Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Mai
17
Sex
Beja: Cáritas diocesana promove conferência sobre «Doutrina Social da Igreja»
Mai 17@16:00

Beja, 14 mai 2019 (Ecclesia) – A Cáritas Diocesana de Beja realiza, dia 17 de maio, nas suas instalações na cidade do Alentejo, pelas 16h00, uma conferência sobre «Doutrina Social da Igreja».

A iniciativa, “aberta e dirigida à comunidade”, conta com a participação do padre da Companhia de Jesus (jesuíta) Fernando Ribeiro, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Com esta atividade pretende-se que se possam “encontrar os princípios de reflexão, os critérios de julgamento e as diretrizes de ação que permitam promover, no dia-a-dia, um humanismo integral e solidário”, lê-se na nota.

O padre Fernando Ribeiro nasceu em 1971, em Ribeirão (Famalicão), tendo estudado Agronomia antes de entrar na Companhia de Jesus.

Como jesuíta licenciou-se em Filosofia e Teologia e é mestre em Teologia Moral e migrações internacionais.

LFS

Mai
31
Sex
Património: Misericórdias vão debater realidade dos seus museus
Mai 31 todo o dia

Beja, 27 de mai 2019 (Ecclesia) – A Santa Casa da Misericórdia de Beja e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) vão promover, dia 31 deste mês, naquela cidade, as jornadas «Museologia nas Misericórdias».

A iniciativa decorre no Salão Nobre da Misericórdia de Beja, a partir das 10h00, pretende refletir sobre a realidade e “as potencialidades do património museológico detido em todo o país pelas Misericórdias, inclusive pela de Beja”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A edição deste ano das jornadas vai aprofundar “as boas-práticas para a proteção e manutenção deste património, mas também os desafios que esta oferta cultural poderá representar para o desenvolvimento da economia do turismo, para a coesão do território, para a sustentabilidade das Santas Casas e, sobretudo, para a afirmação da sua identidade secular”.

Através das suas realidades museológicas, as Misericórdias têm “a possibilidade de mostrar e divulgar a vasta experiência e conhecimento dos movimentos sociais em cada comunidade, uma vez que ao longo de séculos foram, e ainda são, promotoras de cultura e tradições locais”.

Atualmente, as Misericórdias têm “cerca de 82 espaços museológicos” que se traduzem em museus, casas museu, núcleos museológicos, centros interpretativos, centros de memória, espaços musealizados, coleções visitáveis, entre outros.

A sessão de abertura conta com a presença da diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira; do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Beja, João Paulo Ramôa; do presidente da UMP, Manuel de Lemos; do Presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Jorge Lúcio Arsénio; e do Bispo de Beja, D. José João dos Santos Marcos.

LFS

PROGRAMA das JORNADAS de MUSEOLOGIA

Jun
7
Sex
Vila Real: CNIS promove Festa da Solidariedade
Jun 7 todo o dia

Vila Real, 28 mai 2019 (Ecclesia) – A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) promove, dia 07 de junho, em Vila Real, no âmbito da XIII Festa da Solidariedade, o seminário «Garantir os Valores com Sustentabilidade Financeira – Desafio para as Instituições».

O evento, que decorre na parte da manhã nos claustros do edifício do antigo Governo Civil de Vila Real (Largo Conde de Amarante), conta com a participação de Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Henrique Rodrigues, assessor da direção da CNIS, Marco António Costa, ex-Secretário de Estado da Segurança Social e Nuno Mota Pinto, vogal da Comissão Executiva do Banco Montepio, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

LFS

Jun
29
Sáb
Beja: Diocese peregrina ao Santuário de Fátima
Jun 29_Jun 30 todo o dia

Beja, 15 jun 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Beja realiza a sua peregrinação ao Santuário de Fátima, dias 29 e 30 deste mês, que tem como tema «Com Maria adoramos o Pai, o Filho e o Espírito Santo».

O primeiro momento, às 15h00, é a concentração e celebração na Basílica da Santíssima Trindade e depois, às 17h00, faz-se o desfile da Cruz Alta até à Capelinha das Aparições, lê-se no programa enviado à Agência ECCLESIA.

Os participantes fazem, às 17h15, a consagração da Diocese de Beja a Nossa Senhora de Fátima e pelas 21h30 rezam o rosário.

O dia encerra, pelas 23h00, com a Via Sacra até aos Valinhos.

O segundo dia da peregrinação da diocese alentejana ao Santuário de Fátima encerra, às 11h00, com a celebração da Eucaristia.

LFS

Jun
30
Dom
Vila Real: Apresentação de D. António Augusto Azevedo à diocese
Jun 30 todo o dia

Vila Real, 27 jun 2019 (Ecclesia) – O novo bispo da Diocese de Vila Real, D. António Augusto Azevedo, vai tomar posse, dia 30 de junho, às 16h00, naquela diocese do norte de Portugal.

No final da eucaristia, D. António Azevedo fica na Sé a receber os cumprimentos das autoridades e convidados, lê-se no comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

O Papa Francisco nomeou D. António Augusto Azevedo bispo da Diocese de Vila Real, a 11 de maio.

Na saudação dirigida aos novos diocesanos, D. António Augusto Azevedo considera “uma grande honra” e “motivo de alegria” ser bispo das gentes de Trás-os-Montes e Alto Douro por quem tem “admiração pelo caráter e a cultura”.

Natural de Avioso, (concelho da Maia – Porto), D. António Augusto Azevedo tem 56 anos, foi ordenado padre a 13 de julho de 1986 e, após o curso de Teologia, estudou Filosofia na Universidade Pontifícia Gregoriana, de Roma.

Antes de ser nomeado bispo auxiliar do Porto, no dia 9 de janeiro de 2016, o sacerdote lecionou na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa (UCP), no Centro de Cultura Católica e no Curso de Pastoral do Seminário Maior, sempre no Porto, tendo colaborado ainda com a Escola de Direito e da Faculdade de Educação e Psicologia da UCP.

O bispo auxiliar do Porto sucede a D. Amândio Tomás, bispo de Vila Real desde maio de 2011, onde foi também, durante três anos, coadjutor.

LFS

Igreja/Portugal: D. António Augusto Azevedo é o novo bispo de Vila Real

Jul
8
Seg
Lisboa: Missionário apresenta livro que tem como objetivo o apoio a Moçambique
Jul 8@17:00_19:00

Foto: O padre Carlos Jacob trabalhou durante 13 anos como missionário em Moçambique, AE/JCP

Lisboa, 06 jul 2019 (Ecclesia) – O padre Carlos Jacob, dos Missionários de São João Batista, vai apresentar esta segunda-feira em Lisboa o livro ‘Missão em África: Lançar sementes, colher sorrisos’, cuja venda reverte a favor do trabalho da congregação em Moçambique e mais concretamente das vítimas dos ciclones naquele país

O lançamento deste projeto, que conta com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos, está marcado para as 17h00 no salão nobre (Sala D. Luís) das instalações do Edifício Sede da CGD, em Lisboa

O autor, o padre português Carlos Jacob, de 59 anos, integra a congregação dos Missionários de São João Batista, que está presente em Portugal mas também em outros países como é o caso de Moçambique, onde aquele sacerdote tem colaborado em várias missões.

Nos últimos meses, as atenções têm estado voltadas para a tragédia que atingiu aquele país lusófono há cerca de um mês, com a passagem do ciclone Idai, que provocou mais de 600 mortos, 70 mil desalojados e deixou pelo menos de 350 mil  em risco de vida.

Pouco tempo depois, o mesmo território foi atingido por um novo furação, batizado como Kenneth, que levou nova vaga de destruição ao país lusófono, embora felizmente em menor escala.

Fundada em 1948 na Alemanha, a congregação dos Missionários de São João Batista dedica-se ao apoio dos mais pobres e desfavorecidos e ao aprofundamento e anúncio da fé cristã junto das comunidades.

Na sessão de apresentação do livro ‘Missão em África: Lançar sementes, colher sorrisos’, do padre Carlos Jacob, nas instalações do Edifício Sede da CGD em Lisboa, estarão entre outras figuras o presidente da Cáritas Portuguesa, Eugénio Fonseca; Joana Clemente, da HELPO, Carlos Almeida, da HELPO Moçambique; Alfredo Filipe, da Câmara de Comércio Brasil-Portugal, e Paulo Moita de Macedo, da Caixa Geral de Depósitos.

JCP

Jul
10
Qua
Beja: Diocese vai celebrar 250 anos da sua restauração
Jul 10 todo o dia

Programa das comemorações é apresentado esta quarta-feira, 10 de julho

Beja, 08 jul 2019 (Ecclesia) – A diocese de Beja prepara-se para a celebração dos 250 anos da sua restauração, reconhecendo uma “história difícil e dramática” mas que importa assinalar junto do povo que “deseja e precisa da mãe Igreja”.

“A Igreja sempre foi mãe, neste novo contexto sublinha a dimensão da maternidade, porque as pessoas no fundo, desejam e precisam dessa maternidade. Estas festividades poderão ajudar nesse sentido”, explica à Agência ECCLESIA D. João Marcos, bispo diocesano desde 2016, que fará a apresentação pública das comemorações na tarde do dia 10.

“Estamos num tempo novo, de término e início de outras. Vamos devagarinho, mas há vida, há festa”, sublinha, recordando uma nota escrita aos diocesanos onde convida “diocesanos e não diocesanos” para um programa de celebração, com início marcado para 1 de dezembro e encerramento a 22 de novembro de 2020.

Para contar a história da diocese estará patente uma exposição, na pousada de São Francisco, desde 1 de março a 9 de maio, que será objeto de visita dos seis arciprestados de Beja.

A par da exposição, estão previstas conferências com convidados que falarão da história mas também do futuro da diocese, a última a cargo do Arcebispo de Évora, D. Senra Coelho, sobre «Como olhar hoje e que lição tirar dos fatores e circunstâncias culturais, sociais, políticas e religiosas explicativas da descristianização do Alentejo no passado?»

Reconhece D. João Marcos a raiz católica de muitos diocesanos mas, afirma, “a semente não germinou”.

“A maioria das pessoas reconhece-se católica e foi batizada, apesar de essa semente não ter germinado. Esse é o problema deste Portugal que temos hoje, dos católicos portugueses que somos e desta diocese”, lamenta.

O bispo titular desde 2016 acredita que conhecer a história da diocese irá ajudar os cristãos a um relacionamento e prática mais assídua, contando para isso com a publicação, “em setembro”, de um livro da autoria do padre Luís Taborda, pároco de Castro Verde, e o cónego António Aparício.

O próximo ano vai ainda ser marcado pela oração.

“A diocese é convidada a praticar a oração: nas laudes, vésperas, antes das refeições, orações em família. Vemos que o ir à missa é o único momento de oração dos que praticam e é muito pouco”, lamento o responsável.

Numa carta dirigida aos diocesanos, D. João Marcos aponta a diocese como um terreno a ser “semeado”.

“A diocese é hoje um grande terreno que precisa de ser lavrado e semeado para produzir uma seara nova. Estas festas dos 250 anos da restauração da diocese deverão marcar o início desse tempo novo”, afirma.

LS

Jul
11
Qui
Igreja/Património: Ciclo de concertos «Música nas Catedrais 2019»
Jul 11@21:30

Lisboa, 09 jul 2019 (Ecclesia) – O Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja e a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) promovem, de 28 deste mês a 26 de julho, às 21h30, a primeira edição do ciclo «Música nas Catedrais»

Esta iniciativa, que se enquadra no projeto nacional Rota das Catedrais, é coordenada pelo Teatro Nacional de São Carlos, que assegura diretamente alguns concertos através do Coro do Teatro Nacional de São Carlos, em colaboração com a Orquestra Clássica do Sul, a Orquestra Filarmonia das Beiras e a Orquestra do Norte, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O próximo concerto, esta quinta-feira (11 julho), realiza-se na Sé de Beja e tem como protagonistas o Coro do Teatro Nacional de São Carlos.

No dia seguinte (12 julho), o mesmo coro atua na Sé de Elvas (Arquidiocese de Évora).

O Coro do Teatro Nacional de São Carlos, um dos “pilares artísticos da única instituição que no nosso país se dedica há mais de dois séculos ao género lírico, propõe-nos uma deambulação pela ópera romântica italiana, sublinhando o facto de a religiosidade ter assumido na mesma uma particular importância”, refere o comunicado.

LFS

Jul
12
Sex
Igreja/Património: Ciclo de concertos «Música nas Catedrais 2019»
Jul 12@21:30

Lisboa, 09 jul 2019 (Ecclesia) – O Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja e a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) promovem, de 28 deste mês a 26 de julho, às 21h30, a primeira edição do ciclo «Música nas Catedrais»

Esta iniciativa, que se enquadra no projeto nacional Rota das Catedrais, é coordenada pelo Teatro Nacional de São Carlos, que assegura diretamente alguns concertos através do Coro do Teatro Nacional de São Carlos, em colaboração com a Orquestra Clássica do Sul, a Orquestra Filarmonia das Beiras e a Orquestra do Norte, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O próximo concerto, esta quinta-feira (11 julho), realiza-se na Sé de Beja e tem como protagonistas o Coro do Teatro Nacional de São Carlos.

No dia seguinte (12 julho), o mesmo coro atua na Sé de Elvas (Arquidiocese de Évora).

O Coro do Teatro Nacional de São Carlos, um dos “pilares artísticos da única instituição que no nosso país se dedica há mais de dois séculos ao género lírico, propõe-nos uma deambulação pela ópera romântica italiana, sublinhando o facto de a religiosidade ter assumido na mesma uma particular importância”, refere o comunicado.

LFS

Set
4
Qua
Igreja/Património: Lançamento projeto «Caminhos de Santiago Alentejo e Ribatejo»
Set 4 todo o dia

Santiago do Cacém, 02 set 2019 (Ecclesia) – Na Igreja Matriz de Santiago do Cacém (Diocese de Beja) vai realizar-se, dia 04 deste mês, às 10h00, o lançamento do projeto «Caminhos de Santiago Alentejo e Ribatejo».

O programa desta cerimónia conta com a apresentação do filme promocional e da história dos caminhos, a bênção dos percursos pelo bispo de Beja e dois painéis de debate sob os temas “Os Peregrinos – Desafios e Expectativas” e “Dinamização dos Caminhos – Presente e Futuro”, entre outras iniciativas, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

Dividido em três percursos diferentes o projeto «Caminhos de Santiago Alentejo Ribatejo» visa resgatar a história e o simbolismo da fé e da espiritualidade para peregrinos e caminhantes, através da oferta de experiências que permitam descobrir paisagens, hábitos e tradições populares, mas sobretudo a vivência do património religioso existente no território, ao longo de 1400 quilómetros.

Esta iniciativa conta com presença da secretária de Estado do Turismo, da diretora regional de Cultura do Alentejo, do líder da autarquia local, da comissária do Jacobeu 2021, do ministro regional da Cultura e Turismo da Galiza e do deão da Catedral de Santiago de Compostela (Espanha).

LFS

Set
28
Sáb
Beja: Ordenação de diácono na Sé
Set 28@10:30

Beja, 10 set 2019 (Ecclesia) – Na Sé de Beja vai ser, dia 28 deste mês, ordenado diácono o candidato ao presbitério Francisco Diogo Costa Molho.

A celebração, pelas 10h30, vai ser presidida por D. João Marcos, bispo de Beja, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Após a Eucaristia será servido o almoço no refeitório do Seminário de Beja.

LFS

Out
5
Sáb
Vila Real: Dia diocesano do catequista em Vila Pouca de Aguiar
Out 5@9:00_16:00

Vila Real, 04 out 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Vila Real vai promover o dia diocesano do catequista, com o tema «Catequese e Missão» entre as 09h00 e as 16h00, este sábado, em Vila Pouca de Aguiar.

Os catequistas vão reunir-se na Igreja Matriz de Vila Pouca de Aguiar, durante a manhã, para conviver, refletir, e partilhar práticas relacionadas com a «Catequese e Missão» e dos trabalhos fazem parte sete temas/workshops, seguidos de um plenário, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Após o almoço convívio, os catequistas voltam a reunir-se às 15h00 para a celebração do compromisso e envio presidida pelo Bispo de Vila Real, D. António Augusto de Oliveira Azevedo.

LFS

Out
25
Sex
Vila Real: Conferência sobre «Liturgia e Catequese» no Centro Católico de Cultura
Out 25@21:00

Foto 360portugal.com

Vila Real, 24 out 2019 (Ecclesia) – O Centro Católico de Cultura de Vila Real retoma, esta sexta-feira, às 21h00, as suas atividades formativas neste ano letivo com uma conferência sobre «Liturgia e Catequese».

O orador é o padre José Cardoso de Almeida, da Diocese de Viseu, que é formado em catequese no Instituto de São Dâmaso, em Madrid, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O ano letivo inicia com uma conferência “aberta a todos, padres e leigos”, tendo como título «Liturgia e Catequese» e vai abordar “as relações entre a prática litúrgica e a catequese em todas as idades, incluindo grupos de jovens, escuteiros, entre outros”, lê-se.

A conferência terá lugar no auditório do Seminário de Vila Real.

LFS

 

Nov
28
Qui
Vila Real: D. António Augusto Azevedo convoca os jovens para encontro
Nov 28@21:00

Foto Diocese do Porto, D. António Augusto Azevedo

Vila Real, 12 nov 2019 (Ecclesia) – O bispo de Vila Real, D. António Augusto Azevedo, convoca os jovens da sua diocese para um encontro, dia 28 deste mês, pelas 21 horas, na Capela Nova.

“Com muitos jovens de Portugal estamos a iniciar um caminho que nos levará até às Jornadas Mundiais da Juventude que se realizarão em Lisboa em 2022 e que juntarão milhões de jovens de todo o mundo”, refere a carta convite enviada à Agência ECCLESIA.

Em Vila Real, o início da caminhada começa com um encontro de jovens e vai ser “um momento especial” para conhecer, rezar e conviver mas, sobretudo, para se dar o “primeiro passo deste percurso tão importante para os jovens”, lê-se.

O Papa Francisco tem desafiado os jovens a «não renunciar ao melhor da juventude nem observar a vida de uma varanda; a não confundir felicidade com um sofá ou um ecrã», mas assumir a sua missão no presente e no futuro da sociedade.

LFS

Dez
1
Dom
Beja: Diocese vai celebrar 250 anos da sua restauração
Dez 1 todo o dia

Programa das comemorações é apresentado esta quarta-feira, 10 de julho

Beja, 08 jul 2019 (Ecclesia) – A diocese de Beja prepara-se para a celebração dos 250 anos da sua restauração, reconhecendo uma “história difícil e dramática” mas que importa assinalar junto do povo que “deseja e precisa da mãe Igreja”.

“A Igreja sempre foi mãe, neste novo contexto sublinha a dimensão da maternidade, porque as pessoas no fundo, desejam e precisam dessa maternidade. Estas festividades poderão ajudar nesse sentido”, explica à Agência ECCLESIA D. João Marcos, bispo diocesano desde 2016, que fará a apresentação pública das comemorações na tarde do dia 10.

“Estamos num tempo novo, de término e início de outras. Vamos devagarinho, mas há vida, há festa”, sublinha, recordando uma nota escrita aos diocesanos onde convida “diocesanos e não diocesanos” para um programa de celebração, com início marcado para 1 de dezembro e encerramento a 22 de novembro de 2020.

Para contar a história da diocese estará patente uma exposição, na pousada de São Francisco, desde 1 de março a 9 de maio, que será objeto de visita dos seis arciprestados de Beja.

A par da exposição, estão previstas conferências com convidados que falarão da história mas também do futuro da diocese, a última a cargo do Arcebispo de Évora, D. Senra Coelho, sobre «Como olhar hoje e que lição tirar dos fatores e circunstâncias culturais, sociais, políticas e religiosas explicativas da descristianização do Alentejo no passado?»

Reconhece D. João Marcos a raiz católica de muitos diocesanos mas, afirma, “a semente não germinou”.

“A maioria das pessoas reconhece-se católica e foi batizada, apesar de essa semente não ter germinado. Esse é o problema deste Portugal que temos hoje, dos católicos portugueses que somos e desta diocese”, lamenta.

O bispo titular desde 2016 acredita que conhecer a história da diocese irá ajudar os cristãos a um relacionamento e prática mais assídua, contando para isso com a publicação, “em setembro”, de um livro da autoria do padre Luís Taborda, pároco de Castro Verde, e o cónego António Aparício.

O próximo ano vai ainda ser marcado pela oração.

“A diocese é convidada a praticar a oração: nas laudes, vésperas, antes das refeições, orações em família. Vemos que o ir à missa é o único momento de oração dos que praticam e é muito pouco”, lamento o responsável.

Numa carta dirigida aos diocesanos, D. João Marcos aponta a diocese como um terreno a ser “semeado”.

“A diocese é hoje um grande terreno que precisa de ser lavrado e semeado para produzir uma seara nova. Estas festas dos 250 anos da restauração da diocese deverão marcar o início desse tempo novo”, afirma.

LS