Lisboa, 12 Set 2019 (Ecclesia) – A Associação dos Médicos Católicos Portugueses (AMCP) vai realizar o segundo módulo/sessão do Curso de Formação em Ética Médica, a 19 de outubro, no Anfiteatro do Instituto São João de Deus, em Lisboa.

Numa nota enviada à Agência ECCLESIA, a AMCP informa que vão refletir sobre temas como “gerir as pessoas na saúde, com ética e compaixão”, “a objeção de consciência na medicina”.

O programa estabelecido inclui conferências a cargo de especialistas e investigadores portugueses e espanhóis, sobre temas como a relação médico-doente; a objeção da consciência na medicina; as decisões éticas centradas nas famílias; o impacto das notícias falsas (fake news) na saúde; a relação entre a ética médica e a doutrina da Igreja; e a ideologia de género.

Ao trazer o tema da ideologia de género para a ação de formação, a Associação dos Médicos Católicos Portugueses sublinha a importância de se promover na sociedade a harmonia entre a dimensão biológica e a dimensão psicológica/social da identidade sexual.

As situações em que essa harmonia não se verifica – designadas como «disforia de género» – são muito raras e devem ser acompanhadas individualmente por médicos e outros profissionais de saúde competentes e especializados.

A AMCP rejeita a apropriação desta condição médica por uma ideologia sem bases científicas, assente na proposição de que os sexos masculino e feminino são apenas uma construção mental e alerta para os perigos do impacto desta ideologia na educação, na política, na família e em outras áreas da sociedade.

A associação profissional católica considera que em Portugal se corre o risco de se tomarem decisões legislativas que, para além de não trazerem qualquer benefício em termos de saúde para as crianças e adolescentes com «disforia de género», impõem às escolas a doutrinação de professores e alunos com base numa ideologia que promove com radicalismo um mundo assexuado («a utopia do neutro»), desligado da realidade biológica, e que exclui as famílias e os profissionais da medicina de uma área fundamental que é a da identidade sexual humana.

O segundo módulo do Curso de Formação em Ética Médica é “aberto à participação de todos os interessados”, independentemente da área de formação ou profissional e também a estudantes, como na primeira sessão que contou com “uma centena de participantes”, em maio.

A AMCP foi fundada em 1915 encontra-se organizada regionalmente em núcleos que correspondem às dioceses portuguesas.

LFS

Partilhar:
Share