Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Set
20
Sex
Evangelização: Algarve acolhe «Pequena Fraternidade Provisória» de Taizé
Set 20@19:00

Faro, 06 set 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve está a acolher, desde o passado dia 30 de agosto, a segunda “Pequena Fraternidade Provisória” da Comunidade Ecuménica de Taizé.

Maria Fischhaber e Lisa Schmid, duas jovens alemãs, foram recebidas na paróquia da Mexilhoeira Grande onde vão ficar, respetivamente, até aos dias 21 e 30 deste mês, refere o jornal «Folha do Domingo».

A experiência tinha sido realizada pela primeira vez no Algarve no início de 2018, com a vinda de três jovens também alemãs para realizar trabalho pastoral e social que ficaram alojadas na casa das Missionárias da Caridade, popularmente conhecidas como Irmãs de Calcutá.

Esta sexta-feira, 06 de setembro, será realizada na igreja da Mexilhoeira Grande uma oração às 19h00, mas a principal vigília de oração decorrerá no dia 20 deste mês, às 21h, na mesma igreja.

As «Pequenas Fraternidades Provisórias» são um projeto da comunidade ecuménica francesa, a cerca de 390 quilómetros a sudeste de Paris, coordenado pelo irmão Léo, que desde 2014 propõe a jovens a vida comunitária, durante algumas semanas, no coração de uma aldeia ou de um bairro urbano para que possam dar testemunho do evangelho e partilhar as “alegrias e tristezas dos seus habitantes”.

O dia-a-dia é ritmado por três orações comunitárias, trabalho pastoral e social com as comunidades cristãs locais, visitas a pessoas isoladas ou em situação de sofrimento, animação de orações abertas a todos e encontros com jovens.

A Comunidade Ecuménica de Taizé foi fundada em 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, pelo falecido irmão Roger Schutz com o propósito de “reunir homens que sentissem a necessidade de juntos fazerem comunhão e viverem em paz uma vida simples, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado aos homens por Jesus Cristo”.

A comunidade de Taizé é hoje constituída por mais de 100 irmãos, de várias nacionalidades e igrejas cristãs, incluindo a católica, recebendo semanalmente a visita de milhares de jovens.

A ligação do Algarve à Comunidade de Taizé remonta à realização do Concílio de Jovens que ali teve lugar na década de 70 do século passado.

As peregrinações do Algarve à comunidade monástica tiveram início desde então e todos os anos há grupos a passar alguns dias em Taizé.

LFS

Set
21
Sáb
Igreja/Património: «Itinerários da Fé» com visitas guiadas a Igrejas de Lisboa
Set 21 todo o dia

Lisboa, 12 jul 2019 (Ecclesia) – O Patriarcado de Lisboa promove, dia 21 de setembro, os percursos guiados «Itinerários da Fé» que proporcionam aos participantes, ao longo de uma manhã, a visita “a algumas das mais relevantes igrejas da baixa de Lisboa».

Nesta iniciativa, com a colaboração da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, os participantes iniciam o percurso da Sé de Lisboa, seguindo depois para a Igreja da Madalena, Igreja da Conceição Velha, Igreja de São Nicolau e Ermida de Nossa Senhora da Oliveira, lê-se no programa enviado à Agência ECCLESIA.

LFS

 

Algarve: Diocese apresenta programa Pastoral 2019/2020
Set 21@9:00_13:00

Faro, 18 set 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve  vai apresentar o seu programa para 2019/2010, dedicado ao tema ‘Testemunhar o Evangelho da Família’, numa assembleia, a partir das 09h00, deste sábado, na igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira.

“Fazer da caridade distintivo da Igreja diocesana, presente nos gestos quotidianos e no testemunho da alegria nascida do encontro pessoal com Cristo”, é o objetivo do programa onde vão olhar para a família, juventude e vocações e vai incidir nas dimensões paroquial, vicarial e diocesana.

A assembleia diocesana começa com a saudação do bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, às 09h45, no salão da igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira.

Depois, segue-se a conferência ‘Testemunhar o Evangelho da Família – o compromisso e o cuidado das famílias cristãs com a Sociedade’, pela presidente do Banco Alimentar Contra a Fome, Isabel Jonet, e o programa pastoral 2019-2020 é apresentado a partir das 12h00.

O jornal diocesano informa que o encontro para além dos sacerdotes, diáconos e religiosos, o encontro destina-se aos “membros das equipas que dão corpo aos departamentos, secretariados e setores dos serviços diocesanos” e “responsáveis de movimentos, associações” e aos “Conselhos Pastorais Paroquiais de cada paróquia”.

ano pastoral 2019/2020 é o último de um triénio que a Diocese do Algarve vive sobre o tema ‘Anunciar o Evangelho da Família – «edificar a sua casa sobre a rocha»’, desde 2017.

CB/OC

 

Algarve: Programa Pastoral 2019/2020 é apresentado em Assembleia Diocesana

Igreja/Património: Visita guiada ao Convento de São Domingos em Lisboa
Set 21@10:00_12:00

Lisboa, 17 set 2019 (Ecclesia) – No âmbito do Open House Lisboa, o arquiteto João Alves da Cunha vai fazer, dia 21 deste mês, duas visitas guiadas ao Convento de São Domingos.

As visitas são às 10h00 e às 11h00  e o convento dos dominicanos, em Lisboa, é um projeto de Paulo Providência e José Fernando Gonçalves, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O Convento de São Domingos é um projeto de influência moderna – que lembra espaços do Convento de La Tourette – e de sensível detalhe construtivo, patentes na escolha e desenho do betão à vista, dos painéis de cobre, da madeira maciça e das serralharias em aço.

LFS

Lisboa: Festival diocesano da canção sobre «Liturgia #lugardeencontro»
Set 21@21:00

Lisboa, 16 set 2019 (Ecclesia) – O festival da canção do Patriarcado de Lisboa realiza-se a 21 deste mês, no Externato Marista, às 21h00, naquela cidade, e tem como tema «Liturgia #lugardeencontro».

Esta iniciativa – organizada pelo Serviço da Juventude do Patriarcado de Lisboa – pretende “incentivar a criação poético-musical como expressão da fé cristã; promover a canção cristã como instrumento de evangelização; possibilitar um encontro dos jovens da Diocese de Lisboa com Cristo e entre si”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Uma canção “não vive só da melodia, mas muito da mensagem, da profundidade e do alcance das palavras, da coerência com o tema proposto” por isso, a organização propõe aos autores das letras, que o processo “de criação seja acompanhado por um tempo de oração, de reflexão, de leitura da Palavra de Deus”.

LFS

Set
23
Seg
Lisboa: Curso «A Arte Moderna e a Arte da Igreja» na Capela do Rato
Set 23_Set 28 todo o dia

Lisboa, 19 jul 2019 (Ecclesia) – O Artis – Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras, da Universidade de Lisboa, promove o curso livre ‘A Arte Moderna e a Arte da Igreja’, entre 23 e 28 de setembro, na Capela do Rato.

No programa enviado à Agência ECCLESIA pela Capela do Rato destaca-se a visita guiada à igreja de Moscavide, que tem obras de Manuel Cargaleiro, Lagoa Henriques, José Escada, Madalena Cabral, João de Almeida, pelo arquiteto João Alves da Cunha no último dia da formação, entre as 10h30 e as 12h30 de 28 de setembro.

Em cada um dos dias do curso diferentes oradores vão falar sobre diferentes tópicos, a começar pela “História”, com os coordenadores científicos desta iniciativa Maria João Baptista Neto e João Alves da Cunha, dos “protagonistas”, da “Igreja”, dos “curadores” e dos “artistas”, respetivamente de 23 a 27 de setembro, entre as 18h00 e as 20h00.

As vagas para o curso livre promovido pelo Artis ‘A Arte Moderna e a Arte da Igreja’ são limitadas e as inscrições encerram a 15 de setembro.

A formação toma o título do “expressivo do ensaio” do padre Manuel Mendes Atanázio que foi publicado há 60 anos e assinala também os 50 anos da conclusão do Movimento de Renovação da Arte Religiosa – MRAR.

“Se até ao século XX, a Arte sempre tivera um espaço privilegiado no seio da Igreja Católica, grande mecenas de artistas e programas arrojados, muitas dúvidas e receios ameaçaram, a partir das primeiras décadas de novecentos, essa relação intemporal”, assinala o Instituto de História da Arte.

Na nota recebida a organização recorda também o apelo do Papa Paulo VI aos artistas – “A Igreja tem necessidade de vós” (8 de dezembro de 1965) – e que eles responderam “dando origem a algumas das mais belas obras da história da Arte Moderna e da Arte da Igreja, de todos os tempos”.

CB

Set
25
Qua
Igreja/Sociedade: D. Manuel Clemente no almoço/debate da ACEGE
Set 25@12:30

Lisboa, 19 set 2019 (Ecclesia) – O cardeal patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, vai falar, dia 25 deste mês, na abertura do ano da Associação Cristã de Empresários e Gestores (ACEGE).

Esta iniciativa que abre o ano 2019/20 da ACEGE realiza-se na Igreja de São Nicolau, Lisboa, e tem como tema «Ser Cristo na Empresa», refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Antes do almoço, pelas 12h30, D. Manuel Clemente celebra naquela igreja para os participantes daquela atividade.

LFS

Set
27
Sex
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Set 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Set
28
Sáb
Lisboa: Abertura do ano pastoral do Instituto Diocesano da Formação Cristã
Set 28 todo o dia

Lisboa, 06 set 2019 (Ecclesia) – O Instituto Diocesano da Formação Cristã do Patriarcado de Lisboa realiza, dia 28 de setembro, na Igreja Paroquial de Nossa Senhora do Cabo (Linda-a-velha) o início do ano pastoral 2019/2020.

Na atividade, que começa às 10h00, vão ser apresentadas as atividades do Instituto Diocesano da Formação Cristã para este ano e de seguida vai ser proferida uma conferência sobre «Técnicas e desafios à formação no mundo digital”, lê-se num comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

Esta data coincide com a celebração dos 30 anos da Escola de Leigos, pelo que “será também um dia de festa” e no fim, em parceria com a Paulus Editora, vai ser apresentado o livro «Não eu, mas Deus – biografia espiritual de Carlo Acutis» da autoria do padre Ricardo Figueiredo.

LFS

Out
27
Dom
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Out 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Nov
15
Sex
Lisboa: III Seminário «Escola de Cuidadores» sobre família e políticas sociais
Nov 15 todo o dia

Lisboa, 19 set 2019 (Ecclesia) – O III Seminário «Escola de Cuidadores», do Centro Social Paroquial São Romão de Carnaxide (Lisboa), vai realizar-se a 15 de novembro, no auditório municipal Ruy de Carvalho, e vai abordar a “pedagogia do cuidar” e o tema “família, cuidadores e políticas sociais”.

A iniciativa, decorre das 09h30 às 17h30, da Escola de Cuidadores é um projeto de inovação social do Centro Social Paroquial São Romão de Carnaxide que “procura responder aos desafios do envelhecimento da população, enquanto uma problemática de enorme interesse para toda a sociedade”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

A Escola de Cuidadores aposta numa pedagogia do cuidar através do despertar da consciência da comunidade para a necessidade de pensar, refletir e preparar o envelhecimento, bem como da capacitação das pessoas para os novos e exigentes desafios da longevidade e para a prestação dos cuidados a pessoas dependentes, com especial enfoque nas demências.

LFS

Nov
27
Qua
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Nov 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Dez
27
Sex
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Dez 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]

Jan
27
Seg
Algarve: Diocese dinamiza testemunhos sobre a Jornada Mundial da Juventude 2019
Jan 27@21:00

Faro, 27 fev 2019 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese do Algarve que participaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá começam hoje, um mês depois desse encontro, a dar testemunho dessa vivência num périplo mensal por todas as paróquias.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o ‘Folha do Domingo’ adianta que os participantes algarvios da JMJ 2019 começam “encontros mensais de testemunho” do que foi a sua experiência, um mês após o final do encontro no Panamá.

O primeiro encontro, esta noite, realiza-se na igreja matriz da Paróquia de Vila Real de Santo António, e o jornal diocesano  indica que os encontros vão realizar-se mensalmente, sempre no dia 27, pelas 21h00, até de janeiro de 2020.

O próximo encontro é Olhão (abril), Faro (maio), Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), e terminam com um encontro diocesano na Sé de Faro (janeiro 2020).

Os encontros mensais vão ter um momento de ambientação, uma catequese sobre um tema da Doutrina Social da Igreja, um testemunho de um participante na JMJ e por um momento de oração, baseado na vida de um dos oito santos patronos da JMJ, com adoração ao Santíssimo Sacramento.

A JMJ realizou-se pela primeira vez na América Central, mais concretamente na Cidade do Panamá, onde estiveram 25 jovens do Algarve, onde também se contava um casal, de nove paroquias – Silves (9), Paderne (4), Quarteira (3), São Pedro de Faro (2), Ferreiras (3), Portimão (1), Tavira (1), Loulé (1) e Olhão (1) – para além do assistente do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil, o padre Nelson Rodrigues, e mais dois sacerdotes, Tiago Veríssimo, pároco de Monchique, e Adelino Ferreira, pároco de Vila Real de Santo António.

O jornal ‘Folha do Domingo’ realça ainda que todos os participantes já deram testemunho da JMJ 2019 em Eucaristias nas suas paróquias de origem após o regresso do Panamá.

‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’ foi o tema do 34.º encontro mundial de jovens que terminou há um mês, a 27 de janeiro, e foi presidido pelo Papa Francisco.

Na Missa de encerramento do encontro foi anunciado que a próxima edição internacional realiza-se em Portugal, mais concretamente no Patriarcado de Lisboa, em 2022.

Estiveram no Panamá, 300 portugueses de 12 dioceses e de seis congregações e movimentos, seis bispos e 30 voluntários.

As JMJ nasceram por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude; são um acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

CB

[Notícia atualizada a 1 de março]