Calendário

Jan
16
Qui
Guiné-Bissau: Jornada Mundial da Juventude 2022 apresentada aos bispos lusófonos
Jan 16_Jan 21 todo o dia
Guiné-Bissau: Jornada Mundial da Juventude 2022 apresentada aos bispos lusófonos

Em encontro dedicado ao «diálogo inter-religioso na construção da paz e no desenvolvimento» inicia esta quinta-feira

Lisboa, 16 jan 2020 (Ecclesia) – O bispo D. Joaquim Mendes, coordenador-geral da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2022, vai apresentar este encontro aos bispos dos países lusófonos que reúnem, a partir de hoje, na Guiné-Bissau.

“Os países lusófonos vão estar muito envolvidos na preparação [JMJ] e há a possibilidade dos símbolos das jornadas [cruz e ícone] passarem nalguns países lusófonos”, disse o secretário e porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), padre Manuel Barbosa, aos jornalistas no fim da última reunião do Conselho Permanente.

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude são uma cruz de madeira e um ícone de Nossa Senhora que têm percorrido os cinco continentes, numa iniciativa que nasceu por vontade de São João Paulo II.

No próximo domingo de Ramos, 5 de abril, a cruz e ícone vão ser entregues a uma representação portuguesa com 200 a 300 jovens de todas as dioceses de Portugal, pelo Papa Francisco, no Vaticano.

O Comité Organizador Local da Jornada Mundial da Juventude 2022 é presidido pelo cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, que nomeou como coordenadores-gerais dois bispos auxiliares: D. Joaquim Mendes para a área pastoral e D. Américo Aguiar para o setor logístico-operativo.

O Encontro dos Bispos dos Países Lusófonos realiza-se de dois em dois anos num país diferente e o padre Manuel Barbosa contextualizou que é uma ocasião de “partilha das realidades eclesiais e sociais de cada país”.

No 14º Encontro, que decorre a partir desta quinta-feira entre representantes da Igreja Católica nos países Lusófonos, vão estar de Portugal o presidente e o secretário da CEP, D. Manuel Clemente e padre Manuel Barbosa, respetivamente, para além de D. Joaquim Mendes.

‘Diálogo inter-religioso na construção da paz e no desenvolvimento dos países lusófonos’ é o tema que reúne os bispos a partir de hoje, até 21 de janeiro, na Guiné-Bissau.

O anterior Encontro de Bispos dos Países Lusófonos decorreu em Cabo Verde e reuniu representantes de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe, que apelaram ao Vaticano para uma valorização da língua portuguesa em particular pelo uso oficial no Sínodo dos Bispos.

CB/PR

Fev
23
Dom
Migrações: Papa vai a Bari para encontro sobre a paz no Mediterrâneo
Fev 23@9:45

Francisco preside a Missa no dia 23 de fevereiro

Cidade do Vaticano, 06 jan 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco vai presidir no dia 23 de fevereiro, pelas 10h45 (menos uma em Lisboa), a uma Missa, por ocasião do encontro de reflexão e espiritualidade ‘Mediterrâneo, fronteira de paz’.

A iniciativa, na cidade do sul de Itália, vai reunir bispos da Europa, Ásia e África para falar sobre as migrações, a partir do dia 18 do próximo mês.

“O tema central será a migração, mas também vão ser analisados argumentos como a justiça social, a vida eclesial, os jovens, o desenvolvimento, o diálogo entre as várias confissões cristãs e com outras denominações religiosas pela reconciliação entre os povos”, avança o portal ‘Vatican News’.

Para o encontro de cinco dias são esperados “cerca de 100 bispos, representantes de Igrejas católicas de 19 países da Europa, Ásia e África”, estando prevista uma “dinâmica sinodal, com assembleias e círculos menores”.

A reflexão será feita “à porta fechada”, estando previstas conferências de imprensa diárias.

“Os bispos ainda são convidados a celebrar Missas nas paróquias da cidade para encontrar a comunidade local”.

LS/OC