Coimbra, 13 Jan 2019 (Ecclesia) – No dia 16 de janeiro de 2020, assinalam-se os 800 anos do martírio dos cinco frades franciscanos, cujas relíquias foram recebidas no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, ainda em 1220, e dão sentido às manifestações devocionais em torno dos Santos Mártires de Marrocos, até ao dia de hoje.

Para assinalar a efeméride realiza-se o colóquio Mártires de Marrocos. Evocação dos 800 Anos do Martírio, assente “na convergência de diferentes abordagens ao tema, no âmbito da História, da História da Arte, da Filologia e da Antropologia”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Esta iniciativa realiza-se no Colégio de Santo António da Pedreira, em Coimbra.

Na primeira sessão – “História e Memória” – vão ser analisados o contexto histórico do Reino de Portugal e o enquadramento urbano e eclesiástico da cidade de Coimbra, no século XIII.

A segunda sessão – “Espiritualidade e Materialidade” – vai trazer estudos sobre a espiritualidade Franciscana e Mendicante, em franca expansão nesse período, sobre os textos hagiográficos responsáveis pela fixação dos modelos da iconografia dos Santos Mártires, que permitem explicar a evolução do culto das suas relíquias, e sobre os restos ósseos preservados na arca relicário desses santos e analisados pela osteologia, lê-se no programa

Também nesta quinta-feira, dia 16, a Igreja de Santa Cruz acolhe, pelas 11h00, a Missa com a Família Franciscana.

No dia em que se assinalam os 800 anos do Martírio, as três ordens franciscanas (Frades Menores, Conventuais e Capuchinhos) reúnem-se para celebrar o testemunho de fé dos seus primeiros confrades martirizados.

LFS

PROGRAMA do COLÓQUIO

Partilhar:
Share