Documento enviado à Conferência Episcopal

Foto: Agência ECCLESIA/HM

Lisboa, 09 nov 2021 (Ecclesia) – Um grupo de mais de 240 católicos, incluindo várias figuras públicas, enviaram esta segunda-feira uma carta à Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), pedindo que os bispos apoiem uma investigação independente à questão dos abusos sexuais por membros do clero ou em instituições eclesiais.

“Se essa iniciativa não for tomada, receamos que a inação da CEP seja vista pela sociedade portuguesa como encobrimento”, indica a missiva.

Esta segunda-feira, o presidente da Conferência Episcopal, D. José Ornelas, anunciou a criação de uma comissão nacional para coordenar o trabalho das várias comissões diocesanas de proteção de menores que existem em todo o país.

O organismo terá como objetivo definir critérios e procedimentos comuns às 21 comissões diocesanas.

Os signatários da carta defendem, contudo, que uma “investigação nacional rigorosa, abrangente e verdadeiramente independente” não deve estar a cargo desta comissão nacional.

“É nossa fundamentada convicção que se a CEP não tomar, de imediato, esta iniciativa, nos termos referidos, a investigação acabará por ter lugar por decisão política, o que significará, com toda a certeza, um agravamento de custos reputacionais para a Igreja, mais uma tristeza que todos nós queremos firmemente evitar”, advertem.

Esta segunda-feira, em Fátima, D. José Ornelas afirmou que os bispos católicos assumem como prioridade a proteção das vítimas, em casos de abusos sexuais.

“Faremos tudo para proteger as vítimas, apurar a verdade histórica e impedir estas situações dramáticas que destroem pessoas e contradizem o ser e a missão da Igreja”, indicou, no discurso de abertura da 201ª Assembleia Plenária, que decorre até quinta-feira.

OC

Igreja/Portugal: Proteger as vítimas e «apurar a verdade histórica» são prioridades dos bispos perante casos de abusos sexuais – D. José Ornelas (c/vídeo e fotos)

Partilhar:
Share