Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Jun
27
Qui
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Jun 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Jun
28
Sex
Algarve: Bispo preside à festa do Sagrado Coração de Jesus com comunidade portuguesa em Paris
Jun 28_Jul 2 todo o dia

Faro, 19 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai presidir à solenidade do Sagrado Coração de Jesus na Paróquia portuguesa de Gentilly, com “a maior comunidade lusa católica da região de Paris”, em França, de 28 de junho a 2 de julho.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ adianta que o bispo D. Manuel Quintas vai Crismar 80 jovens e adultos na “paróquia portuguesa de Gentilly”.

O bispo do Algarve vai presidir à solenidade do Sagrado Coração de Jesus na paróquia que, “há cerca de 30 anos”, tem confiada “a tarefa de zelar e dinamizar” o Santuário de Nossa Senhora de Fátima na capital francesa.

Desde 24 de junho de 2018 que a paróquia na região de Paris está confiada ao padre Leandro Garcês que foi responsável pelas paróquias do extremo sotavento algarvio quando fez parte da comunidade dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), entre 2005 a 2010.

CB

 

Migrações: Vivência da fé católica é uma grande «âncora» dos portugueses na diáspora

Jul
9
Ter
Igreja: Bispo do Algarve vai visitar dioceses angolanas de Viana e Luena
Jul 9 todo o dia

Faro, 25 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai visitar as dioceses angolanas de Viana e Luena para onde a diocese portuguesa destinou a renúncia quaresmal deste ano, no próximo mês de julho.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o jornal ‘Folha de Domingo’ adianta que D. Manuel Quintas vai estar nas dioceses angolanas de 9 a 23 de julho.

O bispo do Algarve destinou a renúncia dos fiéis católicos da Quaresma deste ano às dioceses de Viana e Luena para “apoiar obras ligadas à educação e ao âmbito social, “um pedido dos missionários Dehonianos em Angola”.

“A Diocese de Luena é duas vezes e meia maior que Portugal e tem 223 mil quilómetros quadrados de superfície. Os habitantes não chegam a um milhão, mas as enormes distâncias que têm de percorrer os missionários dá-nos já uma ideia de quantas necessidades surgem e é preciso colmatar”, explicou na Missa de Quarta-feira de Cinzas, a 6 de março.

Sobre a Igreja Católica em Viana, contextualizou que “equivale ao território de mais de três dioceses do Algarve e tem dois milhões de habitantes”, uma diocese “criada em 2007, desmembrada de Luanda”.

Os estudantes finalistas da Universidade do Algarve também se uniram à partilha com Angola e na bênção das pastas entregaram o valor de uma recolha solidária para acrescentar à renúncia quaresmal e que vai apoiar a rede escolar, indicou D. Manuel Quintas (a 11 de maio).

Uma viagem que vai também assinalar os 15 anos de serviço dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos) em Angola.

D. Manuel Quintas que pertence aos Dehonianos está a quase a completar 50 anos de vida consagrada (29 de setembro de 1969) e vai viajar para o país lusófono com o padre Isildo Gomes da Silva que também vai comemorar o cinquentenário da profissão religiosa que vão celebrar no fim de semana de 20 e 21 de julho.

O jornal ‘Folha de Domingo’ recorda ainda que os dois religiosos estiveram em missão em Moçambique, na localidade de Milevane, Nauela, na alta Zambézia, entre 1971 e 1973.

CB

Jul
12
Sex
Algarve: «Sete Cavaleiros do Castelo» – Paróquias de Tavira e a Casa Santos Lima lançam vinho
Jul 12@19:00

Faro, 12 jul 2019 (Ecclesia) – As Paróquias de Tavira, na Diocese do Algarve, através da empresa ArtGilão e a Casa Santos Lima apresentam hoje o vinho «Sete Cavaleiros do Castelo», pelas 19h00, na Rua do Cais e Mercado da Ribeira.

“Temos de dar a conhecer os produtos locais, aqueles que são verdadeiramente marcas culturais da nossa cidade e região e o vinho surgiu logo como um dos que mais nos interessava”, disse o pároco e gerente da ArtGilão – Atividades Religiosas e Turísticas de Tavira.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, pelo jornal ‘Folha de Domingo’, o padre Miguel Neto explica que a ideia surgiu há mais de um ano, quando procuravam “novos produtos para introduzir nas linhas de merchandising”.

“Desde a primeira hora a Casa Santos Lima mostrou grande recetividade a este projeto. Começámos a trabalhar para que a ideia se concretizasse e surgiu este ‘Sete Cavaleiros do Castelo’, criado com um nome que tem tudo a ver com a história destas paróquias e da cidade de Tavira”, desenvolve.

O sacerdote contextualiza que o nome dos vinhos remete para a época da reconquista cristã, quando as forças portuguesas chegam ao Algarve, “por volta de 1238 – Tavira terá sido conquistada a 11 de junho de 1239 (maio de 1240, segundo Alexandre Herculano ou mesmo 1242 segundo outras fontes) pela mão de D. Paio Peres Correia, Mestre da Ordem de Santiago – e diz a tradição que esta conquista foi uma represália daquela Ordem pela morte de sete de seus cavaleiros numa emboscada de que foram vítimas quando caçavam no sítio das Antas (Freguesia da Luz)”.

“Desde então, estes jovens combatentes – D. Pedro Pires (Peres ou Rodrigues, comendador da Ordem de Santiago de Castela), Mem do Vale, Durão (ou Damião) Vaz, Álvoro (Álvaro) Garcia (ou Garcia Estevam), Estêvão (Estevam) Vaz (Vasques), Beltrão de Caia e mais um mercador judeu de nome Garcia Roiz (ou Rodrigues) – fazem parte do imaginário e das lendas da cidade”, acrescenta a empresa ArtGilão numa nota de imprensa.

Os vinhos – um branco, um tinto e um rosé, produzidos com castas Arinto, Crato Branco, Touriga Nacional e Syrah, – que vão ser apresentados esta tarde, no âmbito do evento “Tavira, os Dias do Vinho”, vão ser as propostas desenvolvidas no âmbito desta parceria entre a casa de vinhos que tem produção naquele concelho algarvio e a empresa das paróquias de Tavira, que explicam querer “associar um produto de excelência ao património” da cidade.

“A imagem escolhida para o rótulo destes vinhos remete-nos, precisamente, para o Castelo e para a igreja de Santa Maria, local onde se julga estarem sepultados estes cavaleiros”, destaca o padre Miguel Neto.

O pároco de Tavira pretende que os vinhos possam ser vendidos não apenas nas lojas da empresa mas noutros locais sendo também um produto «cartão-de-visita» da cidade: “O que desejamos é que este vinho, que tem uma qualidade altíssima, possa ser apreciado pelos tavirenses e por todos os que nos visitam, nacionais ou estrangeiros”.

“Quando se proporcionou esta colaboração com ArtGilão, foi com muito entusiasmo que aderimos a esta ideia e estamos confiantes que ‘Os Sete Cavaleiros do Castelo’ irão contribuir para a promoção da excelente aptidão e grande potencial das vinhas e do vinho desta região”, disse José Luís Santos Lima Oliveira da Silva, bisneto do fundador da Casa e proprietário da mesma, divulga o jornal diocesano ‘Folha da Manhã’.

CB

Jul
26
Sex
Algarve: Diocese promove peregrinação dos avós
Jul 26@15:00

Faro, 09 jul 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai presidir à peregrinação dos avós ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, a partir das 15h30 do próximo dia 26, em Loulé.

Na nota enviada hoje à Agência ECCLESIA, o jornal ‘Folha do Domingo’ informa que a iniciativa que vai ser presidida por D. Manuel Quintas realiza-se pelo segundo ano consecutivo.

A peregrinação no Dia Mundial dos Avós ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como Mãe Soberana, é promovida pelo Departamento da Pastoral Social.

No dia 26 de julho a Igreja Católica celebra a memória litúrgica de Santa Ana e São Joaquim, os pais de Maria e avós de Jesus.

CB

 

Jul
27
Sáb
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Jul 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Ago
27
Ter
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Ago 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Set
6
Sex
Evangelização: Algarve acolhe «Pequena Fraternidade Provisória» de Taizé
Set 6@19:00

Faro, 06 set 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve está a acolher, desde o passado dia 30 de agosto, a segunda “Pequena Fraternidade Provisória” da Comunidade Ecuménica de Taizé.

Maria Fischhaber e Lisa Schmid, duas jovens alemãs, foram recebidas na paróquia da Mexilhoeira Grande onde vão ficar, respetivamente, até aos dias 21 e 30 deste mês, refere o jornal «Folha do Domingo».

A experiência tinha sido realizada pela primeira vez no Algarve no início de 2018, com a vinda de três jovens também alemãs para realizar trabalho pastoral e social que ficaram alojadas na casa das Missionárias da Caridade, popularmente conhecidas como Irmãs de Calcutá.

Esta sexta-feira, 06 de setembro, será realizada na igreja da Mexilhoeira Grande uma oração às 19h00, mas a principal vigília de oração decorrerá no dia 20 deste mês, às 21h, na mesma igreja.

As «Pequenas Fraternidades Provisórias» são um projeto da comunidade ecuménica francesa, a cerca de 390 quilómetros a sudeste de Paris, coordenado pelo irmão Léo, que desde 2014 propõe a jovens a vida comunitária, durante algumas semanas, no coração de uma aldeia ou de um bairro urbano para que possam dar testemunho do evangelho e partilhar as “alegrias e tristezas dos seus habitantes”.

O dia-a-dia é ritmado por três orações comunitárias, trabalho pastoral e social com as comunidades cristãs locais, visitas a pessoas isoladas ou em situação de sofrimento, animação de orações abertas a todos e encontros com jovens.

A Comunidade Ecuménica de Taizé foi fundada em 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, pelo falecido irmão Roger Schutz com o propósito de “reunir homens que sentissem a necessidade de juntos fazerem comunhão e viverem em paz uma vida simples, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado aos homens por Jesus Cristo”.

A comunidade de Taizé é hoje constituída por mais de 100 irmãos, de várias nacionalidades e igrejas cristãs, incluindo a católica, recebendo semanalmente a visita de milhares de jovens.

A ligação do Algarve à Comunidade de Taizé remonta à realização do Concílio de Jovens que ali teve lugar na década de 70 do século passado.

As peregrinações do Algarve à comunidade monástica tiveram início desde então e todos os anos há grupos a passar alguns dias em Taizé.

LFS

Set
7
Sáb
Igreja/Sociedade: D. Manuel Quintas recebe medalha de ouro do município de Faro
Set 7 todo o dia

Faro, 07 set 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai receber hoje, Dia do Município de Faro, a Medalha de Ouro da cidade.

D. Manuel Quintas vai ser agraciado na sessão solene que terá lugar, a partir das 09h30, na Universidade do Algarve, no auditório 1.5 do Complexo Pedagógico da Penha, para nas comemorações dos 40 anos da criação daquela academia, realça o jornal da diocese «Folha do Domingo»

Em ofício a que a ‘Folha do Domingo’ teve acesso, a Câmara de Faro destaca que o Regulamento das Distinções Honoríficas do município “foi criado com a finalidade de homenagear publicamente pessoas singulares ou coletivas, nacionais ou estrangeiras, que contribuam para o engrandecimento e dignificação do Município de Faro, bem como aquelas que se notabilizem pelo seu reconhecido mérito, prestígio, cargo, ação, serviços ou contributos para a comunidade”.

A autarquia explica ainda que a distinção ao prelado, por proposta sua, resultou de uma deliberação da Assembleia Municipal de 26 de julho deste ano.

D. Manuel Neto Quintas nasceu em Mazouco, concelho de Freixo de Espada à Cinta (Trás-os-Montes), em 27 de agosto de 1949 e frequentou o Seminário Padre Dehon, (Porto), da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), entre 1960 e 1964, completando os estudos liceais no Instituto Missionário de Coimbra, entre 1964 e 1968.

Frequentou os dois primeiros anos do curso de Filosofia e de Teologia no Instituto Superior de Estudos Teológicos (ISET) de Lisboa, entre 1969 e 1971, fazendo parte do primeiro grupo de estudantes da Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus que formaram a comunidade do Seminário de Nossa Senhora de Fátima, em Alfragide.

Foi ordenado presbítero a 12 de junho de 1977 em Coimbra, pelo bispo da diocese D. João Alves, na abertura, em Portugal, da celebração do primeiro centenário da sua congregação.

Entre 1989-1991 frequentou em Roma, no Instituto Claretianum, o curso de Teologia da Vida Religiosa e algumas cadeiras de espiritualidade no Instituto Teresianum.

Participou no governo provincial, como vice-provincial entre 1982-1988; como conselheiro provincial entre 1991-1994; como Superior Provincial desde 1994 até 30 de junho de 2000, dia em que o papa João Paulo II o nomeou bispo auxiliar do Algarve, terminando o seu segundo triénio de exercício neste cargo.

Foi ordenado bispo a 3 de setembro de 2000 na Sé de Silves e tornou-se bispo titular da Diocese do Algarve a 22 de abril 2004.

LFS

Igreja/Sociedade: Praceta da cidade de Faro recorda o padre João Sustelo
Set 7@15:00

Faro, 03 set 2019 (Ecclesia) – A Câmara de Faro vai atribuir o nome do falecido padre João Sustelo a uma praceta da cidade no dia do município, 07 de setembro.

Incluído nas cerimónias oficiais daquele dia de festa, o descerramento do topónimo «Praceta Padre João Sustelo», terá lugar pelas 15h 00 junto à igreja de São Luís.

A homenagem ao sacerdote ocorre no ano em que se cumprem 40 anos da sua trágica morte, lê-se no jornal da diocese «Folha do Domingo».

Foi a 5 de janeiro de 1979 que a Diocese do Algarve assistiu ao inesperado falecimento do padre João José Sustelo, de 35 anos, “vítima de trágico desastre de viação ocorrido na Estrada Nacional 125, perto das Ferreiras”, por volta da 01h00, conforme noticiou a edição de 12 de janeiro daquele ano do jornal «Folha do Domingo».

LFS

Set
13
Sex
Algarve: Diácono Albino Martins distinguido pelo município de Alcoutim
Set 13@11:00

Alcoutim, 06 set 2019 (Ecclesia) – O diácono Albino Martins vai receber no Dia do Município de Alcoutim, 13 de setembro, a Medalha Municipal de Mérito, grau ouro.

O diácono Albino Martins será agraciado na sessão solene que terá lugar, a partir das 11h00, lugar no Espaço Guadiana.

A Câmara de Alcoutim destaca que a distinção foi deliberada em reunião ordinária de 24 de julho deste ano “como reconhecimento pela atividade desenvolvida, que muito tem contribuído para o renome e prestígio do concelho”, lê-se no jornal «Folha do Domingo»

Natural de Vila Real de Santo António, o diácono Albino Martins, depois de casado e acompanhado pela sua mulher, chegou em agosto de 1990 a Cachopo com 27 anos e ali firmou raízes.

Ao contrário de muitos jovens da região, que partiram para o litoral algarvio em busca de novas perspetivas, o casal cumpriu o percurso inverso e integrou-se numa região desertificada e envelhecida, no Algarve profundo, a convite do então bispo do Algarve, D. Manuel Madureira Dias.

Assim, iniciou a sua missão, em outubro de 1990, o Centro Paroquial de Cachopo que hoje, após a construção e inauguração do Complexo Social D. Manuel Madureira Dias em 2009, assiste 115 idosos, 30 em lar, 20 no centro de convívio, 15 em centro de dia e 50 em apoio domiciliário, estes dispersos por 23 montes da serra algarvia, o que implica a realização de 500 quilómetros diários.

Albino Martins foi ordenado diácono em janeiro de 2012, em 2011 alargou o seu trabalho de missão às paróquias de Martim Longo e Vaqueiros e em 2015 às paróquias de Alcoutim, Giões e Pereiro.

É presidente dos Centros Paroquiais de Cachopo, Martim Longo e Vaqueiros, instituições que prestam serviço social, nas valências “Centro de Dia”, “Centro de Convívio”, “Serviço de Apoio Domiciliário” e “ERPI”. Ao longo de vários anos, prestou colaboração à Diocese do Algarve, na área da liturgia e da ação sociocaritativa.

Em 2000 recebeu a Medalha de Mérito do Município de Tavira e em abril de 2015, o casal foi agraciado pelo Presidente da República com a Medalha de Grau Oficial da Ordem do Mérito.

LFS

 

Set
20
Sex
Evangelização: Algarve acolhe «Pequena Fraternidade Provisória» de Taizé
Set 20@19:00

Faro, 06 set 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve está a acolher, desde o passado dia 30 de agosto, a segunda “Pequena Fraternidade Provisória” da Comunidade Ecuménica de Taizé.

Maria Fischhaber e Lisa Schmid, duas jovens alemãs, foram recebidas na paróquia da Mexilhoeira Grande onde vão ficar, respetivamente, até aos dias 21 e 30 deste mês, refere o jornal «Folha do Domingo».

A experiência tinha sido realizada pela primeira vez no Algarve no início de 2018, com a vinda de três jovens também alemãs para realizar trabalho pastoral e social que ficaram alojadas na casa das Missionárias da Caridade, popularmente conhecidas como Irmãs de Calcutá.

Esta sexta-feira, 06 de setembro, será realizada na igreja da Mexilhoeira Grande uma oração às 19h00, mas a principal vigília de oração decorrerá no dia 20 deste mês, às 21h, na mesma igreja.

As «Pequenas Fraternidades Provisórias» são um projeto da comunidade ecuménica francesa, a cerca de 390 quilómetros a sudeste de Paris, coordenado pelo irmão Léo, que desde 2014 propõe a jovens a vida comunitária, durante algumas semanas, no coração de uma aldeia ou de um bairro urbano para que possam dar testemunho do evangelho e partilhar as “alegrias e tristezas dos seus habitantes”.

O dia-a-dia é ritmado por três orações comunitárias, trabalho pastoral e social com as comunidades cristãs locais, visitas a pessoas isoladas ou em situação de sofrimento, animação de orações abertas a todos e encontros com jovens.

A Comunidade Ecuménica de Taizé foi fundada em 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, pelo falecido irmão Roger Schutz com o propósito de “reunir homens que sentissem a necessidade de juntos fazerem comunhão e viverem em paz uma vida simples, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado aos homens por Jesus Cristo”.

A comunidade de Taizé é hoje constituída por mais de 100 irmãos, de várias nacionalidades e igrejas cristãs, incluindo a católica, recebendo semanalmente a visita de milhares de jovens.

A ligação do Algarve à Comunidade de Taizé remonta à realização do Concílio de Jovens que ali teve lugar na década de 70 do século passado.

As peregrinações do Algarve à comunidade monástica tiveram início desde então e todos os anos há grupos a passar alguns dias em Taizé.

LFS

Set
21
Sáb
Algarve: Diocese apresenta programa Pastoral 2019/2020
Set 21@9:00_13:00

Faro, 18 set 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve  vai apresentar o seu programa para 2019/2010, dedicado ao tema ‘Testemunhar o Evangelho da Família’, numa assembleia, a partir das 09h00, deste sábado, na igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira.

“Fazer da caridade distintivo da Igreja diocesana, presente nos gestos quotidianos e no testemunho da alegria nascida do encontro pessoal com Cristo”, é o objetivo do programa onde vão olhar para a família, juventude e vocações e vai incidir nas dimensões paroquial, vicarial e diocesana.

A assembleia diocesana começa com a saudação do bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, às 09h45, no salão da igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira.

Depois, segue-se a conferência ‘Testemunhar o Evangelho da Família – o compromisso e o cuidado das famílias cristãs com a Sociedade’, pela presidente do Banco Alimentar Contra a Fome, Isabel Jonet, e o programa pastoral 2019-2020 é apresentado a partir das 12h00.

O jornal diocesano informa que o encontro para além dos sacerdotes, diáconos e religiosos, o encontro destina-se aos “membros das equipas que dão corpo aos departamentos, secretariados e setores dos serviços diocesanos” e “responsáveis de movimentos, associações” e aos “Conselhos Pastorais Paroquiais de cada paróquia”.

ano pastoral 2019/2020 é o último de um triénio que a Diocese do Algarve vive sobre o tema ‘Anunciar o Evangelho da Família – «edificar a sua casa sobre a rocha»’, desde 2017.

CB/OC

 

Algarve: Programa Pastoral 2019/2020 é apresentado em Assembleia Diocesana

Set
27
Sex
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Set 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Out
5
Sáb
Algarve: Encontro e oração ecuménica em Tavira
Out 5@21:00

Roman bridge in Tavira, Algarve

Tavira, 01 out 2019 (Ecclesia) – A Paróquia de Tavira (Diocese do Algarve) acolhe, dia 5 de outubro, pelas 21h00, na Igreja de São Francisco, uma celebração ecuménica, que tem como tema central «Louvai e Bendizei».

Este encontro de oração e reflexão acontece para assinalar o dia em que se celebra São Francisco (4 de outubro) e reúne os cristãos de rito oriental, estando presente o padre Oleg Trushko, capelão da Comunidade Ucraniana Grego Católica, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A ação dá resposta ao desafio do papa Francisco de realizar um mês de oração pela Criação, de modo a sensibilizar todos os católicos para a necessidade de respeitar e cuidar do planeta.

LFS