Nova capela sublinha dimensão central da espiritualidade na proposta escutista

Idanha-a-Nova, 04 ago 2017 (Ecclesia) – A nova Capela do Campo Nacional de Atividades Escutistas (CNAE), em Idanha-a-Nova, é um ponto central para os participantes no23.º Acampamento Nacional (ACANAC), sublinhando a sublinha dimensão central da espiritualidade.

O padre Luís Marinho, assistente do Corpo Nacional de Escutas, disse à Agência ECCLESIA que o espaço de culto, em forma de tenda, responde a uma necessidade sentida há muito tempo, para oferecer “um lugar de encontro com Deus” aos escuteiros.

“A escolha desta forma arquitetónica, que evoca uma tenda, apareceu muito cedo no processo de reflexão”, porque é na tenda que os escuteiros acampam e que “Deus tem o seu lugar de presença no meio do povo”, refere o sacerdote.

A capela está situada num ponto central, com “uma paisagem esplêndida” sobre a natureza circundante”, que inspira a “ver longe, sonhar alto”.

O assistente do Corpo Nacional de Escutas sublinha que a oração não é um acrescento às atividades escutistas, porque estas são vistas num “sentido pleno”, no qual a espiritualidade surge como “elemento agregador”.

“Todo o imaginário pensado para o nosso ACANAC nasce da nossa fé”, acrescenta o padre Luís Marinho.

O 23.º acampamento nacional de escuteiros reúne mais de 21 mil escuteiros sob o lema ‘Abraça o Futuro em defesa da casa comum’, inspirando-se na encíclica ‘Laudato Si’, do Papa Francisco.

Margarida Bizarro, uma das participantes no ACANAC, fala num espaço “muito bonito” e “ajuda a pensar”, destacando o espaço inspirado na espiritualidade de Taizé.

Inês Silva, por sua vez, elogia o local “inspirador”, no qual são convidados a rezar pelas pessoas e unir-se “espiritualmente” a todos os que participam no ACANAC

“A oração é um momento bastante importante, de mais espiritualidade, em que estamos mais calmos, com Deus”, refere.

A Agência ECCLESIA acompanha o quotidiano do campo com reportagens dos participantes, através das suas contas nas redes sociais Instagram e Facebook, com o marcador (hashtag) #livingACANAC.

PR/OC

Partilhar:
Share