Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Dez
14
Sáb
Porto: D. António Couto e Fernando Santos dão testemunhos de fé
Dez 14 todo o dia

Porto, 25 nov 2019 (Ecclesia) – O selecionador nacional de futebol, Fernando Santos, e D. António Couto, bispo de Lamego, vão dar «Testemunhos de Fé», dia 14 de dezembro, em Marco de Canaveses, Diocese do Porto.

O evento é organizado pela Casa do Povo de Vila Boa do Bispo e na palestra os dois intervenientes explicam as razões da sua fé em Jesus Cristo, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

LFS

Lisboa: A secular tradição da cultura madeirense, «Missa do Parto», em Alfragide
Dez 14@6:30

Lisboa, 02 dez 2019 (Ecclesia) – A Paróquia de Alfragide, Lisboa, promove a celebração, na Igreja da Divina Misericórdia, dia 14 de dezembro, às 06h30, de uma «Missa do Parto», uma secular tradição da religiosidade popular e da cultura madeirense.

A iniciativa partiu dum grupo de católicos madeirenses, há seis anos, e foi acolhida pela comunidade paroquial e “vai já no seu quarto ano” e “tem vindo a contar com um número crescente de participantes”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

As «Missas do Parto» invocam, nos nove dias que antecedem o Natal, o bom parto da Virgem Maria, que há-de dar à luz o Menino Jesus.

O facto de serem celebradas tão cedo, ainda antes do nascer do sol, ficava a dever-se a uma “preocupação prática de não interferir com o trabalho nos campos, que começava cedo, e ao simbolismo da preparação da celebração de Jesus que nasce para ser a Luz do mundo”, lê-se na nota

Estas celebrações são “muito participadas” com um “cunho muito próprio no que se refere, por exemplo, ao canto e à música”.

Além disso, no final da missa, ocorre tradicionalmente um momento de convívio com beberes e comeres quentes típicos da Madeira.

LFS

Igreja/Música: Concerto de Natal da Academia de Música de Santa Cecília
Dez 14@21:00

Lisboa, 14 nov 2019 (Ecclesia) – A Basílica do Palácio Nacional de Mafra vai acolher, dias 14 e 15 de dezembro, às 21h00, o 3º Concerto de Natal da Academia de Música de Santa Cecília (Lisboa).

Neste concerto participa um coro “constituído por 250 crianças e jovens dos 10 aos 17 anos e uma orquestra de cordas de alunos da escola, a soprano Ana Paula Russo e ainda o conjunto, único no mundo, dos seis órgãos da Basílica de Mafra”, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

No programa estão representados vários compositores nacionais e estrangeiros, destacando-se a obra «Seus braços dão Vida ao mundo», sobre um poema de José Régio, da autoria da jovem Francisca Pizarro, aluna finalista do Curso Secundário de Composição da Academia de Música de Santa Cecília.

Este evento assume especial importância não apenas pela singularidade do conjunto dos seis órgãos do Palácio Nacional de Mafra, mas também pelo elevado número de jovens músicos envolvidos.

A Academia de Música de Santa Cecília é uma escola de ensino integrado de música, com um modelo de ensino que, pela sua estrutura e qualidade, potencia o prosseguimento de estudos a nível superior nas mais variadas áreas, musicais ou outras.

LFS

Igreja/Natal: Encontro de cantares ao Menino com folclore em Alfragide
Dez 14@21:00

Lisboa, 03 Dez 2019 (Ecclesia) – O Grupo Danças e Cantares Alto do Moinho organiza, dia 14 deste mês, às 21h00, na Igreja da Divina Misericórdia de Alfragide (Patriarcado de Lisboa), o IIº Encontro de Cantares ao Menino.

Neste evento vão participar, para além do grupo organizador, O Rancho Folclórico “As Mondadeiras” da Casa Branca (Alentejo); Rancho Folclórico “Os Camponeses” de São Francisco (Estremadura Sul) e Grupo Danças e Cantares do Clube do Novo Banco – Besclore (Minho), realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Este encontro de cantares ao Menino vai trazer uma tradição secular à Cidade da Amadora.

LFS

Porto: Jovens promovem encontro ecuménico de cantares de Natal
Dez 14@21:30

Porto, 12 nov 2019 (Ecclesia) – O Grupo de Jovens de Moreira da Maia (Diocese do Porto) promove, dia 14 de dezembro, pelas 21h30, um “novo projeto” que se traduz na realização de um encontro ecuménico de cantares de Natal.

Este encontro, no Mosteiro de Moreira da Maia, pretende ser uma “oportunidade única” para se desfrutar de “boa música e de um excelente espírito de convívio”, salienta um comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

Através desta atividade, o grupo de jovens tem como objetivo “oferecer” à comunidade e aos jovens, “de qualquer sensibilidade cristã, um espaço de encontro, conhecimento e partilha, através da música”, lê-se.

LFS

Dez
15
Dom
Braga: Presépio ao vivo de Priscos ajuda na inclusão de reclusos
Dez 15 todo o dia

Braga, 25 nov 2019 (Ecclesia) – O projeto «Mais Natal Priscos» daquela paróquia da Arquidiocese de Braga dá trabalho há 5 anos a reclusos do Estabelecimento Prisional da cidade e vai estar patente ao público de 15 de dezembro a 12 de janeiro.

No âmbito de um protocolo assinado entre a paróquia e a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), o padre João Torres, responsável pelo projecto «Mais Natal Priscos» e pároco de Priscos, considera que se trata de uma iniciativa inovadora “para dar mais dignidade à vida dos reclusos”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A reintegração social de reclusos “necessita de mais recursos humanos, tecnológicos, mais programas e, sobretudo mais financiamento para que os reclusos consigam refletir sobre a vida no geral, mas essencialmente acerca dos motivos que os levaram a cometer crimes e repensar nos objetivos para o futuro”.

No «Presépio ao Vivo de Priscos», os reclusos cumprem um horário de trabalho entre as 08h30 e as 17h00 e são acompanhados por um guarda prisional.

O sacerdote anunciou que os dividendos tirados da solidariedade dos visitantes do Presépio ao Vivo e «a ajuda preciosa» da Câmara de Braga, através do Orçamento Participativo suportam o pagamento aos reclusos, para compensar o trabalho prestado por cada um, na proporção do esforço despendido e em função do número de dias de trabalho.

São cerca de 800 os participantes que dão vida a uma história sempre antiga e sempre nova.

É um espaço com cerca de 30.000 m2 de ocupação e com mais de 90 cenários, com referência às culturas egípcia, judaica, romana, assíria, grega e babilónica.

“Não faltam muitos dos ofícios que existiam no tempo de Jesus: os ferreiros a forjarem e a temperar o ferro, o sapateiro a concertar sandálias rompidas, serradores que cortam lenha, camponeses a organizarem as ferramentas de trabalho, a tecedeira no tear a jogar fios de lã, o oleiro a moldar o barro, a padeira a amassar a farinha, entre tantos outros cenários da época, e, claro, a família de Nazaré a ser família diante das sombras do seu tempo…”, lê-se

LFS

Igreja/Natal: Grupo de jovens «Fé e Obras» faz o «Presépio Vivo de Poiares»
Dez 15 todo o dia

Porto, 27 nov 2019 (Ecclesia) – O grupo de jovens «Fé e Obras» promove mais uma edição do «Presépio Vivo de Poiares» nos dias 08, 15 e 22 de dezembro e 05 de janeiro que terá lugar na antiga Escola Primária de Poiares (Peso da Régua), Diocese do Porto.

As várias sessões (08, 15 e 22 de dezembro e 05 de janeiro) decorrem sempre entre as 15h30 e as 17h30, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O objetivo deste presépio vivo, visa “colocar Jesus menino no centro do natal de cada um”.

Ali concretiza-se o “mistério cristão” que se desenvolve “num ambiente de alegria” e este presépio mostra “a relação que existe entre Cristo que nasce” e das pessoas que o acolhem de “braços abertos”.

O presépio mostra “todas as cenas bíblicas que antecedem o nascimento do Menino e também o que lhe sucede com a representação de várias cenas e ambientes típicos da época e a participação de mais de uma centena de figurantes”.

LFS

Igreja/Música: Concerto de Natal da Academia de Música de Santa Cecília
Dez 15@21:00

Lisboa, 14 nov 2019 (Ecclesia) – A Basílica do Palácio Nacional de Mafra vai acolher, dias 14 e 15 de dezembro, às 21h00, o 3º Concerto de Natal da Academia de Música de Santa Cecília (Lisboa).

Neste concerto participa um coro “constituído por 250 crianças e jovens dos 10 aos 17 anos e uma orquestra de cordas de alunos da escola, a soprano Ana Paula Russo e ainda o conjunto, único no mundo, dos seis órgãos da Basílica de Mafra”, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

No programa estão representados vários compositores nacionais e estrangeiros, destacando-se a obra «Seus braços dão Vida ao mundo», sobre um poema de José Régio, da autoria da jovem Francisca Pizarro, aluna finalista do Curso Secundário de Composição da Academia de Música de Santa Cecília.

Este evento assume especial importância não apenas pela singularidade do conjunto dos seis órgãos do Palácio Nacional de Mafra, mas também pelo elevado número de jovens músicos envolvidos.

A Academia de Música de Santa Cecília é uma escola de ensino integrado de música, com um modelo de ensino que, pela sua estrutura e qualidade, potencia o prosseguimento de estudos a nível superior nas mais variadas áreas, musicais ou outras.

LFS

Dez
16
Seg
Coimbra: Cáritas diocesana promove campanha «Natal Solidário»
Dez 16 todo o dia

Coimbra, 04 Dez 2019 (Ecclesia) – A Cáritas Diocesana de Coimbra, através do seu Centro de Apoio Social (CAS), está a promover a campanha «Natal Solidário 2019», que este ano decorre até ao dia 16 de dezembro.

Esta iniciativa anual é “já uma tradição do CAS”, que pretende, desta forma, angariar “bens para rechear os cabazes de Natal que serão entregues a cerca de 200 famílias em situação de carência económica”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Em 2018, a Cáritas Diocesana de Coimbra conseguiu angariar “produtos suficientes para compor cabazes que chegaram a 205 famílias”.

A generosidade da comunidade permitiu apoiar no total 645 pessoas, destacando as 260 crianças que receberam um presente, lê-se na nota

Os cabazes serão compostos por diversos bens, como: açúcar, farinha, azeite, óleo, atum, salsichas, feijão/grão, produtos hortícolas, leite, bolachas, cereais, queijo, compota/mel, bolo-rei, bacalhau e produtos de higiene.

A pensar nos mais novos, a Cáritas Diocesana de Coimbra também recebe brinquedos/presentes para colocar nos cabazes das famílias com filhos.

LFS

Dez
19
Qui
Braga: Presépio ao vivo de Priscos ajuda na inclusão de reclusos
Dez 19 todo o dia

Braga, 25 nov 2019 (Ecclesia) – O projeto «Mais Natal Priscos» daquela paróquia da Arquidiocese de Braga dá trabalho há 5 anos a reclusos do Estabelecimento Prisional da cidade e vai estar patente ao público de 15 de dezembro a 12 de janeiro.

No âmbito de um protocolo assinado entre a paróquia e a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), o padre João Torres, responsável pelo projecto «Mais Natal Priscos» e pároco de Priscos, considera que se trata de uma iniciativa inovadora “para dar mais dignidade à vida dos reclusos”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A reintegração social de reclusos “necessita de mais recursos humanos, tecnológicos, mais programas e, sobretudo mais financiamento para que os reclusos consigam refletir sobre a vida no geral, mas essencialmente acerca dos motivos que os levaram a cometer crimes e repensar nos objetivos para o futuro”.

No «Presépio ao Vivo de Priscos», os reclusos cumprem um horário de trabalho entre as 08h30 e as 17h00 e são acompanhados por um guarda prisional.

O sacerdote anunciou que os dividendos tirados da solidariedade dos visitantes do Presépio ao Vivo e «a ajuda preciosa» da Câmara de Braga, através do Orçamento Participativo suportam o pagamento aos reclusos, para compensar o trabalho prestado por cada um, na proporção do esforço despendido e em função do número de dias de trabalho.

São cerca de 800 os participantes que dão vida a uma história sempre antiga e sempre nova.

É um espaço com cerca de 30.000 m2 de ocupação e com mais de 90 cenários, com referência às culturas egípcia, judaica, romana, assíria, grega e babilónica.

“Não faltam muitos dos ofícios que existiam no tempo de Jesus: os ferreiros a forjarem e a temperar o ferro, o sapateiro a concertar sandálias rompidas, serradores que cortam lenha, camponeses a organizarem as ferramentas de trabalho, a tecedeira no tear a jogar fios de lã, o oleiro a moldar o barro, a padeira a amassar a farinha, entre tantos outros cenários da época, e, claro, a família de Nazaré a ser família diante das sombras do seu tempo…”, lê-se

LFS

Formação: Ciclo de conferências sobre a interseção entre ciências sociais e fé
Dez 19@19:30

Lisboa, 03 set 2019 (Ecclesia) – O Centro de Espiritualidade Dehoniana e a PDB Consulting organizam, de 17 outubro a 25 Junho 2020, de um ciclo de jantares-conferência sobre a interseção entre ciências sociais e fé.

Este ciclo subordinado ao tema «Ciências Sociais e Fé: incompatíveis ou complementares?» realiza-se no Seminário de Nossa Senhora de Fátima (Alfragide, Lisboa) e as sessões começam às 19h30, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

José Luís Nunes Martins, José Miguel Sardica, Marta Pimenta de Brito, Alexandra Viana Lopes, Pedro Gil, João Pedro Tavares, João César das Neves, Alfredo Teixeira e António Pimenta de Brito são os oradores desta iniciativa.

A pedra de toque é a partilha de ideias por isso a organização pede aos participantes para levarem questões sobre os temas.

LFS

Dez
20
Sex
Natal: Comunidade Vida e Paz promove festa com pessoas em situação de sem-abrigo
Dez 20_Dez 22 todo o dia

Foto Comunidade Vida e Paz (arquivo)

Lisboa, 20 nov 2019 (Ecclesia) – A Comunidade Vida e Paz (CVP) vai dinamizar a 31.ª Festa de Natal com as pessoas em situação de sem-abrigo, de 20 a 22 de dezembro, na Cantina da Cidade Universitária, em Lisboa.

“As expectativas são de fazermos sempre mais e melhor para criar oportunidades de mudança e outro sentido de vida para os nossos convidados, preferencialmente as pessoas em situação de sem-abrigo”, disse o diretor-geral da CVP.

Em declarações à Agência ECCLESIA, Henrique Joaquim realça que esta é a forma que encontraram “de celebrar o Natal, celebrar a vida,” e criar as condições para que de facto “outros tenham uma vida digna que é sua por direito”.

Segundo o diretor-geral da Comunidade Vida e Paz o que estão a preparar há uns meses “é um acolhimento muito humano, muito digno”, em termos de pessoas e a formação que têm dado aos voluntários é nesse sentido.

Depois, ao longo dos três dias da Festa de Natal também disponibilizam serviços que, geralmente, “são mais necessários”, como “as necessidades básicas” de higiene, de alimentação, de roupa, mas também serviços “do cartão de cidadão, de saúde, de emprego” e existe também a área da espiritualidade.

Em 2017, com o contributo de mais de 1400 voluntários, esta iniciativa recebeu 1325 convidados a quem foram servidas 3130 refeições; A área da cidadania totalizou 334 atendimentos, sendo o serviço da Segurança Social o mais requisitado, em saúde registaram 658 atendimentos, e 71 pessoas recorreram aos técnicos da CVP a solicitar apoio.

A Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) tutelada pelo Patriarcado de Lisboa, que assume como missão “apoiar as pessoas sem-abrigo de Lisboa com o objetivo de as reabilitar e reinserir como cidadãos participativos na sociedade”.

No seu sítio online, a Comunidade Vida e Paz informa que apoia mais de 430 pessoas na rua e acolhe 265 pessoas para reabilitação.

CB

Catequese Familiar: Formação para animadores de Braga e Viana do Castelo
Dez 20@21:00_22:30

Viana do Castelo, 31 out 2019 (Ecclesia) – O Departamento de Educação Cristã de Adultos de Braga e o Secretariado Diocesano de Catequese de Viana do Castelo promovem, de 08 de novembro a 31 de janeiro, uma formação para animadores de catequese familiar.

As sessões de formação, começam às 21h00 e terminam pelas 22h30, é dirigida a agentes das duas dioceses e realiza-se no Seminário dos Missionários Passionistas, em Barroselas, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Estes departamentos têm “consciência da emergência deste tipo de catequese” e pretendem que entre os catequistas, “houvesse gente preparada para abraçar este desafio”, lê-se no comunicado.

LFS

Dez
21
Sáb
Braga: Presépio ao vivo de Priscos ajuda na inclusão de reclusos
Dez 21 todo o dia

Braga, 25 nov 2019 (Ecclesia) – O projeto «Mais Natal Priscos» daquela paróquia da Arquidiocese de Braga dá trabalho há 5 anos a reclusos do Estabelecimento Prisional da cidade e vai estar patente ao público de 15 de dezembro a 12 de janeiro.

No âmbito de um protocolo assinado entre a paróquia e a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), o padre João Torres, responsável pelo projecto «Mais Natal Priscos» e pároco de Priscos, considera que se trata de uma iniciativa inovadora “para dar mais dignidade à vida dos reclusos”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A reintegração social de reclusos “necessita de mais recursos humanos, tecnológicos, mais programas e, sobretudo mais financiamento para que os reclusos consigam refletir sobre a vida no geral, mas essencialmente acerca dos motivos que os levaram a cometer crimes e repensar nos objetivos para o futuro”.

No «Presépio ao Vivo de Priscos», os reclusos cumprem um horário de trabalho entre as 08h30 e as 17h00 e são acompanhados por um guarda prisional.

O sacerdote anunciou que os dividendos tirados da solidariedade dos visitantes do Presépio ao Vivo e «a ajuda preciosa» da Câmara de Braga, através do Orçamento Participativo suportam o pagamento aos reclusos, para compensar o trabalho prestado por cada um, na proporção do esforço despendido e em função do número de dias de trabalho.

São cerca de 800 os participantes que dão vida a uma história sempre antiga e sempre nova.

É um espaço com cerca de 30.000 m2 de ocupação e com mais de 90 cenários, com referência às culturas egípcia, judaica, romana, assíria, grega e babilónica.

“Não faltam muitos dos ofícios que existiam no tempo de Jesus: os ferreiros a forjarem e a temperar o ferro, o sapateiro a concertar sandálias rompidas, serradores que cortam lenha, camponeses a organizarem as ferramentas de trabalho, a tecedeira no tear a jogar fios de lã, o oleiro a moldar o barro, a padeira a amassar a farinha, entre tantos outros cenários da época, e, claro, a família de Nazaré a ser família diante das sombras do seu tempo…”, lê-se

LFS

Dez
22
Dom
Braga: Presépio ao vivo de Priscos ajuda na inclusão de reclusos
Dez 22 todo o dia

Braga, 25 nov 2019 (Ecclesia) – O projeto «Mais Natal Priscos» daquela paróquia da Arquidiocese de Braga dá trabalho há 5 anos a reclusos do Estabelecimento Prisional da cidade e vai estar patente ao público de 15 de dezembro a 12 de janeiro.

No âmbito de um protocolo assinado entre a paróquia e a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), o padre João Torres, responsável pelo projecto «Mais Natal Priscos» e pároco de Priscos, considera que se trata de uma iniciativa inovadora “para dar mais dignidade à vida dos reclusos”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A reintegração social de reclusos “necessita de mais recursos humanos, tecnológicos, mais programas e, sobretudo mais financiamento para que os reclusos consigam refletir sobre a vida no geral, mas essencialmente acerca dos motivos que os levaram a cometer crimes e repensar nos objetivos para o futuro”.

No «Presépio ao Vivo de Priscos», os reclusos cumprem um horário de trabalho entre as 08h30 e as 17h00 e são acompanhados por um guarda prisional.

O sacerdote anunciou que os dividendos tirados da solidariedade dos visitantes do Presépio ao Vivo e «a ajuda preciosa» da Câmara de Braga, através do Orçamento Participativo suportam o pagamento aos reclusos, para compensar o trabalho prestado por cada um, na proporção do esforço despendido e em função do número de dias de trabalho.

São cerca de 800 os participantes que dão vida a uma história sempre antiga e sempre nova.

É um espaço com cerca de 30.000 m2 de ocupação e com mais de 90 cenários, com referência às culturas egípcia, judaica, romana, assíria, grega e babilónica.

“Não faltam muitos dos ofícios que existiam no tempo de Jesus: os ferreiros a forjarem e a temperar o ferro, o sapateiro a concertar sandálias rompidas, serradores que cortam lenha, camponeses a organizarem as ferramentas de trabalho, a tecedeira no tear a jogar fios de lã, o oleiro a moldar o barro, a padeira a amassar a farinha, entre tantos outros cenários da época, e, claro, a família de Nazaré a ser família diante das sombras do seu tempo…”, lê-se

LFS