Faro, 16 abr 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai presidir à Procissão do Enterro do Senhor, das “mais imponentes manifestações litúrgicas” nesta diocese, dinamizada pela Santa Casa da Misericórdia de Faro, a partir das 21h00 desta Sexta-feira Santa.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano indica que D. Manuel Quintas vai pronunciar o sermão à saída do préstito da igreja da Misericórdia, junto ao Jardim Manuel Bivar.

O início da Procissão do Enterro do Senhor conta com a participação de militares da GNR a cavalo e um friso de tochas, segue-se a matraca, “que simboliza as ondas de ódio amontoadas pelos judeus à volta de Cristo”.

Depois, a “certa distância”, o guião ladeado por duas lanternas, a alguns metros a iniciar as alas os balandraus com tochas, a cruz com o lençol pendurado e entre as alas, o “tumbinho” carregando o corpo de Cristo, debaixo do pálio.

Os três andores no meio na procissão têm as imagens de Nossa Senhora, do apóstolo João e de Maria Madalena, que permaneceram junto à cruz.

A Santa Casa da Misericórdia de Faro “sugere e agradece” aos moradores das habitações onde vai passar o cortejo que “coloquem colchas, colgaduras ou panejamentos” nas janelas para a passagem da procissão, onde participam diversas autoridades eclesiásticas, civis e militares.

A manifestação religiosa conhecida popularmente como ‘Procissão do Senhor Morto’ vai ter como itinerário: Praça D. Francisco Gomes, Rua 1º de Maio, Rua Lethes, Rua Sacadura Cabral, Largo 25 de Abril, Rua Mouzinho de Albuquerque, Rua João de Deus, Largo dos Combatentes (junto ao Tribunal), Rua de Santo António, Rua D. Francisco Gomes, igreja da Misericórdia.

O jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ contextualiza que as celebrações da Semana Santa em Faro remontam a 1678, ressaltando pela sumptuosidade a tradicional Procissão do Enterro do Senhor, evocando a paixão de Cristo, sendo as ruas ricamente decoradas e as varandas e janelas adornadas com colchas e velas acesas para acolher o cortejo.

A Procissão do Enterro do Senhor é uma das manifestações religiosas “com maior expressão no Algarve”, depois da Nossa Senhora da Piedade – a Mãe Soberana – e da Festa das Tochas Floridas.

CB

 

Partilhar:
Share