Lisboa, 29 set 2020 (Ecclesia) – A Igreja católica assinala o mês de outubro missionário e convida à participação de um ciclo de conferências, «A falta que um rosto faz!», onde o cardeal José Tolentino Mendonça e o bispo de Lamego irão participar.

“Neste momento de pandemia que vivemos, a tempestade que vivemos é inesperada e realmente estamos a sentir a falta e proximidade do rosto do outro. É uma oportunidade para repensar que sem o outro não fazemos sentido, deixamos de ter sentido. É em redação com o outro que ganhamos valor”, explica à Agência ECCLESIA o padre Simão Pedro, presidente dos Animadores Missionários dos Institutos Missionários Ad Gentes, ANIMAG, que está a organizar o mês que a Igreja católica dedica às missões.

A primeira conferência, na noite de 1 de outubro, vai ter como orador D. António Couto, bispo de Lamego, que vai partir da mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões 2020, e “refletir sobre a transformação «de “eu” para “eis-me aqui!”»”.

No dia 8, a encenadora Matilde Trocado vai refletir sobre «As Expressões de Proximidade”.

A especialista em Intervenção Social, Rita Valadas é a conferencista convidada da sessão seguinte, no dia 15, para refletir sobre o tema «O outro diante de mim».

O professor da Universidade Católica, Juan Ambrósio, será o convidado na sessão no dia 22 dedicada a «Desmascarar a missão».

O ciclo de conferências termina na noite de 29 de outubro, com o cardeal, teólogo e poeta, D. José Tolentino Mendonça, que convida a refletir sobre «As palavras da missão».

As conferências realizam-se todas as quintas-feiras, às 21 horas, sendo a participação “aberta e gratuita, mediante inscrição prévia, até 31 de setembro”, explica a organização.

Esta iniciativa resulta de uma parceria dos Institutos Missionários Adgentes (IMAG) e dos ANIMAG (Animadores dos Institutos Missionários Adgentes), em colaboração com as Obras Missionárias Pontifícias (OMP).

O Guião Missionário 2020/2021 apresenta, nas suas sugestões, uma reflexão sobre economia e ecologia, a partir do pensamento do Papa.

“Pensar na origem do que consumimos diariamente, na relação com os companheiros de missão e comunidade que integramos, como integramos todo este estilo de vida nas atividades pastorais são algumas das dimensões a ter em conta, quando se quer experimentar vida e missão integradas”, pode ler-se.

A celebração do Dia Mundial das Missões acontece anualmente no terceiro domingo de outubro (18 de outubro, em 2020); os donativos recolhidos nas missas destinam-se a apoiar o trabalho das OMP.

Na sua mensagem para o 94.º Dia Mundial das Missões, o Papa assume que a pandemia de Covid-19 deve ser um “desafio também para a missão da Igreja”.

“Desafia-nos a doença, a tribulação, o medo, o isolamento. Interpela-nos a pobreza de quem morre sozinho, de quem está abandonado a si mesmo, de quem perde o emprego e o salário, de quem não tem abrigo e comida”, escreve Francisco, num texto com o título ‘Eis-me aqui, envia-me’.

OC/LS

Partilhar:
Share