D. Armando Esteves Domingues presidiu a Missa na festa de São Sebastião, em Ponta Delgada

Foto: Igreja Açores

Ponta Delgada, Açores, 23 jan 2023 (Ecclesia) – O novo bispo de Angra presidiu este domingo à festa de São Sebastião, padroeiro de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, onde convidou os católicos do arquipélago a ser construtores de “diálogo”.

“Que sejamos sempre cidade e diocese de diálogo, que quem ama a Deus encontre em cada um de nós um irmão de caminho”, apelou D. Armando Esteves Domingues, uma semana após a sua entrada solene na diocese açoriana.

Numa intervenção citada pelo portal ‘Igreja Açores’, o responsável pediu combate contra a indiferença diante dos mártires “das muitas fomes, da Covid-19 e todas as pestes e guerras que humilham a humanidade”, recordando as vítimas “da tentação totalitária”.

D. Armando Esteves Domingues apelou à oração pela unidade dos cristãos, num tempo marcado pela perseguição e pela tentação do “pensamento único e intocável”.

“Nunca como hoje, houve tanta perseguição de cristãos. E não são só cristãos, são também os diferentes, os de outra religião, como os de outra cor, país ou cultura. Estão a renascer os totalitarismos onde tantos de pensamento frágil são manipulados”, afirmou.

A homilia usou a imagem da “ponte” para falar da missão das comunidades católicas.

“A ponte une margens para não haver marginalizados, olha os passantes como parte de si mesmo, até os desconhecidos, serve a todos e, não menos importante, contribui para que todos sejam servidos de igual forma” apontou o bispo de Angra.

Durante a celebração foram oferecidos oito cabazes, um por cada ouvidoria (conjunto de paróquias) de São Miguel, que serão depois entregues a famílias carenciadas.

Para o ouvidor de Ponta Delgada, monsenhor José Constância, este momento de festa, deve ser transformado “numa primavera pastoral” para toda a diocese.

“Nove ilhas uma só Igreja: uma, mas diversa; unida, mas plural”, afirmou o decano do Colégio de Consultores.

OC

Partilhar:
Share