Jovem com trissomia 21 é atriz e voluntária da JMJ Lisboa 2023

Foto: Agência ECCLESIA/MC

Lisboa, 02 dez 2022 (Ecclesia) – Leonor Belo, jovem com trissomia 21, atriz e voluntária da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023, disse à Agência ECCLESIA que o Presépio a faz sentir “abençoada”.

“O presépio faz-me sentir abençoada, gosto muito do Menino Jesus, tão querido e fofo, é um bebé”, referiu a jovem de 18 anos, que a cada Advento prepara o Natal “em casa, com a família”.

“Antes do Natal preparamos tudo, montamos a árvore de Natal e o presépio, tudo bem direitinho, e com muita alegria, colocamos música de Natal, é a alegria de preparar o Natal”, reforça. 

Leonor Belo, a mais nova de três irmãos, revela que ao “ouvir música é impossível não cantar e dançar”, e é na árvore que deixa o seu “coração vermelho”.

Gosto de colocar corações vermelhos, adoro corações e amor, gosto muito de amizades fortes, os corações podem fazer lembrar não só a magia do Natal mas lembrar um amigo ou familiar que está longe”.

A viver no Porto, com família por Santarém e Lisboa, a jovem explica que o Natal é sempre “em visitas” que a deixam muito contente e a fazem sentir “especial”. 

“Vamos à Missa do Galo e só depois vamos às prendas, depois seguimos do Porto, a Santarém e depois Lisboa, para irmos visitar a família, eu gosto desses encontros, sinto-me especial”, conta.

Leonor, portadora de trissomia 21, recorda que sempre ouviu dizer que era “especial”.

“Os meus pais dizem: quando nasceste foste muito especial para nós, e fiquei toda derretida porque eu sou muito sensível. Às vezes falo sozinha e pergunto: como consigo ser tão especial para pessoas que tanto amo?”, partilha.

Leonor Belo estuda teatro no Porto, é atriz e a primeira youtuber portuguesa com trissomia 21.

“O que me faz mais feliz na vida é o método de ser atriz porque amo interpretar, adoro transmitir sentimentos, gosto de sentir e de tentar que os outros sintam o que eu sinto”, afirma.

A entrevistada diz ainda que ser voluntária da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 tem sido “magnífico”.

“É surpreendente ser voluntária da JMJ, nunca tinha feito e quero muito em 2023 estar com outros jovens e conhecer pessoas novas”, assinala.

Para o seu canal de Youtube, “inspirado em youtubers brasileiras”, Leonor cria “vídeos com temas diferentes”, ajudada pela mãe e pelos irmãos. 

“Eu não sou o que quero ser, eu sou o que consigo ser, o que me faz crescer, tudo o que gosto eu consigo ser… ouvi uma atriz brasileira a dizer esta frase e gostei”, aponta.

A entrevista integra o programa de rádio ECCLESIA, deste sábado, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, pelas 06h00, na Antena 1 da rádio pública, ficando depois disponível online e em podcast

SN

Partilhar:
Share