Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Mai
31
Sex
Património: Misericórdias vão debater realidade dos seus museus
Mai 31 todo o dia

Beja, 27 de mai 2019 (Ecclesia) – A Santa Casa da Misericórdia de Beja e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) vão promover, dia 31 deste mês, naquela cidade, as jornadas «Museologia nas Misericórdias».

A iniciativa decorre no Salão Nobre da Misericórdia de Beja, a partir das 10h00, pretende refletir sobre a realidade e “as potencialidades do património museológico detido em todo o país pelas Misericórdias, inclusive pela de Beja”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A edição deste ano das jornadas vai aprofundar “as boas-práticas para a proteção e manutenção deste património, mas também os desafios que esta oferta cultural poderá representar para o desenvolvimento da economia do turismo, para a coesão do território, para a sustentabilidade das Santas Casas e, sobretudo, para a afirmação da sua identidade secular”.

Através das suas realidades museológicas, as Misericórdias têm “a possibilidade de mostrar e divulgar a vasta experiência e conhecimento dos movimentos sociais em cada comunidade, uma vez que ao longo de séculos foram, e ainda são, promotoras de cultura e tradições locais”.

Atualmente, as Misericórdias têm “cerca de 82 espaços museológicos” que se traduzem em museus, casas museu, núcleos museológicos, centros interpretativos, centros de memória, espaços musealizados, coleções visitáveis, entre outros.

A sessão de abertura conta com a presença da diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira; do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Beja, João Paulo Ramôa; do presidente da UMP, Manuel de Lemos; do Presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Jorge Lúcio Arsénio; e do Bispo de Beja, D. José João dos Santos Marcos.

LFS

PROGRAMA das JORNADAS de MUSEOLOGIA

Jun
1
Sáb
Setúbal: Celebrações do IV Centenário da morte de Frei Agostinho da Cruz
Jun 1 todo o dia

Setúbal, 05 fev 2019 (Ecclesia) – Nas comemorações do IV Centenário da morte de Frei Agostinho da Cruz vai ser lançada uma “ampla antologia” da sua obra poética destinada a um “público abrangente”, organizada pelo escritor e investigador Ruy Ventura (comissário das Comemorações).

É já no próximo dia 14 de março de 2019 que se cumprem os quatrocentos anos da morte de um dos “maiores poetas de língua portuguesa”, Frei Agostinho da Cruz (1540- 1619), ocorrida em Setúbal, junto da igreja da Anunciada, no Bairro do Troino, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Figura marcante na literatura no nosso país e também na espiritualidade, “nomeadamente franciscana e arrábida”, a sua memória será lembrada entre este ano e 2020 (480 anos do seu nascimento) num conjunto de iniciativas, promovidas ou apoiadas pela Diocese de Setúbal.

Além desta edição vai realizar-se “um recital de poesia”, no Convento da Arrábida, a 23 de março, com a leitura de poemas de Frei Agostinho da Cruz e de outros autores que espelharam nos seus versos aquele sacro-monte.

No dia 01 de junho realiza-se um colóquio sobre a vida e obra do poeta, em Sintra, localidade onde viveu mais de quarenta anos.

Em janeiro de 2020, D. José Tolentino Mendonça profere, em Setúbal, uma conferência sobre o poeta.

Nascido em Ponte da Barca e falecido em Setúbal, junto à igreja da Anunciada, Agostinho Pimenta – o seu primeiro nome – foi noviço no convento de Santa Cruz, na serra de Sintra, passando a habitar a partir de 1605 numa cela na serra da Arrábida, como eremita.

LFS

 

Setúbal: Sessão de sensibilização sobre voluntariado em contexto prisional
Jun 1 todo o dia

Setúbal, 01 jun 2019 (Ecclesia) – No âmbito do Projeto «Caminhos de Liberdade» vai realizar-se hoje no Centro Social de Nossa Senhora da Paz, em Setúbal, uma sessão de sensibilização sobre voluntariado em contexto prisional.

Esta iniciativa pretende dar “algumas competências no âmbito do voluntariado”, por parte de “voluntários ou candidatos a voluntários ligados à Igreja Católica, no sentido de ir ao encontro do desenvolvimento pessoal e social das pessoas em situação de reclusão e pós reclusão”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Após a sessão de abertura que conta com a presença de Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, e do padre João Gonçalves, coordenador nacional da Pastoral Penitenciária realiza-se, às 10h00, dois painéis em simultâneo: «Ser voluntário em Portugal» (Raquel Gonçalves, Confederação Portuguesa do Voluntariado) e «Pedagogia do Perdão» (António Fernandes, voluntário da Cáritas Portuguesa).

Ainda de manhã, pelas 11h45, haverá mais dois grupos de trabalho: «Ser voluntário em contexto prisional» (Regina Branco, Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais) e «Os reclusos e seus recursos financeiros» (Celso Manata, Procurador da República e ex-Diretor Geral da DGRSP).

«Ser voluntário cristão» é o tema tratado, pelas 14h30, pelo padre João Gonçalves e Paulo Neves, Coordenação Nacional da Pastoral Penitenciária, e algumas associações falam sobre «Voluntariado social nas prisões: partilha experiências», refere a nota.

O Projeto “Caminhos de Liberdade”, cuja entidade promotora é a Cáritas Portuguesa, e que se insere no Protocolo estabelecido entre a Direção Geral da Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) e a Cáritas Portuguesa, assinado em Lisboa, no dia 19 março 2017, tem como finalidade implementar ações capazes de contribuir para a inclusão de pessoas em situação de reclusão e pós reclusão, através do envolvimento de múltiplos parceiros, a começar por uma rede de voluntários ligados à Igreja Católica.

LFS

Jun
27
Qui
Publicações: Associação Vale de Acór apresenta livro comemorativo pelos seus 25 anos
Jun 27@16:00

Almada, 26 jun 2019 (Ecclesia) – A Associação Vale de Acór, na Diocese de Setúbal, vai apresentar esta quinta-feira um livro comemorativo pelos seus 25 anos de existência, que estão a celebrar este ano, com a presença do presidente de República e do bispo sadino.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, a Diocese de Setúbal informa que o evento com a presença de Marcelo Rebelo de Sousa e D. José Ornelas começa às 16h00, na Quinta de São Lourenço, no Pragal, Almada.

O livro comemorativo dos 25 anos de existência da Instituição Particular de Solidariedade Social conta com fotografias de Rui Ochoa, o fotógrafo oficial do atual presidente da República Portuguesa e que foi diretor de fotografia do jornal ‘Expresso’, entre 1989 e 2008.

Foto: Presidência da República

A 9 de outubro de 2018, no contexto dos 25 anos que estão a ser assinalados este ano, a associação foi agraciada por Marcelo Rebelo de Sousa com a Ordem de Mérito, pelos serviços prestados à sociedade, no Palácio de Belém, e as insígnias foram recebidas pelo presidente da direção, o padre Pedro Quintela.

A Associação Vale de Acór trabalha desde 1994 no âmbito da recuperação e reinserção de dependentes – nomeadamente os toxicodependentes e alcoólicos; toxicodependentes com problemas psiquiátricos; e toxicodependentes reclusos e ex-reclusos, tem uma Comunidade Terapêutica, licenciada pelo IDT, na Quinta de São Lourenço, no Pragal, Almada.

CB

Jun
29
Sáb
Beja: Diocese peregrina ao Santuário de Fátima
Jun 29_Jun 30 todo o dia

Beja, 15 jun 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Beja realiza a sua peregrinação ao Santuário de Fátima, dias 29 e 30 deste mês, que tem como tema «Com Maria adoramos o Pai, o Filho e o Espírito Santo».

O primeiro momento, às 15h00, é a concentração e celebração na Basílica da Santíssima Trindade e depois, às 17h00, faz-se o desfile da Cruz Alta até à Capelinha das Aparições, lê-se no programa enviado à Agência ECCLESIA.

Os participantes fazem, às 17h15, a consagração da Diocese de Beja a Nossa Senhora de Fátima e pelas 21h30 rezam o rosário.

O dia encerra, pelas 23h00, com a Via Sacra até aos Valinhos.

O segundo dia da peregrinação da diocese alentejana ao Santuário de Fátima encerra, às 11h00, com a celebração da Eucaristia.

LFS

Jun
30
Dom
Movimentos: Encontro Diocesano dos Convívios Fraternos de Setúbal
Jun 30@9:30_17:00

Setúbal, 06 jun 2019 (Ecclesia) – O Secretariado dos Convívios Fraternos de Setúbal vai promover um encontro diocesano, com o tema ‘Caminhar em Movimento, caminhar em Missão’, entre as 09h30 e as 17h00, do dia 30 de junho, no Seminário de S. Paulo, em Almada.

“Setúbal quer Movimento, pedras vivas disponíveis para receber e ‘mostrar a sua herança’; 30 de junho um dia especialmente preparado com muita animação, partilha, testemunhos”, informa a presidente do secretariado diocesano, Ana Inês Agostinho, lê-se no sítio online da Diocese de Setúbal.

‘Caminhar em Movimento, Caminhar em Missão’ é o tema do encontro em sintonia com o Ano Missionário que a Igreja Católica em Portugal está a viver, até outubro.

Do programa do encontro diocesano, que começa às 9h30, sobressai o testemunho missionário do conviva Henrique Delfina, da Diocese de Santarém, e o encontro termina depois da Eucaristia, presidida pelo bispo diocesano D. José Ornelas, que começa às 15h30.

No próximo dia 30 vai ser apresentado o ano pastoral 2019/2020, às 14h30, onde se destaca a participação no Encontro Nacional dos Convívios Fraternos (7 e 8 de setembro).

Em 40 anos de presença do Movimento Convívios Fraternos na diocese sadina contabilizam-se 82 convívios de jovens e 10 convívios de casais, ao todo o secretariado contabiliza que cerca de 2700 jovens fizeram este retiro.

“Todos os convivas são desafiados a um novo encontro, em ambiente de alegria e comunhão fraterna”, lê-se no formulário de inscrição que termina no próximo dia 16 de junho.

Segundo o Secretariado dos Convívios Fraternos de Setúbal a “nova vivência” do movimento, “particularmente vocacionado aos jovens, acompanha a renovação da pastoral juvenil” em curso “na diocese e também em toda a Igreja”.

Os Convívios Fraternos nasceram a 17 de maio de 1968, em Castelo Branco, e a Conferência Episcopal Portuguesa aprovou os estatutos do movimento a 1 de março de 2010.

CB

Jul
10
Qua
Beja: Diocese vai celebrar 250 anos da sua restauração
Jul 10 todo o dia

Programa das comemorações é apresentado esta quarta-feira, 10 de julho

Beja, 08 jul 2019 (Ecclesia) – A diocese de Beja prepara-se para a celebração dos 250 anos da sua restauração, reconhecendo uma “história difícil e dramática” mas que importa assinalar junto do povo que “deseja e precisa da mãe Igreja”.

“A Igreja sempre foi mãe, neste novo contexto sublinha a dimensão da maternidade, porque as pessoas no fundo, desejam e precisam dessa maternidade. Estas festividades poderão ajudar nesse sentido”, explica à Agência ECCLESIA D. João Marcos, bispo diocesano desde 2016, que fará a apresentação pública das comemorações na tarde do dia 10.

“Estamos num tempo novo, de término e início de outras. Vamos devagarinho, mas há vida, há festa”, sublinha, recordando uma nota escrita aos diocesanos onde convida “diocesanos e não diocesanos” para um programa de celebração, com início marcado para 1 de dezembro e encerramento a 22 de novembro de 2020.

Para contar a história da diocese estará patente uma exposição, na pousada de São Francisco, desde 1 de março a 9 de maio, que será objeto de visita dos seis arciprestados de Beja.

A par da exposição, estão previstas conferências com convidados que falarão da história mas também do futuro da diocese, a última a cargo do Arcebispo de Évora, D. Senra Coelho, sobre «Como olhar hoje e que lição tirar dos fatores e circunstâncias culturais, sociais, políticas e religiosas explicativas da descristianização do Alentejo no passado?»

Reconhece D. João Marcos a raiz católica de muitos diocesanos mas, afirma, “a semente não germinou”.

“A maioria das pessoas reconhece-se católica e foi batizada, apesar de essa semente não ter germinado. Esse é o problema deste Portugal que temos hoje, dos católicos portugueses que somos e desta diocese”, lamenta.

O bispo titular desde 2016 acredita que conhecer a história da diocese irá ajudar os cristãos a um relacionamento e prática mais assídua, contando para isso com a publicação, “em setembro”, de um livro da autoria do padre Luís Taborda, pároco de Castro Verde, e o cónego António Aparício.

O próximo ano vai ainda ser marcado pela oração.

“A diocese é convidada a praticar a oração: nas laudes, vésperas, antes das refeições, orações em família. Vemos que o ir à missa é o único momento de oração dos que praticam e é muito pouco”, lamento o responsável.

Numa carta dirigida aos diocesanos, D. João Marcos aponta a diocese como um terreno a ser “semeado”.

“A diocese é hoje um grande terreno que precisa de ser lavrado e semeado para produzir uma seara nova. Estas festas dos 250 anos da restauração da diocese deverão marcar o início desse tempo novo”, afirma.

LS

Jul
11
Qui
Igreja/Património: Ciclo de concertos «Música nas Catedrais 2019»
Jul 11@21:30

Lisboa, 09 jul 2019 (Ecclesia) – O Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja e a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) promovem, de 28 deste mês a 26 de julho, às 21h30, a primeira edição do ciclo «Música nas Catedrais»

Esta iniciativa, que se enquadra no projeto nacional Rota das Catedrais, é coordenada pelo Teatro Nacional de São Carlos, que assegura diretamente alguns concertos através do Coro do Teatro Nacional de São Carlos, em colaboração com a Orquestra Clássica do Sul, a Orquestra Filarmonia das Beiras e a Orquestra do Norte, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O próximo concerto, esta quinta-feira (11 julho), realiza-se na Sé de Beja e tem como protagonistas o Coro do Teatro Nacional de São Carlos.

No dia seguinte (12 julho), o mesmo coro atua na Sé de Elvas (Arquidiocese de Évora).

O Coro do Teatro Nacional de São Carlos, um dos “pilares artísticos da única instituição que no nosso país se dedica há mais de dois séculos ao género lírico, propõe-nos uma deambulação pela ópera romântica italiana, sublinhando o facto de a religiosidade ter assumido na mesma uma particular importância”, refere o comunicado.

LFS

Jul
12
Sex
Juventude: Diocese de Setúbal dinamiza «Summer3Fest»
Jul 12@15:00_Jul 14@17:00

Setúbal, 14 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo de Setúbal vai presidir à Eucaristia de encerramento do encontro ‘Summer3Fest’, organizado pelo Secretariado Diocesano da Pastoral das Missões, de 12 a 14 de julho, na Costa de Caparica, concelho de Almada.

“Um evento da juventude e para a juventude da nossa diocese que quer ser uma diocese missionária”, disse D. José Ornelas aos jovens num vídeo publicado nas redes sociais.

‘Partilha-te em missão’ é o tema do encontro e o bispo de Setúbal explica que é um convite a cada um fazer de si próprio e daquilo que tem “como a fé” uma partilha para aqueles que “as estão buscando e aqueles a quem Deus quer chegar” através de cada um.

Olhem só quem nos faz o convite 👀O nosso Bispo tem-nos acompanhado com muito afeto e atenção e deixa-nos uma mensagem.👏🏻Deus conta contigo nesta missão! 💪🏻#missãodeevangelização#summer3fest#jmjportugal#jmjportugal2022#jmj2022

Publicado por Juventude – Diocese de Setúbal em Quarta-feira, 12 de junho de 2019

 

O Secretariado Diocesano da Pastoral das Missões organiza pela segunda vez o ‘Summer3Fest’ que desafia os jovens sadinos à missão no parque urbano da Costa de Caparica.

“Uma missão para os jovens e a partir dos jovens, na consciência de que o mais importante será dar e partilhar a fé, para assim a poder receber novamente, com novo ardor e entusiasmo”, padre Carlos Silva, diretor do Secretariado Diocesano da Pastoral das Missões (2018).

O programa do ‘Summer3Fest’, entre 12 e 14 de julho, propõe música ao ar livre – uma Cristoteca e concertos, jogos de praia, Adoração ao Santíssimo Sacramento, a oração do Terço, Missa e teatro, lê-se no sítio online da Diocese de Setúbal.

CB

O #summer3fest deste ano está a chegar, mas hoje, dia de #tbt, queremos relembrar neste vídeo a primeira edição, do ano passado.Foi uma experiência fantástica que, com certeza, nasceu para continuar.E tu, estás preparado para este ano?Vem evangelizar connosco! .#jmj2022#jmjportugal2022

Publicado por Juventude – Diocese de Setúbal em Quinta-feira, 6 de junho de 2019

Igreja/Património: Ciclo de concertos «Música nas Catedrais 2019»
Jul 12@21:30

Lisboa, 09 jul 2019 (Ecclesia) – O Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja e a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) promovem, de 28 deste mês a 26 de julho, às 21h30, a primeira edição do ciclo «Música nas Catedrais»

Esta iniciativa, que se enquadra no projeto nacional Rota das Catedrais, é coordenada pelo Teatro Nacional de São Carlos, que assegura diretamente alguns concertos através do Coro do Teatro Nacional de São Carlos, em colaboração com a Orquestra Clássica do Sul, a Orquestra Filarmonia das Beiras e a Orquestra do Norte, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O próximo concerto, esta quinta-feira (11 julho), realiza-se na Sé de Beja e tem como protagonistas o Coro do Teatro Nacional de São Carlos.

No dia seguinte (12 julho), o mesmo coro atua na Sé de Elvas (Arquidiocese de Évora).

O Coro do Teatro Nacional de São Carlos, um dos “pilares artísticos da única instituição que no nosso país se dedica há mais de dois séculos ao género lírico, propõe-nos uma deambulação pela ópera romântica italiana, sublinhando o facto de a religiosidade ter assumido na mesma uma particular importância”, refere o comunicado.

LFS

Set
4
Qua
Igreja/Património: Lançamento projeto «Caminhos de Santiago Alentejo e Ribatejo»
Set 4 todo o dia

Santiago do Cacém, 02 set 2019 (Ecclesia) – Na Igreja Matriz de Santiago do Cacém (Diocese de Beja) vai realizar-se, dia 04 deste mês, às 10h00, o lançamento do projeto «Caminhos de Santiago Alentejo e Ribatejo».

O programa desta cerimónia conta com a apresentação do filme promocional e da história dos caminhos, a bênção dos percursos pelo bispo de Beja e dois painéis de debate sob os temas “Os Peregrinos – Desafios e Expectativas” e “Dinamização dos Caminhos – Presente e Futuro”, entre outras iniciativas, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

Dividido em três percursos diferentes o projeto «Caminhos de Santiago Alentejo Ribatejo» visa resgatar a história e o simbolismo da fé e da espiritualidade para peregrinos e caminhantes, através da oferta de experiências que permitam descobrir paisagens, hábitos e tradições populares, mas sobretudo a vivência do património religioso existente no território, ao longo de 1400 quilómetros.

Esta iniciativa conta com presença da secretária de Estado do Turismo, da diretora regional de Cultura do Alentejo, do líder da autarquia local, da comissária do Jacobeu 2021, do ministro regional da Cultura e Turismo da Galiza e do deão da Catedral de Santiago de Compostela (Espanha).

LFS

Set
24
Ter
Setúbal: Diocese recorda segundo aniversário do falecimento de D. Manuel Martins
Set 24@15:00

Setúbal, 23 set 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Setúbal recorda, esta terça-feira, o segundo aniversário do falecimento do seu primeiro bispo, D. Manuel Martins.

Na Sé, D. José Ornelas, bispo de Setúbal, preside à Eucaristia de memória e sufrágio, pelas 18h00, mas antes na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Setúbal, o Centro Social Paroquial D. Manuel Martins celebra, pelas 15h00, este acontecimento com a realização de uma reflexão cívica e outros momentos culturais.

O primeiro bispo da Diocese de Setúbal, D. Manuel da Silva Martins, nasceu em Leça do Balio, na Diocese do Porto, a 20 de janeiro de 1927, onde também faleceu 24 de setembro de 2017.

Ordenado sacerdote em 1951, após a formação nos seminários do Porto, estudou depois Direito Canónico em Roma, na Universidade Gregoriana.

Foi pároco de Cedofeita, no Porto, entre 1960 e 1969, quando foi nomeado vigário-geral da diocese nortenha em 1969, antes ir para Setúbal.

Na Conferência Episcopal Portuguesa D. Manuel Martins foi presidente da Comissão Episcopal da Ação Social e Caritativa e da Comissão Episcopal das Migrações e Turismo, tendo sido também presidente da Secção Portuguesa da Pax Christi e da Fundação SPES.

A 23 de abril de 1998, o Papa João Paulo II aceitou o seu pedido de resignação ao cargo de bispo de Setúbal.

O bispo emérito foi agraciado com a grã-cruz da Ordem de Cristo, durante as comemorações do 10 de junho de 2007, em Setúbal, e com o galardão dos Direitos Humanos da Assembleia da República, a 10 de dezembro de 2008.

LFS

Set
28
Sáb
Beja: Ordenação de diácono na Sé
Set 28@10:30

Beja, 10 set 2019 (Ecclesia) – Na Sé de Beja vai ser, dia 28 deste mês, ordenado diácono o candidato ao presbitério Francisco Diogo Costa Molho.

A celebração, pelas 10h30, vai ser presidida por D. João Marcos, bispo de Beja, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Após a Eucaristia será servido o almoço no refeitório do Seminário de Beja.

LFS

Nov
3
Dom
Setúbal: Cantata a Cristo Rei executada na Fundação Calouste Gulbenkian
Nov 3@21:00_22:00

Lisboa, 03 nov 2019 (Ecclesia) – A Fundação Calouste Gulbenkian acolhe hoje em Lisboa a execução da ‘Cantata a Cristo Rei’, criada nos 60 anos do Santuário homónimo, em Almada.

A cantata – anteriormente apresentada em Fátima e em Almada – conta com a participação de 10 coros, entre eles o coro “Lisboa Cantat e a orquestra Sinfonietta de Lisboa”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A cantata a Cristo Rei tem letra do bispo D. Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício da Cultura, e música do cónego Ferreira dos Santos.

A obra, com a duração de uma hora, será apresentada por um coro de 340 vozes e quatro solistas, acompanhados por uma orquestra de 50 elementos.

LFS

Dez
1
Dom
Beja: Diocese vai celebrar 250 anos da sua restauração
Dez 1 todo o dia

Programa das comemorações é apresentado esta quarta-feira, 10 de julho

Beja, 08 jul 2019 (Ecclesia) – A diocese de Beja prepara-se para a celebração dos 250 anos da sua restauração, reconhecendo uma “história difícil e dramática” mas que importa assinalar junto do povo que “deseja e precisa da mãe Igreja”.

“A Igreja sempre foi mãe, neste novo contexto sublinha a dimensão da maternidade, porque as pessoas no fundo, desejam e precisam dessa maternidade. Estas festividades poderão ajudar nesse sentido”, explica à Agência ECCLESIA D. João Marcos, bispo diocesano desde 2016, que fará a apresentação pública das comemorações na tarde do dia 10.

“Estamos num tempo novo, de término e início de outras. Vamos devagarinho, mas há vida, há festa”, sublinha, recordando uma nota escrita aos diocesanos onde convida “diocesanos e não diocesanos” para um programa de celebração, com início marcado para 1 de dezembro e encerramento a 22 de novembro de 2020.

Para contar a história da diocese estará patente uma exposição, na pousada de São Francisco, desde 1 de março a 9 de maio, que será objeto de visita dos seis arciprestados de Beja.

A par da exposição, estão previstas conferências com convidados que falarão da história mas também do futuro da diocese, a última a cargo do Arcebispo de Évora, D. Senra Coelho, sobre «Como olhar hoje e que lição tirar dos fatores e circunstâncias culturais, sociais, políticas e religiosas explicativas da descristianização do Alentejo no passado?»

Reconhece D. João Marcos a raiz católica de muitos diocesanos mas, afirma, “a semente não germinou”.

“A maioria das pessoas reconhece-se católica e foi batizada, apesar de essa semente não ter germinado. Esse é o problema deste Portugal que temos hoje, dos católicos portugueses que somos e desta diocese”, lamenta.

O bispo titular desde 2016 acredita que conhecer a história da diocese irá ajudar os cristãos a um relacionamento e prática mais assídua, contando para isso com a publicação, “em setembro”, de um livro da autoria do padre Luís Taborda, pároco de Castro Verde, e o cónego António Aparício.

O próximo ano vai ainda ser marcado pela oração.

“A diocese é convidada a praticar a oração: nas laudes, vésperas, antes das refeições, orações em família. Vemos que o ir à missa é o único momento de oração dos que praticam e é muito pouco”, lamento o responsável.

Numa carta dirigida aos diocesanos, D. João Marcos aponta a diocese como um terreno a ser “semeado”.

“A diocese é hoje um grande terreno que precisa de ser lavrado e semeado para produzir uma seara nova. Estas festas dos 250 anos da restauração da diocese deverão marcar o início desse tempo novo”, afirma.

LS