Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Mar
21
Qui
Braga: Primeira romaria de São Bento da Porta Aberta
Mar 21 todo o dia

Braga, 20 mar 2019 (Ecclesia) – A primeira romaria de São Bento da Porta Aberta (Arquidiocese de Braga) realiza-se a 21 deste mês e assinala-se a morte de São Bento e a celebração do Dia Mundial das Florestas.

Para assinalar a efeméride celebra-se a eucaristia, às 11h00 na Cripta de São Bento da Porta Aberta, presidida pelo arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, e “solenizada pelo Coro da Universidade Sénior de Vieira do Minho, sendo seguida por uma procissão eucarística”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

“Seis dias antes da morte mandou abrir a sua sepultura. Logo depois, atacado por umas febres, começou a ressentir-se do seu ardor violento. Como a enfermidade se agravasse dia a dia, no sexto fez-se conduzir pelos discípulos ao oratório e ali se fortaleceu para a partida deste mundo recebendo o Corpo e o Sangue do Senhor; e apoiando os seus enfraquecidos membros nos braços dos discípulos, permaneceu de pé com as mãos erguidas para o céu, e exalou o último suspiro entre as palavras da oração”, escreveu São Gregório Magno.

O Santuário de São Bento da Porta Aberta situa-se nas franjas rendilhadas da Serra do Gerês e é um lugar preferencial de culto ao fundador dos beneditinos.

LFS

Mar
22
Sex
Braga: Ciclo de conferências sobre corrupção, populismos e migrações
Mar 22@21:00

Braga, 07 mar 2019 (Ecclesia) – A Arquidiocese de Braga vai promover o ciclo de conferências «Nova Ágora 2019» que, em três sessões, vai abordar temas como “Poder e Corrupção”, “Populismos” e “Migrações”.

A iniciativa decorre a 22 e 29 de março e a 5 de abril, este ano em três cidades: Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Braga.

A nova edição foi apresentada em conferência de imprensa no Espaço Vita, onde o arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, questionou a capacidade de “erradicar” a corrupção, que considerou um “flagelo”, criticando os populismos que “determinam orientações políticas em todo o planeta”.

O padre Paulo Terroso, diretor do Departamento de Comunicação da Arquidiocese de Braga, começou por explicar que a “descentralização” deste ciclo se prende com um certo grau de “maturidade” que a Nova Ágora já conseguiu atingir depois de quatro edições, exigindo assim uma nova dinâmica.

Já o padre Eduardo Duque, coordenador do evento, realçou o facto de a ‘Nova Ágora’ substituir as antigas Conferências Quaresmais, proferidas na Catedral de Braga pelo arcebispo primaz.

“Vemos a Nova Ágora como um momento de encontro e partilha com outras pessoas. Cada vez mais faz sentido esta dinâmica até porque a dimensão religiosa já não é a única a dar sentido à vida das pessoas e temos de respeitar isso”, explicou, numa intervenção divulgada pela arquidiocese minhota.

No dia 22 de março, os “Olhares sobre o Poder e Corrupção” preenchem o Paço dos Duques, em Guimarães, com as intervenções de Joana Marques Vidal, procuradora-geral adjunta no Tribunal Constitucional; Luís de Sousa, subdiretor e investigador auxiliar no Instituto de Ciências Sociais (ICS-ULisboa); e Paulo de Morais, professor universitário e presidente da “Frente Cívica”; a moderação fica a cargo do jornalista António Mateus.

A 29 de março, o debate é sobre “Populismos”, na Casa das Artes, em Famalicão, com Paulo Rangel, deputado ao Parlamento Europeu e vice-presidente do PPE; José Filipe Pinto, professor catedrático da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias; e Felipe Pathé Duarte, professor/investigador universitário e consultor; o jornalista Carlos Magno modera o debate.

A terceira e última conferência deste ano acontece novamente a 5 de abril, em Braga, no Espaço Vita: António Vitorino, diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações; Pedro Calado, alto-comissário para as Migrações; e José Luís Carneiro, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, discutem as “Migrações” e encerram o ciclo de conferências desta Nova Ágora, com moderação de Ana Paula Marques, professora da Universidade do Minho.

Todas as conferências começam pelas 21h00 e a entrada é gratuita, sujeita a inscrição em www.novaagora.pt.

LFS/OC

Mar
23
Sáb
Vida Consagrada: Cantata «Derramaste, ó Deus, uma chuva de bênçãos»
Mar 23@21:30

Póvoa de Varzim, 11 mar 2019 (Ecclesia) – Na comemoração dos 50 anos de aprovação da Congregação da Divina Providência e Sagrada Família realiza-se, dia 23 de março, na Igreja matriz de Póvoa de Varzim, às 21h30, a cantata «Derramaste, ó Deus, uma chuva de bênçãos».

A obra musical é da autoria do padre João Paulo Quelhas (Capelão do Santuário de Fátima) e Sílvio Vicente e vai ser executada pelo Coro do Sameiro e Orquestra, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A cidade de Póvoa de Varzim (Arquidiocese de Braga) é a terra natal da cofundadora da congregação, irmã Maria Rosa Campos.

LFS

Mar
28
Qui
Braga: Inauguração da exposição «Redemptor Hominis»
Mar 28@18:00

Braga, 25 mar 2019 (Ecclesia) – O Tesouro-Museu da Sé de Braga expõe a partir do dia 28 de março até 28 de abril um conjunto de peças de Luísa Gomes Pereira intitulada «Redemptor Hominis».

A mostra de artesanato de Barcelos vai ser inaugurada dia 28 deste mês, às 18h00, e é organizada pelo Tesouro-Museu da Sé de Braga, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA

As peças que nascem das mãos desta artesã são modeladas em pasta de papel e trabalhadas com materiais reciclados.

Tendo por base o figurado de Barcelos, o seu trabalho, “inspirado nas tradições populares e religiosas do nosso país, apresenta um estilo inconfundível e inovador, uma simbiose perfeita entre a arte e a reciclagem”, lê-se.

A iniciativa insere-se no programa das Solenidades da Quaresma e Semana Santa da Arquidiocese de Braga.

LFS

Mar
29
Sex
Braga: Ciclo de conferências sobre corrupção, populismos e migrações
Mar 29@21:00

Braga, 07 mar 2019 (Ecclesia) – A Arquidiocese de Braga vai promover o ciclo de conferências «Nova Ágora 2019» que, em três sessões, vai abordar temas como “Poder e Corrupção”, “Populismos” e “Migrações”.

A iniciativa decorre a 22 e 29 de março e a 5 de abril, este ano em três cidades: Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Braga.

A nova edição foi apresentada em conferência de imprensa no Espaço Vita, onde o arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, questionou a capacidade de “erradicar” a corrupção, que considerou um “flagelo”, criticando os populismos que “determinam orientações políticas em todo o planeta”.

O padre Paulo Terroso, diretor do Departamento de Comunicação da Arquidiocese de Braga, começou por explicar que a “descentralização” deste ciclo se prende com um certo grau de “maturidade” que a Nova Ágora já conseguiu atingir depois de quatro edições, exigindo assim uma nova dinâmica.

Já o padre Eduardo Duque, coordenador do evento, realçou o facto de a ‘Nova Ágora’ substituir as antigas Conferências Quaresmais, proferidas na Catedral de Braga pelo arcebispo primaz.

“Vemos a Nova Ágora como um momento de encontro e partilha com outras pessoas. Cada vez mais faz sentido esta dinâmica até porque a dimensão religiosa já não é a única a dar sentido à vida das pessoas e temos de respeitar isso”, explicou, numa intervenção divulgada pela arquidiocese minhota.

No dia 22 de março, os “Olhares sobre o Poder e Corrupção” preenchem o Paço dos Duques, em Guimarães, com as intervenções de Joana Marques Vidal, procuradora-geral adjunta no Tribunal Constitucional; Luís de Sousa, subdiretor e investigador auxiliar no Instituto de Ciências Sociais (ICS-ULisboa); e Paulo de Morais, professor universitário e presidente da “Frente Cívica”; a moderação fica a cargo do jornalista António Mateus.

A 29 de março, o debate é sobre “Populismos”, na Casa das Artes, em Famalicão, com Paulo Rangel, deputado ao Parlamento Europeu e vice-presidente do PPE; José Filipe Pinto, professor catedrático da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias; e Felipe Pathé Duarte, professor/investigador universitário e consultor; o jornalista Carlos Magno modera o debate.

A terceira e última conferência deste ano acontece novamente a 5 de abril, em Braga, no Espaço Vita: António Vitorino, diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações; Pedro Calado, alto-comissário para as Migrações; e José Luís Carneiro, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, discutem as “Migrações” e encerram o ciclo de conferências desta Nova Ágora, com moderação de Ana Paula Marques, professora da Universidade do Minho.

Todas as conferências começam pelas 21h00 e a entrada é gratuita, sujeita a inscrição em www.novaagora.pt.

LFS/OC

Abr
3
Qua
Igreja/Prisões: Padre João Gonçalves recebe prémio «Gente de Paz e de Justiça»
Abr 3_Abr 6 todo o dia

Foto: Pastoral Penitenciária

Fafe, 04 abr 2019 (Ecclesia) – O coordenador nacional da Pastoral Penitenciária, padre João Gonçalves, vai receber hoje o prémio «Gente de Paz e de Justiça» no encontro internacional de Causas e Valores da Humanidade que decorre em Fafe (Arquidiocese de Braga).

Nesta edição vão estar em debate “três grandes temas: a saúde, o trabalho e a liberdade”, com a homenagem à “Organização Internacional de Trabalho, à Obra Vicentina de Apoio ao Recluso, a Francisco George e António Arnaut, num dia dedicado ao Serviço Nacional de Saúde”, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

Hoje, no dia dedicado à Obra Vicentina de Auxílio aos Reclusos, o padre João Gonçalves e o professor do ISCTE-Lisboa, António Pedro Dores, vão refletir sobre “A verdade escondida atrás das grades” e, pelas 15h45, os participantes podem visionar o documentário «O padre das prisões», seguido de debate com a autora/guionista Inês Leitão e o protagonista padre João Gonçalves.

Pelas 21h30 desse dia, o embaixador Terra Justa, frei Fernando Ventura, entrega o Prémio “Gente de Paz e de Justiça” ao padre João Gonçalves e pelas 21h45 realiza-se uma homenagem/Conferência à Obra Vicentina de Auxílio aos Reclusos com a presença de Manuel Almeida Santos (presidente da instituição).

LFS

Abr
5
Sex
Braga: Ciclo de conferências sobre corrupção, populismos e migrações
Abr 5@21:00

Braga, 07 mar 2019 (Ecclesia) – A Arquidiocese de Braga vai promover o ciclo de conferências «Nova Ágora 2019» que, em três sessões, vai abordar temas como “Poder e Corrupção”, “Populismos” e “Migrações”.

A iniciativa decorre a 22 e 29 de março e a 5 de abril, este ano em três cidades: Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Braga.

A nova edição foi apresentada em conferência de imprensa no Espaço Vita, onde o arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, questionou a capacidade de “erradicar” a corrupção, que considerou um “flagelo”, criticando os populismos que “determinam orientações políticas em todo o planeta”.

O padre Paulo Terroso, diretor do Departamento de Comunicação da Arquidiocese de Braga, começou por explicar que a “descentralização” deste ciclo se prende com um certo grau de “maturidade” que a Nova Ágora já conseguiu atingir depois de quatro edições, exigindo assim uma nova dinâmica.

Já o padre Eduardo Duque, coordenador do evento, realçou o facto de a ‘Nova Ágora’ substituir as antigas Conferências Quaresmais, proferidas na Catedral de Braga pelo arcebispo primaz.

“Vemos a Nova Ágora como um momento de encontro e partilha com outras pessoas. Cada vez mais faz sentido esta dinâmica até porque a dimensão religiosa já não é a única a dar sentido à vida das pessoas e temos de respeitar isso”, explicou, numa intervenção divulgada pela arquidiocese minhota.

No dia 22 de março, os “Olhares sobre o Poder e Corrupção” preenchem o Paço dos Duques, em Guimarães, com as intervenções de Joana Marques Vidal, procuradora-geral adjunta no Tribunal Constitucional; Luís de Sousa, subdiretor e investigador auxiliar no Instituto de Ciências Sociais (ICS-ULisboa); e Paulo de Morais, professor universitário e presidente da “Frente Cívica”; a moderação fica a cargo do jornalista António Mateus.

A 29 de março, o debate é sobre “Populismos”, na Casa das Artes, em Famalicão, com Paulo Rangel, deputado ao Parlamento Europeu e vice-presidente do PPE; José Filipe Pinto, professor catedrático da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias; e Felipe Pathé Duarte, professor/investigador universitário e consultor; o jornalista Carlos Magno modera o debate.

A terceira e última conferência deste ano acontece novamente a 5 de abril, em Braga, no Espaço Vita: António Vitorino, diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações; Pedro Calado, alto-comissário para as Migrações; e José Luís Carneiro, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, discutem as “Migrações” e encerram o ciclo de conferências desta Nova Ágora, com moderação de Ana Paula Marques, professora da Universidade do Minho.

Todas as conferências começam pelas 21h00 e a entrada é gratuita, sujeita a inscrição em www.novaagora.pt.

LFS/OC

Abr
6
Sáb
Publicações: Lançamento da obra «Descalço também se caminha»
Abr 6@21:00

Braga, 27 fev 2019 (Ecclesia) – A obra «Descalço também se caminha» do cónego João Aguiar vai ser apresentada dia 06 de abril, pelas 21h00, no Espaço Vita, em Braga.

Com a chancela da Paulus Editora, o livro vai ser apresentado por D. Américo Aguiar, bispo auxiliar de Lisboa, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A obra é uma coletânea de textos divididos em três partes – Olhares, Canções de Amor e Reflexões – e no texto inicial, o autor escreve «Não sou um otimista sem os pés na terra. Aliás, os textos que neste livro ofereço têm cores distintas e não fogem sequer ao escuro de alguns instantes… Mas a noite é tempo de repouso», lê-se.

O autor é natural de Terras do Bouro, no Gerês, Braga e nasceu a 23 de dezembro de 1949.

Ordenado presbítero no dia 25 de março de 1973, durante quarenta anos trabalhou na pastoral da comunicação social, nomeadamente como jornalista e diretor do Diário do Minho, presidente do Conselho de Gerência da Rádio Renascença e diretor do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja Católica.

LFS

 

Braga: Conferência sobre «Arquitetura e espiritualidade» em Famalicão
Abr 6@21:30

Famalicão, 03 abri 2019 (Ecclesia) – O arquiteto António Jorge Fontes que, recentemente, ganhou o prémio mundial ARCHDAILY vai proferir, dia 06 de abril, às 21h30, uma conferência sobre «Arquitetura e espiritualidade» na Igreja Matriz de Vila Nova de Famalicão (Arquidiocese de Braga).

A Confraria das Santas Chagas da Comunidade Paroquial de Vila Nova de Famalicão, no âmbito da sua programação religiosa/cultural Semana Santa 2019, apresenta o projeto cultural «DespertAR-TE», Fé e Cultura que nasce como “provocação feita” às pessoas e que pretende “colocar a sociedade em dialogo com a fé através da arte que é, sempre, uma espaço de liberdade que está aberto a todos quantos buscam a sua espiritualidade, crentes e não crentes”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Um dos temas selecionados para a primeira edição é a arquitetura onde falará o referido arquiteto da empresa “Cerejeira Fontes Arquitetos” que foi galardoada com o prémio ARCHDAILY para o edifício do ano no que diz respeito à arquitetura religiosa “Capela Imaculada e Capela Cheia de Graça”, no Seminário Menor, em Braga.

LFS

 

Abr
8
Seg
Braga: Inauguração da exposição «Calvários: Devoção no espaço público»
Abr 8 todo o dia

Braga, 08 abr 2019 (Ecclesia) – A exposição «Calvários: Devoção no espaço público» é  inaugurada hoje, dia 08 de abril, às 15h00, no Centro Comercial Braga Parque (sopé da escadaria central), naquela cidade e está integrada no programa da Semana Santa de 2019.

Esta iniciativa mostra os trabalhos fotográficos premiados na edição de 2018 do Concurso de Fotografia «A Semana Santa de Braga» e a mesma ocasião servirá para anunciar as principais novidades da 11ª edição (2019) do Concurso de Fotografia, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A mostra é uma iniciativa do Braga Parque e está integrada na programação da Semana Santa de Braga.

LFS

Abr
14
Dom
Braga: Basílica dos Congregados apresenta «As Se7e Últimas Palavras de Cristo» (c/vídeo)
Abr 14@21:00_22:30

Os padres jornalistas João Aguiar Campos e Manuel Vilas Boas foram convidados  para propor as meditações, este ano

Lisboa, 13 abr 2019 (Ecclesia) – A Basílica dos Congregados, na Arquidiocese de Braga, vai juntar dois padres ligados à comunicação social para meditarem sobre ‘As 7 Últimas Palavras de Cristo na Cruz’, entre as 21h00 e as 22h30 deste domingo, dia 14.

O reitor da Basílica dos Congregados afirmou que as Sete Últimas Palavras de Cristo na Cruz são “medidas pesadas”, como “todas as últimas palavras”, e convidou o padre João Aguiar Campos para fazer as meditações, que “aceitou desde a primeira hora”.

“É um momento para nos colocarmos diante da cruz, nas palavras que vão ao encontro da nossa vida, talvez algumas questões que colocamos e que, com a música, com uma leitura cuidada e reflexão muito bem preparada, vai ao encontro do coração e à mente”, disse o padre Paulo Terroso, em declarações à Agência ECCLESIA.

Ao padre João Aguiar Campos, antigo diretor do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja Católica e ex-presidente do Conselho de Administração da Rádio Renascença, junta-se outro jornalista, o padre Manuel Vilas Boas, que fará a leitura das meditações.

O padre Paulo Terroso assinala que juntaram “dois homens da rádio, dois padres do Minho, um de Barcelos e outro do Gerês”, adiantando que o momento musical vai ser da responsabilidade do Quarteto Verazin.

Segundo reitor da Basílica dos Congregados, esta é uma iniciativa para “crentes e não crentes”, uma oportunidade para os participantes se encontrarem com a própria vida.

A composição de ‘As sete últimas palavras de Cristo na cruz’ é da responsabilidade do compositor austríaco Joseph Haydn, para as celebrações da Sexta-Feira Santa da cidade de Cádis, em Espanha, em 1786″.

A meditação realiza-se no domingo, dia 14, Domingo de Ramos, que marca o início da Semana Santa.

O reitor da Basílica dos Congregados destaca que este lugar de culto também é conhecido por ser um espaço onde as pessoas se podem confessar: “Mensalmente cerca de 1500 confissões, nesta altura da Quaresma chegamos quase às cinco mil”.

De outras iniciativas que marcam a pastoral da basílica, o padre Paulo Terroso realçou a Missa dominical das 12h00 por ter interpretação em Língua Gestual Portuguesa, bem como, em “todos os dias Santos e de Guarda”.

PR/CB

Abr
17
Qua
Braga: D. Jorge Ortiga fala sobre o «valor ético e social do desporto»
Abr 17@21:00_23:00

Braga, 13 abr 2019 (Ecclesia) – D. Jorge Ortiga vai participar em conferência sobre “O valor ético e social do desporto”, no próximo 17 de abril, no pequeno Auditório do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

A iniciativa assinala o início do Ciclo de Conferências subordinadas ao tema “O Desporto é um assunto sério”, promovida pela Tempo Livre e esta sessão com o tema “O valor ético e social do desporto”, conta com a presença do arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, e Jorge Olímpio Bento, professor catedrático da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, conforme comunicado enviado hoje à Agência Ecclesia.

“Autor da Carta Pastoral do Desporto 2018 D. Jorge Ortiga reflete o Desporto como uma “Escola de Humanidade” sem esquecer que a igreja também tem um papel para tornar o desporto “verdadeiramente humano e aberto a valores intemporais”, pode ler-se.

A conferência vai ser moderada pelo sociólogo Esser J. Silva, tem início às 21h00 e a entrada é livre (até ao limite da capacidade do espaço).

SN

Mai
2
Qui
Braga: Ciclo de conferências «Viver o Testemunho Cristão» em Vila Verde
Mai 2@11:42_12:42

Braga, 02 mai 2019 (Ecclesia) – As paróquias do Arciprestado de Vila Verde (Arquidiocese de Braga) estão a organizar um ciclo de conferências com o tema «Viver o Testemunho Cristão».

Esta iniciativa começou a 30 de abril e continua nos dias 02, 07 e 09 deste mês, no auditório da Ribeira do Neiva, Duas Igrejas, Vila Verde, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Os encontros, promovidos pela catequese paroquial de Duas Igrejas, destinam-se a ajudar “a formação dos catequistas e outros agentes pastorais, das paróquias da região”, lê-se

O padre Rui Manuel Sousa; o padre Nuno Ventura Martins e o padre Luís Miguel Rodrigues são os oradores no mês de maio.

LFS

Mai
3
Sex
Braga: Jornadas Teológicas sobre «A Fragilidade tem rosto?»
Mai 3@16:51_17:51

Braga, 29 abr 2019 (Ecclesia) – A Revista dos Alunos da Faculdade de Teologia do polo da Universidade Católica Portuguesa em Braga – «Cenáculo» – promove, dias 03, 08 e 31 de maio, as jornadas teológicas que têm como tema «A Fragilidade tem rosto?».

A primeira sessão tem três painéis que abordam os seguintes temas: «A felicidade virtual» (Ana Sampaio Bahia); «Entre a Missão e a Faculdade» (Isabel Martins) e «A Fragilidade de Jesus na Nossa» (padre Pablo Lima), realça o programa enviado à Agência ECCLESIA.

O tema «Cristãos (Im)perfeitos» vai ser tratado por Paolo Scquizzato dia 08 de maio e o padre Miguel Almeida e um casal refletem, dia 31 de maio, sobre «Educar para o (In)sucesso».

Todas as sessões decorrem no «Espaço Vita», pelas 21h30, na cidade de Braga.

LFS

Mai
4
Sáb
Braga: Jornada de Filosofia da Religião sobre o «Enigma do mal»
Mai 4 todo o dia

Braga, 25 mar 2019 (Ecclesia) – A II jornada de Filosofia da Religião, a realizar dia 04 de maio, no polo de Braga da Universidade Católica Portuguesa (UCP), tem como tema «Enigma do mal – A persistência do mal e a (im)pertinência das teodiceias».

Esta iniciativa que se realiza no auditório Isidro Alves (Campus Camões daquela cidade) tem como oradores os jesuítas Andreas Lind e Bruno Nobre; o teólogo espanhol Andrés Torres Queiruga; o dominicano Bento Domingues e o teólogo português João Duque, lê-se no programa enviado à Agência ECCLESIA.

A organização desta atividade está a cargo do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Universidade Católica Portuguesa.

LFS