«Queremos ser uma comunidade inclusiva» – Padre Amaro Gonçalo

Matosinhos, 01 mar 2020 (Ecclesia) – O pároco de Nossa Senhora da Hora, na Diocese do Porto, vai contar a partir de hoje com a “colaboração de um intérprete” de Língua Gestual Portuguesa (LGP) na Missa dominical das 19h00.

Em informação enviada à Agência ECCLESIA, o padre Amaro Gonçalo explica que a Missa com interpretação em Língua Gestual Portuguesa vai começar por realizar-se no primeiro domingo de cada mês, já a partir de março.

“Se crescer o interesse e participação das pessoas com deficiência auditiva, esta oferta poderá alargar-se a outros domingos”, acrescenta o sacerdote

O pároco de Nossa Senhora da Hora explica que a Eucaristia com interpretação LGP surge de uma parceria entre a paróquia da Diocese do Porto e a Associação de Tradutores e Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa.

“Queremos ser uma comunidade inclusiva”, afirma o padre Amaro Gonçalo.

A Igreja Católica em Portugal, através das dioceses, instituições e santuários, tem-se mostrado atenta às pessoas portadoras de deficiência e promove celebrações e catequeses com intérpretes de LGP.

Por exemplo, a Paróquia de Santa Cruz da Lagoa, na Diocese de Angra, tem um Serviço Pastoral de Apoio a Pessoas Surdas, com interpretes em LGP que participam na catequese, Missas e, atualmente, disponibiliza também o Evangelho online; Na Arquidiocese de Braga, a Basílica dos Congregados lançou uma app com “pequenas orações e conteúdos doutrinais” em LGP, pelo Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa 2018 e já tinha um intérprete de Língua Gestual Portuguesa na catequese de adultos e na Eucaristia dominical das 12h00.

Na televisão, o programa ECCLESIA (RTP2) apresenta o Evangelho que vai ser proclamado nas celebrações de cada domingo em Língua Gestual Portuguesa, desde 16 de fevereiro de 2018; a transmissão de ‘A Fé dos Homens’, onde se inclui o programa da Igreja Católica, conta com interpretação em LGP desde janeiro de 2017

A Língua Gestual Portuguesa está incluída na Constituição da República como uma das línguas oficiais portuguesas desde 15 de novembro de 1997 e o seu dia nacional, assinalado hoje, pretende promover a LGP e garantir o respeito dos direitos das pessoas surdas.

A língua gestual é a forma de comunicação produzida a partir dos movimentos das mãos, do corpo e expressões faciais, e tem um vocabulário especial e uma gramática própria.

Em Portugal, os Censos de 2001 registaram 84 172 deficientes auditivos e segundo o Inquérito Nacional de Incapacidades, Deficiências e Desvantagens de 1996, publicado pelo Instituto Nacional para a Reabilitação, existiam cerca 115 066 pessoas com deficiência auditiva e 19 172 com surdez.

CB

Partilhar:
Share