D. António Moiteiro diz que é preciso ir ao encontro dos jovens onde eles estão e pede que cada «paróquia, comunidade ou movimento» crie «mecanismos de evangelização»

Aveiro, 07 nov 2019 (Ecclesia) – O pré-Seminário da diocese de Aveiro promove um dia aberto, marcado para 30 de Novembro, entre as 9h30 até às 18 horas, para acolher “rapazes, raparigas, pais, catequistas e demais interessados” que queiram conhecer a proposta de discernimento vocacional.

Destinado, inicialmente, a “rapazes do 5º e 6º anos”, a diocese quis este ano abrir “a raparigas que assim queiram ter um tempo de visita ao Seminário e de proposta vocacional”, contando para o acompanhamento com a presença das Irmãs do Amor de Deus.

“Não raras vezes a Equipa do Pré-Seminário era abordada no sentido de saber o que havia para as raparigas”, manifesta um comunicado enviado à Agência ECCLESIA dando conta que se trata de “um encontro, que embora sendo numa idade precoce, é essencial ao funcionamento do pré-seminário”.

A Igreja católica, em Portugal, celebra entre 10 e 17 de novembro a Semana dos Seminários, propondo subsídios elaborados, este ano, pela diocese de Aveiro.

D. António Moiteiro assina uma nota pastoral onde afirma ser fundamental para “corresponder à vocação” uma “formação” para que cada pessoa possa “dar razões da sua fé e das suas opções”.

“O futuro joga-se no modo como propomos itinerários de formação cristã, uma formação capaz de mudar mentalidades. O Seminário é o espaço necessário para o discernimento e para uma sólida configuração com Cristo, que é favorecido pela vida comunitária que ajuda cada um na descoberta de si mesmo e do outro”, explica o bispo de Aveiro.

Num mundo “autossuficiente” torna-se necessário “ir ao encontro dos jovens onde eles se encontrem”, “escutar o que têm para dizer e também as suas críticas”, ajudando-os “a discernir a sua vocação e a viverem felizes”.

“Não existem jovens perfeitos, mas não é preciso ter medo da imperfeição, da fragilidade, nem mesmo dos conflitos; preciso é aprender a enfrentá-los de forma construtiva”, indica.

O bispo de Aveiro pede que cada paróquia, comunidade ou movimento eclesial “crie mecanismos de evangelização que interajam com o universo dos jovens” pois, acredita D. António Moiteiro, “uma vez evangelizado, o jovem será o melhor evangelizador de outro jovem”.

Também os sacerdotes, “com o seu estilo de vida” como na sua forma de “ser pastor” são “fundamentais no despertar de novas vocações ao sacerdócio”, finaliza.

LS

Partilhar:
Share