Calendário

Mai
16
Dom
Comunicações Sociais: Papa Francisco convida jornalistas a irem ao encontro do mundo real
Mai 16 todo o dia

Lisboa, 26 abr 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco convida os media a irem ao encontro do mundo real na mensagem do Dia Mundial das Comunicações Sociais que se celebra a 16 de maio.

Na mensagem, o papa argentino alerta também para os perigos de uma manipulação de informação nas plataformas digitais.

A mensagem para o 55.º Dia Mundial das Comunicações Sociais (16 de maio de 2021) tem como tema ‘«Vem e verás» (Jo 1, 46). Comunicar encontrando as pessoas onde estão e como são’.

“Tornaram-se evidentes, para todos, os riscos duma comunicação social não verificável. Há tempo que nos demos conta de como as notícias e até as imagens são facilmente manipuláveis, por infinitos motivos, às vezes por um banal narcisismo”, indica o texto, divulgada pelo Vaticano.

Francisco defende uma comunicação “transparente e honesta”, “tanto na redação dum jornal como no mundo da web, tanto na pregação comum da Igreja como na comunicação política ou social”.

O texto destaca a importância de “maior capacidade de discernimento e a um sentido de responsabilidade mais maduro”, na difusão e receção de conteúdos.

LFS/OC

Media: Papa alerta para riscos de manipulação de informação nas plataformas digitais

Vaticano: Papa desafia media a sair das redações ao encontro do mundo real, em tempo de pandemia

 

Fev
17
Qui
Igreja: Vaticano promove simpósio internacional sobre o sacerdócio
Fev 17 todo o dia

Cidade do Vaticano, 12 abr 2021 (Ecclesia) – O Vaticano vai promover 17 a 19 de fevereiro de 2022 um Simpósio Teológico Internacional sobre o sacerdócio, organizado pela Congregação para os Bispos, que foi apresentado hoje em conferência de imprensa.

A iniciativa visa promover uma reflexão global e alargada sobre a missão do clero católico, procurando aprofundar “a importância da comunhão entre as diferentes vocações na Igreja”, disse aos jornalistas o prefeito da Congregação para os Bispos, cardeal Marc Ouellet.

O colaborador do Papa especificou que a questão do celibato “é importante e será abordada”, à imagem do que aconteceu no recente Sínodo especial para a Amazónia (2018), mas “não será a questão central do simpósio”.

Segundo o responsável, é preciso recuperar a dimensão sacerdotal de cada batizado, como sublinhou o Concílio Vaticano II (1962-1965), “partindo não da organização e distribuição de funções, mas do mistério da Igreja”.

O Vaticano quer reunir delegações nacionais e diocesanas de todos os continentes, durante três dias, com vários temas específicos: tradição e novos horizontes; Trindade, missão, sacramentalidade; celibato, carisma, espiritualidade.

OC