ela é o centro à volta do qual se constrói a experiência cristã, um anúncio libertador que Deus dirige a todos nós e que encarna em Jesus Cristo e em nós, seus seguidores. Não é por acaso que o Papa Francisco instituiu este dia como Domingo da Palavra de Deus, com uma belíssima reflexão que vale a pena ler e meditar sempre de novo.

O Evangelho apresenta Cristo como a Palavra que se torna Pessoa no meio de nós, a fim de levar a libertação e a esperança às vítimas da opressão, do sofrimento e da miséria. A comunidade de Jesus só pode ser uma comunidade que anuncia ao mundo essa Palavra libertadora, que é todo o programa de Jesus proclamado na sinagoga de Nazaré.

Na segunda leitura, Paulo fala dos dons ou carismas de Deus, que são para repartir e pôr ao serviço do bem comum. Os dons indicados em primeiro lugar (apóstolos, profetas, doutores) dizem respeito à Palavra, ao anúncio da Boa Nova. A Igreja, corpo de Cristo, nasce e alimenta-se da Palavra. Diante da Palavra criadora e vivificadora que Deus dirige à comunidade, tudo o resto passa para segundo plano.

A primeira leitura exemplifica como a Palavra deve estar no centro da vida comunitária e como ela, uma vez proclamada, é geradora de alegria e de festa. Vale a pena parar um pouco para reler e meditar a descrição desta grande assembleia do Povo de Deus presidida pelo sacerdote Esdras à volta da Palavra.

Todos são convocados, a Palavra de Deus dirige-se a todos sem exceção, a todos interpela e questiona.

Os pormenores da cena concorrem para o respeito e a veneração da Palavra, que está no centro e ocupa lugar especial na vida da comunidade.

O modo como a Palavra é proclamada e explicada indica-nos como se deve processar uma verdadeira celebração da Palavra. Diz que «os levitas liam, clara e distintamente, o Livro da Lei de Deus e explicavam o seu sentido, de maneira que se pudesse compreender a leitura».

O Povo deixa-se interpelar, em atitude de conversão e transformação de vida.

E tudo termina numa grande festa: o dia consagrado ao Senhor é um dia de alegria e de festa para a comunidade que se alimentou da Palavra.

É assim que acontece nas nossas vidas, famílias e comunidades, ao ler e escutar a Palavra de Deus?

Muito caminho de renovação há ainda a percorrer, para que a Palavra do Senhor seja espírito e vida, seja reconforto para a alma e sabedoria para os simples, alegre o coração e ilumine os olhos, permaneça eternamente em nós.

Estas são palavras do Salmo 18 de hoje, que devemos continuar a rezar ao longo da semana, para que a Palavra de Deus nos alegre, nos ilumine e nos transforme; Palavra que é a própria Pessoa de Jesus Cristo, para nós espírito e vida.

Manuel Barbosa, scj
www.dehonianos.org

Partilhar:
Share