Setúbal, 01 jun 2019 (Ecclesia) – No âmbito do Projeto «Caminhos de Liberdade» vai realizar-se hoje no Centro Social de Nossa Senhora da Paz, em Setúbal, uma sessão de sensibilização sobre voluntariado em contexto prisional.

Esta iniciativa pretende dar “algumas competências no âmbito do voluntariado”, por parte de “voluntários ou candidatos a voluntários ligados à Igreja Católica, no sentido de ir ao encontro do desenvolvimento pessoal e social das pessoas em situação de reclusão e pós reclusão”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Após a sessão de abertura que conta com a presença de Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, e do padre João Gonçalves, coordenador nacional da Pastoral Penitenciária realiza-se, às 10h00, dois painéis em simultâneo: «Ser voluntário em Portugal» (Raquel Gonçalves, Confederação Portuguesa do Voluntariado) e «Pedagogia do Perdão» (António Fernandes, voluntário da Cáritas Portuguesa).

Ainda de manhã, pelas 11h45, haverá mais dois grupos de trabalho: «Ser voluntário em contexto prisional» (Regina Branco, Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais) e «Os reclusos e seus recursos financeiros» (Celso Manata, Procurador da República e ex-Diretor Geral da DGRSP).

«Ser voluntário cristão» é o tema tratado, pelas 14h30, pelo padre João Gonçalves e Paulo Neves, Coordenação Nacional da Pastoral Penitenciária, e algumas associações falam sobre «Voluntariado social nas prisões: partilha experiências», refere a nota.

O Projeto “Caminhos de Liberdade”, cuja entidade promotora é a Cáritas Portuguesa, e que se insere no Protocolo estabelecido entre a Direção Geral da Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) e a Cáritas Portuguesa, assinado em Lisboa, no dia 19 março 2017, tem como finalidade implementar ações capazes de contribuir para a inclusão de pessoas em situação de reclusão e pós reclusão, através do envolvimento de múltiplos parceiros, a começar por uma rede de voluntários ligados à Igreja Católica.

LFS

Partilhar:
Share