Calendário

[wcp-carousel id=”90845″]

Nov
16
Sáb
Leiria-Fátima: Diocese convida a conhecer Seminário em «Dia Aberto»
Nov 16@15:30_Nov 17@17:30

«As portas do Seminário estão abertas para ti! Queres vir?»

Foto: Diocese Leiria-Fátima

Leiria, 04 nov 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Leiria-Fátima convida “de forma especial” os adolescentes do 9º e 10º ano para a nova edição do ‘Seminário em Dia Aberto’, nos dias 16 e 17 de novembro.

“É uma oportunidade para conhecer a casa, a instituição, os sacerdotes e seminaristas e, acima de tudo, aprofundar a beleza da vocação sacerdotal”, assinala a diocese na informação enviada à Agência ECCLESIA.

O acolhimento começa às 17h30, de dia 16, depois há um tempo de aprofundamento do lema “Cristo pensa no que podes vir a ser” (cf CV 279) e após o jantar participam numa vigília de oração/shemá e terminam o dia com um serão de convívio e partilha.

No dia seguinte, domingo, os adolescentes participam nas atividades do dia aberto com todos os grupos de catequese – do 3º ao 10º ano – grupos de jovens, membros dos movimentos, famílias, entre outros – a partir das 09h30; Do programa constam ateliês sobre a temática vocacional e Missa às 12h30, almoço partilhado e convívio, até às 15h30.

A Diocese de Leiria-Fátima, que está a viver um biénio dedicado aos jovens, informa que a inscrição “é obrigatória” até dia 10 de novembro, através de um formulário online e para qualquer dúvida têm um email (fo.seminario@gmail.com) e o número 244832760.

A 5ª edição do ‘Seminário em Dia Aberto’, a 16 e 17 de novembro, realiza-se no final da Semana de Oração pelos Seminários 2019, que começa no próximo dia 10 com o tema ‘Cristo não pensa apenas naquilo que tu és mas naquilo que poderás chegar a ser’, inspirado na Exortação Apostólica Pós-Sinodal ‘Christus Vivit’.

CB

Nov
17
Dom
Leiria: Cáritas diocesana promove caminhada solidária
Nov 17@10:00

Leiria, 14 nov 2019 (Ecclesia) – A Cáritas da Diocese de Leiria promove, dia 17 deste mês, uma caminhada solidária cujas receitas provenientes destinam-se ao apoio na dinamização dos projetos sociais desenvolvidos pela instituição.

O ponto de partida, pelas 10h00, é no Mercado Santana, e os participantes vão percorrer 07km por vários pontos da cidade de Leiria, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

“Conscientes da importância da promoção do exercício físico”, esta iniciativa pretende “sensibilizar a população para hábitos de vida mais saudáveis”, realça o comunicado.

Esta iniciativa tem, este ano, como madrinha a atleta leiriense Evelise Veiga.

LFS

Dez
1
Dom
Beja: Diocese vai celebrar 250 anos da sua restauração
Dez 1 todo o dia

Programa das comemorações é apresentado esta quarta-feira, 10 de julho

Beja, 08 jul 2019 (Ecclesia) – A diocese de Beja prepara-se para a celebração dos 250 anos da sua restauração, reconhecendo uma “história difícil e dramática” mas que importa assinalar junto do povo que “deseja e precisa da mãe Igreja”.

“A Igreja sempre foi mãe, neste novo contexto sublinha a dimensão da maternidade, porque as pessoas no fundo, desejam e precisam dessa maternidade. Estas festividades poderão ajudar nesse sentido”, explica à Agência ECCLESIA D. João Marcos, bispo diocesano desde 2016, que fará a apresentação pública das comemorações na tarde do dia 10.

“Estamos num tempo novo, de término e início de outras. Vamos devagarinho, mas há vida, há festa”, sublinha, recordando uma nota escrita aos diocesanos onde convida “diocesanos e não diocesanos” para um programa de celebração, com início marcado para 1 de dezembro e encerramento a 22 de novembro de 2020.

Para contar a história da diocese estará patente uma exposição, na pousada de São Francisco, desde 1 de março a 9 de maio, que será objeto de visita dos seis arciprestados de Beja.

A par da exposição, estão previstas conferências com convidados que falarão da história mas também do futuro da diocese, a última a cargo do Arcebispo de Évora, D. Senra Coelho, sobre «Como olhar hoje e que lição tirar dos fatores e circunstâncias culturais, sociais, políticas e religiosas explicativas da descristianização do Alentejo no passado?»

Reconhece D. João Marcos a raiz católica de muitos diocesanos mas, afirma, “a semente não germinou”.

“A maioria das pessoas reconhece-se católica e foi batizada, apesar de essa semente não ter germinado. Esse é o problema deste Portugal que temos hoje, dos católicos portugueses que somos e desta diocese”, lamenta.

O bispo titular desde 2016 acredita que conhecer a história da diocese irá ajudar os cristãos a um relacionamento e prática mais assídua, contando para isso com a publicação, “em setembro”, de um livro da autoria do padre Luís Taborda, pároco de Castro Verde, e o cónego António Aparício.

O próximo ano vai ainda ser marcado pela oração.

“A diocese é convidada a praticar a oração: nas laudes, vésperas, antes das refeições, orações em família. Vemos que o ir à missa é o único momento de oração dos que praticam e é muito pouco”, lamento o responsável.

Numa carta dirigida aos diocesanos, D. João Marcos aponta a diocese como um terreno a ser “semeado”.

“A diocese é hoje um grande terreno que precisa de ser lavrado e semeado para produzir uma seara nova. Estas festas dos 250 anos da restauração da diocese deverão marcar o início desse tempo novo”, afirma.

LS