Colégio Marista de Carcavelos tem presépio que “dá catequese” aos alunos

Foto: AE/SN

Lisboa, 13 dez 2019 (Ecclesia) – O irmão Jaime Barbosa elabora a cada ano um presépio com várias cenas, no Colégio Marista de Carcavelos, uma “aventura” que se torna uma “catequese” para os alunos. 

“Todos os bocadinhos que tenho aproveito para ir compondo o presépio e vai nascendo… Criam-se momentos fantásticos à volta do presépio que vou construindo, desde as ferramentas que uso ali ao pé dos alunos, às cenas que ali vou colocando… E depois faço uma espécie de visitas guiadas aos presépio”, conta à Agência ECCLESIA. 

Desde as caixas que vai dispondo junto às salas de aulas, à elaboração das cenas em madeira com movimentos e luz, tudo vai sendo elaborado junto dos alunos em horas de almoço e fins de tarde. 

O presépio é montado junto às salas do primeiro ciclo, que são crianças com idades entre os 6 e os 10 anos, com “muita curiosidade”. Ali estava o irmão sentado numa mesa redonda, rodeado por crianças e com a caixa de ferramentas aberta para fazer mais uma instalação elétrica. 

“É fantástico ver a cara das crianças mas também os pais e mães que chegam e fazem aquela cara de maravilhados quase incrédulos, como se fosse a parte de criança que temos e que fica maravilhada”, relata.

Este ano o presépio contou com uma nova cena que tem “deliciado os mais novos” e suscitado muitas questões.

“A cena da avó que está a ler o livro ao neto é nova deste ano e as crianças adoram… há outra cena que é o recenseamento, motivo pelo qual Maria e José foram a Belém, e que ali no presépio é um senhor a escrever e eu vou explicando”, conta o irmão marista. 

Jaime Barbosa, natural da zona de Barcelos, chegou ao colégio de Carcavelos há cinco anos e deparou-se com a “oportunidade de fazer um presépio diferente”, tinha estado num colégio em Espanha onde era tradição a elaboração e montagem do presépio “gigante”.

“No primeiro ano estava desesperado, não havia nada mas quando comecei a fazer algumas coisas as pessoas foram trazendo antigas coisas que estavam nas arrecadações do colégio…”, recorda.

Além do tradicional musgo junta espumas, esferovite, vários tipos de tinta, guache, papel e colas e ainda dá um toque ecológico ao presépio “reutilizando materiais” que encontra no colégio.

Já para as partes mais técnicas o irmão Jaime recorre ao Youtube para “acompanhar os tutoriais, seja para a parte elétrica, seja para o uso de espuma e esferovite”. 

Esta época é também de muito trabalho para professor de Educação Moral e Religiosa Católica e a “elaboração do presépio é para si um oásis”.

“Enquanto estou a fazer o presépio só sonho com o que vai ali ficar para surpreender e ter mais significado e ali encontro o sossego porque a confusão à minha volta é muita, todos querem mexer”, conta.

O presépio conta com dezenas de cenas mas as figuras principais, José, Maria e Menino Jesus, são as maiores, factor propositado para que o “foco seja o nascimento de Jesus, tudo o resto é cenário e vida à volta”.

“O nosso fundador, São Marcelino Champagnat, dizia que os irmãs maristas tinham de ser os primeiros a estar junto ao presépio, ao altar e à cruz, era ali que havia um encontro especial com Jesus e é isso que quero promover também”, assume.

SN

Partilhar:
Share