Guarda, 09 out 2019 (Ecclesia) – As Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus promovem as jornadas ‘Saber Envelhecer’, sobre o tema ‘Cuidados humanizados, porque cuidar é humano’, dia 10 e 11 de outubro, no auditório da Casa de Saúde Bento Menni, na Guarda.

Um comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, pela Diocese da Guarda, informa que esta iniciativa de cariz científico vai abordar temáticas importantes “para a comunidade em geral, como para aqueles que desenvolvem o seu estudo ou atividade profissional na área do envelhecimento”.

As jornadas começam com a conferência ‘Plano estratégico para as demências na zona Centro’, pelo psiquiatra Horácio Firmino, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, esta quinta-feira, às 09h30.

Segundo o programa, segue-se a primeira mesa-redonda sobre ‘Boas práticas transfronteiriças’, com diversos casos, e moderação da diretora da Escola Superior de Saúde da Guarda – Instituto Politécnico da Guarda, Paula Pissarra.

Durante a tarde, às 14h30, destaca-se o tema-pergunta “é possível Saber Envelhecer e prevenir a doença de Alzheimer?” com o neurologista André Leitão, do Centro Hospitalar Universitário Cova da Beira, Covilhã; E depois duas mesas-redondas, sobre ‘Cuidados médicos’, às 15h10, e outra centrada em “boas práticas na Beira Interior”, a partir das 16h45.

O segundo dia da sexta edição das jornadas ‘Saber Envelhecer’, sobre o tema ‘Cuidados humanizados, porque cuidar é humano’, começa com a conferência do pediatra Filipe Almeida que vai falar da “humanização dos cuidados em saúde”.

O programa no dia 11 continua com a mesa-redonda sobre ‘Cuidados de proximidade’, às 10h40, e, durante a tarde, os participantes assistem à conferência ‘Intervenção terapêutica farmacológica preventiva em estádios iniciais da demência – prós e contras’, com o subdiretor médico do Hospital Sagrat Cor de Martorell – Barcelona, Manel Sanchez Perez, e a três workshops: “Projectos de Vida no Envelhecer”, “Desnutrição e disfagia no idoso” e “Cuidados com a Oxigenoterapia no idoso”.

As Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus estão em Portugal há 125 anos e prestam cuidados de saúde em particular nas áreas da Psiquiatria e Saúde Mental; ao longo dos anos foram contemplando outras áreas como a reabilitação psicossocial, a psicogeriatria e gerontopsiquiatria, a toxicodependência e os cuidados paliativos, em 12 centros assistenciais, no continente e nos arquipélagos da Madeira e dos Açores, apoiadas por dois mil colaboradores.

A congregação religiosa, que está em 27 países de quatro continentes, foi fundada a 31 de maio de 1881, em Ciempozuelos – Espanha, por S. Bento Menni; acompanhado por Maria Josefa Récio e Maria Angustias Giménez, e chegou a Portugal em 1894, onde abriu o primeiro centro assistencial em Belas – Sintra.

CB/OC

Partilhar:
Share