Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Abr
11
Qui
Algarve: Paço Episcopal de Faro vai abrir as portas para receber visitantes
Abr 11@18:30

Paço Episcopal de Faro; Foto Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Faro, 23 mar 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve vai abrir o Paço Episcopal de Faro ao público que vai poder visitar as principais salas de um dos edifícios “mais representativos” da Arquitetura Chã no Algarve.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ adianta que a cerimónia de abertura do Paço Episcopal ao público começa pelas 18h30, do dia 11 de abril.

O público vai entrar pela porta principal do edifício, onde tem acesso ao átrio e a um painel alusivo à virtude teologal da caridade, na sala à direita; No patamar de descanso das escadarias de acesso ao piso nobre pode ser admirado o painel das virtudes, tardo-barroco, alusivo às cinco virtudes representando a Prudência, a Fé, a Esperança, a Justiça e a Fortaleza; a coroar a composição, o brasão do bispo D. Frei Lourenço de Santa Maria ladeado por dois anjos.

As três salas superiores vão ter a designação de “Sala da Unidade da Igreja”, “Galeria dos Bispos” e “Antiga Sala do Trono”, segundo a Diocese do Algarve o nome da primeira foi atribuída porque o espaço exprime, num período histórico conturbado (1750-1777), “o empenho do bispo D. Frei Lourenço de Santa Maria em reafirmar a comunhão da diocese com o Papa”.

O conjunto de azulejos do século XVIII é um dos elementos de “maior riqueza”, desde o átrio passa pela escadaria às salas do primeiro andar, e estes últimos revelam “uma enorme riqueza cromática”.

As visitas vão ser de entrada paga, mas o valor do ingresso ainda não foi definido e esta iniciativa tem estado a ser preparada com o apoio de técnicos do Museu Municipal de Faro.

Nos últimos meses, assinala o ‘Folha do Domingo’, o edifício tem estado em obras de restauro “ao nível da caixilharia e do gradeamento das janelas da fachada principal” no largo da Sé e lateral na rua do Município, e os pavimentos foram também recuperados.

O objetivo de abrir o Paço Episcopal de Faro aos visitantes já tinha sido anunciado por D. Manuel Quintas durante a inauguração da ‘Exposição para a Difusão do Conhecimento – Núcleo Histórico da Imprensa de Gutenberg e do Pentateuco de Faro’, patente na antiga capela do Paço Episcopal.

“É um testemunho vivo da atenção dos bispos desta diocese à promoção da cultura e à valorização do espaço urbano da cidade, contribuindo para fazer do largo da Sé o espaço nobre, o seu ex-libris”, destacou o bispo diocesano, em novembro de 2018.

A construção do Paço Episcopal, com D. Afonso Castel-Branco (1581-1585), aconteceu no contexto da transferência da sede do bispado do Algarve de Silves para Faro, em 1577, que foi um “ponto de viragem na história cidade”.

O jornal diocesano contextualiza ainda que depois do terramoto de 1755, o edifício foi reedificado e ampliado, por D. Frei Lourenço de Santa Maria (1752-1783), destacando-se no seu desenho, os telhados de quatro águas e o portal.

CB

Abr
12
Sex
Algarve: Bispo e jovens celebram jornadas da juventude católica em Castro Marim
Abr 12@18:00_Abr 13@19:00

Faro, 03 abr 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai presidir à Jornada Diocesana da Juventude 2019, com o tema “Eis aqui a Serva do Senhor; faça-se em mim segundo a Tua palavra”, que se realiza dias 12 e 13, em Castro Marim.

O Setor da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve, com a paróquia local, pretende “dinamizar” este setor e “possibilitar a comunicação, o convívio” entre os jovens de cada paróquia, grupo e movimento na diocese com esta iniciativa, divulga o jornal ‘Folha de Domingo’ em informação enviada à Agência ECCLESIA.

A organização explica que o encontro é para jovens a partir dos 16 anos, feitos até à data da jornada, e para quem tem 14 e 15 anos de idade existem umas pré-jornadas, “que tem os mesmos objetivos das JDJ, adaptando-os à idade dos participantes”; As inscrições terminam este domingo, 7 de abril.

A Jornada Diocesana da Juventude católica do Algarve este ano realiza-se em regime de acampamento no Castelo de Castro Marim, começa a partir das 18h00, do próximo dia 12.

Depois do jantar e montado do acampamento há um momento de boas-vindas e os participantes vão para o local da adoração eucarística, com sacerdotes para o sacramento da reconciliação (confissões) destinado “exclusivamente aos jovens e animadores com idade até aos 30 anos”, já os jovens de 14 e 15 anos vão assistir a um filme.

Do programa do encontro, no sábado dia 13, destaca-se a evangelização pelas ruas e é pedido que cada grupo de cinco jovens tenha “uma dezena” e uma mensagem de reflexão sobre o “Sim de Maria”.

“Agradecemos que respeitem esta dinâmica nas quantidades, para assim podermos deixar muitas pessoas com um sorriso e sentirem o carinho dos jovens que vão passar pela terra de Castro Marim”, pede ainda o Setor da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve.

A atividade pelas ruas de Castro Marim realiza-se depois da oração da manhã, pelas 08h30, e de uma catequese para os mais velhos e um peddy paper para as pré-jornadas

A Jornada Diocesana da Juventude católica do Algarve termina com a Eucaristia presidida pelo bispo D. Manuel Quintas, na tarde de sábado.

O jornal ‘Folha do Domingo’ assinala que a cruz das Jornadas Diocesanas da Juventude vai estar na Missa, após a peregrinação pelas paróquias da Vigararia de Tavira e vai ser entregue à paróquia que recebe a jornada em 2020.

CB

Abr
27
Sáb
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Abr 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Mai
1
Qua
Migrações: Cabo-verdianos do Algarve rumam ao Santuário da Mãe Soberana
Mai 1 todo o dia

Foto Folha do Domingo/ Samuel Mendonça

Faro, 30 abr 2019 (Ecclesia) – Os cabo-verdianos a viver no Algarve voltam a reunir-se esta quarta-feira, 01 de maio, para celebrar “a fé e a cultura” e o encontro conta com a presença do presidente da República de Cabo Verde para assinalar os 25 anos daquele evento.

Com a participação de Jorge Carlos Fonseca, o 25º encontro de cabo-verdianos, que este ano volta a ter lugar em Loulé, terá início pelas 11h00 com a celebração da eucaristia no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como Mãe Soberana, em Loulé, presidida pelo cónego Carlos César Chantre, vigário-geral da Diocese do Algarve, também ele natural de Cabo Verde, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Depois da eucaristia segue-se o habitual almoço-convívio que terá lugar no salão de festas da Câmara Municipal, lê-se no jornal diocesano «Folha do Domingo»

O chefe de Estado de Cabo Verde já tinha estado em 2016 em Loulé para se encontrar com a comunidade cabo-verdiana no Algarve.

LFS

Mai
12
Dom
Algarve: Bênção dos capacetes dos bombeiros das corporações algarvias
Mai 12 todo o dia

Faro, 02 mai 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve promove, dia 12 deste mês, uma celebração, em Loulé, onde vão ser benzidos os capacetes dos bombeiros das corporações algarvias.

A iniciativa terá lugar pelas 16h00 no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, popularmente conhecida como Mãe Soberana, em Loulé, e conta com a colaboração da Comissão Distrital da Proteção Civil de Faro, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

LFS

Mai
24
Sex
Algarve: «Quando a vida nos prega uma partida» é o tema do serão familiar da Paróquia de Portimão
Mai 24@21:15

Faro, 24 mai 2019 (Ecclesia) – A Paróquia de Nossa Senhora do Amparo de Portimão, na Diocese do Algarve, dinamiza hoje um serão familiar com Salvador Mendes de Almeida e António Quadros e Costa, a partir das 21h15, na escola secundária Poeta António Aleixo.

“Como viver em paz com a nossa realidade?” é a pergunta que faz parte do tema do serão dedicado às partidas que “a vida prega” e vai contar com a partilha e experiência de Salvador Mendes de Almeida, que “sofreu um acidente de viação aos 16 anos e ficou tetraplégico” e é fundador e presidente de uma associação.

Os participantes vão ouvir também António Quadros e Costa que “aos 16 anos soube que tinha uma atrofia muscular progressiva”, provocada por um gene que não produz a proteína responsável pela sobrevivência dos neurónios motores.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ refere que o ‘serão familiar’ na escola secundária Poeta António Aleixo, em Portimão, é de entrada livre.

Continuando a dinâmica familiar, a Paróquia de Nossa Senhora do Amparo de Portimão promove a iniciativa mensal ‘Encontro de Famílias’, entre as 10h30 e as 15h00, deste domingo, 26 de maio.

Segundo o programa, depois da Missa, o encontro continua com um “programa para pais durante a brincadeira dos filhos” e “são bem-vindas famílias só com um dos pais, casais em união de facto, casais apenas casados civilmente”, ao evento que vai terminar em junho.

CB

Mai
27
Seg
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Mai 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Jun
8
Sáb
Algarve: Ação formativa sobre «o amor e a sexualidade» junta quatro paróquias
Jun 8 todo o dia

Foto Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – As Paróquias de Albufeira, Boliqueime, Ferreiras e Paderne, na Diocese do Algarve, vão dinamizar uma formação dedicada à proposta pedagógica da Igreja sobre o amor e a sexualidade, reforçar esses fundamentos nos cristãos, dia 8 de junho.

“O que nos levou a pensar nisto foi a oportunidade da temática e este grassar da ideologia do género em tudo o que vemos – escolas, redes sociais – e percebermos que o povo de Deus que nos está confiado não tinha argumentos para poder mostrar a perspetiva cristã da sua vida, intimidade e sexualidade”, explicou o padre Pedro Manuel ao jornal ‘Folha do Domingo’.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o pároco de Boliqueime, Ferreiras e Paderne observa que neste e noutros assuntos da vida social “as pessoas vão absorvendo tudo” e lamenta que não tenham “opinião própria”, nem saibam “combater aquilo que está errado”.

A próxima ação de formação sobre o amor e a sexualidade que as quatro paróquias – Albufeira, Boliqueime, Ferreiras e Paderne – algarvias decidiram implementar vai realizar-se dia 8 de junho desta vez nas Ferreiras.

“Achamos que a Igreja está um pouco parada, um pouco apática e não dá uma resposta concreta”, disse, por sua vez, o pároco de Albufeira, o padre Flávio Martins, sobre terem avançado com esta formação, que teve o primeiro encontro no dia 9 deste mês.

No encontro realizado no Centro Pastoral Beato Vicente, em Albufeira, o padre Pedro Manuel, realçou que na sociedade atual é-se “habitualmente surpreendidos” por novas questões quanto “ao amor tão banalizado e tão facilmente usado” como substantivo e como forma de estar no meio do mundo.

“Se o caráter nos define enquanto pessoas, o amor define-nos enquanto seres em relação e, sobretudo, enquanto cristãos. É nesta perspetiva humana, que comunga da fé, que pretendemos que este dia decorra”, salientou, divulga o jornal ‘Folha do Domingo’.

CB

Jun
16
Dom
Algarve: Ordenação de um padre e quatro diáconos permanentes
Jun 16@17:00

Faro, 06 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, vai presidir hoje, pelas 17h00, à ordenação de um sacerdote e quatro diáconos permanentes, na igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira.

Diácono António Moitinho de Almeida

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, pelo jornal diocesano ‘Folha do Domingo’, a celebração da ordenação sacerdotal e das diaconais começa às 17h00, do dia 16 de junho, solenidade da Santíssima Trindade, na igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira.

O engenheiro civil António Moitinho de Almeida, da Paróquia de Santa Maria de Tavira, vai ser ordenado presbítero; com 32 anos de idade, está a estagiar nas Paróquias de Estoi e Santa Bárbara de Nexe.

Os quatro leigos que vão ser ordenados diáconos permanentes são: António Valério Costa e João Pontes dos Santos, da Paróquia matriz de Portimão; João Chaves dos Santos, da Paróquia de Olhão; e Nuno Francisco, da Paróquia da Mexilhoeira Grande.

Os futuros diáconos permanentes foram instituídos no ministério dos acólitos em novembro de 2018, depois de terem frequentado o Curso Básico de Teologia para agentes de pastoral realizado pela Diocese do Algarve, no seu Centro de Estudos e Formação de Leigos do Algarve (CEFLA), de 2015 até 2018.

CB

Jun
27
Qui
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Jun 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Jun
28
Sex
Algarve: Bispo preside à festa do Sagrado Coração de Jesus com comunidade portuguesa em Paris
Jun 28_Jul 2 todo o dia

Faro, 19 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai presidir à solenidade do Sagrado Coração de Jesus na Paróquia portuguesa de Gentilly, com “a maior comunidade lusa católica da região de Paris”, em França, de 28 de junho a 2 de julho.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ adianta que o bispo D. Manuel Quintas vai Crismar 80 jovens e adultos na “paróquia portuguesa de Gentilly”.

O bispo do Algarve vai presidir à solenidade do Sagrado Coração de Jesus na paróquia que, “há cerca de 30 anos”, tem confiada “a tarefa de zelar e dinamizar” o Santuário de Nossa Senhora de Fátima na capital francesa.

Desde 24 de junho de 2018 que a paróquia na região de Paris está confiada ao padre Leandro Garcês que foi responsável pelas paróquias do extremo sotavento algarvio quando fez parte da comunidade dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), entre 2005 a 2010.

CB

 

Migrações: Vivência da fé católica é uma grande «âncora» dos portugueses na diáspora

Jul
9
Ter
Igreja: Bispo do Algarve vai visitar dioceses angolanas de Viana e Luena
Jul 9 todo o dia

Faro, 25 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai visitar as dioceses angolanas de Viana e Luena para onde a diocese portuguesa destinou a renúncia quaresmal deste ano, no próximo mês de julho.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o jornal ‘Folha de Domingo’ adianta que D. Manuel Quintas vai estar nas dioceses angolanas de 9 a 23 de julho.

O bispo do Algarve destinou a renúncia dos fiéis católicos da Quaresma deste ano às dioceses de Viana e Luena para “apoiar obras ligadas à educação e ao âmbito social, “um pedido dos missionários Dehonianos em Angola”.

“A Diocese de Luena é duas vezes e meia maior que Portugal e tem 223 mil quilómetros quadrados de superfície. Os habitantes não chegam a um milhão, mas as enormes distâncias que têm de percorrer os missionários dá-nos já uma ideia de quantas necessidades surgem e é preciso colmatar”, explicou na Missa de Quarta-feira de Cinzas, a 6 de março.

Sobre a Igreja Católica em Viana, contextualizou que “equivale ao território de mais de três dioceses do Algarve e tem dois milhões de habitantes”, uma diocese “criada em 2007, desmembrada de Luanda”.

Os estudantes finalistas da Universidade do Algarve também se uniram à partilha com Angola e na bênção das pastas entregaram o valor de uma recolha solidária para acrescentar à renúncia quaresmal e que vai apoiar a rede escolar, indicou D. Manuel Quintas (a 11 de maio).

Uma viagem que vai também assinalar os 15 anos de serviço dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos) em Angola.

D. Manuel Quintas que pertence aos Dehonianos está a quase a completar 50 anos de vida consagrada (29 de setembro de 1969) e vai viajar para o país lusófono com o padre Isildo Gomes da Silva que também vai comemorar o cinquentenário da profissão religiosa que vão celebrar no fim de semana de 20 e 21 de julho.

O jornal ‘Folha de Domingo’ recorda ainda que os dois religiosos estiveram em missão em Moçambique, na localidade de Milevane, Nauela, na alta Zambézia, entre 1971 e 1973.

CB

Jul
12
Sex
Algarve: «Sete Cavaleiros do Castelo» – Paróquias de Tavira e a Casa Santos Lima lançam vinho
Jul 12@19:00

Faro, 12 jul 2019 (Ecclesia) – As Paróquias de Tavira, na Diocese do Algarve, através da empresa ArtGilão e a Casa Santos Lima apresentam hoje o vinho «Sete Cavaleiros do Castelo», pelas 19h00, na Rua do Cais e Mercado da Ribeira.

“Temos de dar a conhecer os produtos locais, aqueles que são verdadeiramente marcas culturais da nossa cidade e região e o vinho surgiu logo como um dos que mais nos interessava”, disse o pároco e gerente da ArtGilão – Atividades Religiosas e Turísticas de Tavira.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, pelo jornal ‘Folha de Domingo’, o padre Miguel Neto explica que a ideia surgiu há mais de um ano, quando procuravam “novos produtos para introduzir nas linhas de merchandising”.

“Desde a primeira hora a Casa Santos Lima mostrou grande recetividade a este projeto. Começámos a trabalhar para que a ideia se concretizasse e surgiu este ‘Sete Cavaleiros do Castelo’, criado com um nome que tem tudo a ver com a história destas paróquias e da cidade de Tavira”, desenvolve.

O sacerdote contextualiza que o nome dos vinhos remete para a época da reconquista cristã, quando as forças portuguesas chegam ao Algarve, “por volta de 1238 – Tavira terá sido conquistada a 11 de junho de 1239 (maio de 1240, segundo Alexandre Herculano ou mesmo 1242 segundo outras fontes) pela mão de D. Paio Peres Correia, Mestre da Ordem de Santiago – e diz a tradição que esta conquista foi uma represália daquela Ordem pela morte de sete de seus cavaleiros numa emboscada de que foram vítimas quando caçavam no sítio das Antas (Freguesia da Luz)”.

“Desde então, estes jovens combatentes – D. Pedro Pires (Peres ou Rodrigues, comendador da Ordem de Santiago de Castela), Mem do Vale, Durão (ou Damião) Vaz, Álvoro (Álvaro) Garcia (ou Garcia Estevam), Estêvão (Estevam) Vaz (Vasques), Beltrão de Caia e mais um mercador judeu de nome Garcia Roiz (ou Rodrigues) – fazem parte do imaginário e das lendas da cidade”, acrescenta a empresa ArtGilão numa nota de imprensa.

Os vinhos – um branco, um tinto e um rosé, produzidos com castas Arinto, Crato Branco, Touriga Nacional e Syrah, – que vão ser apresentados esta tarde, no âmbito do evento “Tavira, os Dias do Vinho”, vão ser as propostas desenvolvidas no âmbito desta parceria entre a casa de vinhos que tem produção naquele concelho algarvio e a empresa das paróquias de Tavira, que explicam querer “associar um produto de excelência ao património” da cidade.

“A imagem escolhida para o rótulo destes vinhos remete-nos, precisamente, para o Castelo e para a igreja de Santa Maria, local onde se julga estarem sepultados estes cavaleiros”, destaca o padre Miguel Neto.

O pároco de Tavira pretende que os vinhos possam ser vendidos não apenas nas lojas da empresa mas noutros locais sendo também um produto «cartão-de-visita» da cidade: “O que desejamos é que este vinho, que tem uma qualidade altíssima, possa ser apreciado pelos tavirenses e por todos os que nos visitam, nacionais ou estrangeiros”.

“Quando se proporcionou esta colaboração com ArtGilão, foi com muito entusiasmo que aderimos a esta ideia e estamos confiantes que ‘Os Sete Cavaleiros do Castelo’ irão contribuir para a promoção da excelente aptidão e grande potencial das vinhas e do vinho desta região”, disse José Luís Santos Lima Oliveira da Silva, bisneto do fundador da Casa e proprietário da mesma, divulga o jornal diocesano ‘Folha da Manhã’.

CB

Jul
26
Sex
Algarve: Diocese promove peregrinação dos avós
Jul 26@15:00

Faro, 09 jul 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve vai presidir à peregrinação dos avós ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, a partir das 15h30 do próximo dia 26, em Loulé.

Na nota enviada hoje à Agência ECCLESIA, o jornal ‘Folha do Domingo’ informa que a iniciativa que vai ser presidida por D. Manuel Quintas realiza-se pelo segundo ano consecutivo.

A peregrinação no Dia Mundial dos Avós ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como Mãe Soberana, é promovida pelo Departamento da Pastoral Social.

No dia 26 de julho a Igreja Católica celebra a memória litúrgica de Santa Ana e São Joaquim, os pais de Maria e avós de Jesus.

CB

 

Jul
27
Sáb
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Jul 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]