Vaticano: Mordomo de Bento XVI vai ser interrogado na próxima semana

Paolo Gabriele, acusado de roubar documentos reservados do Papa, permanece na prisão

Cidade do Vaticano, 01 jun 2012 (Ecclesia) – O porta-voz do Vaticano anunciou que o homem acusado de roubar documentos pertencentes ao Papa vai ser interrogado na próxima semana.

Paolo Gabriele, assistente de Bento XVI, foi detido a 23 de maio, suspeitando-se que seja o autor de fugas de informação no Vaticano, conhecidas por ‘Vatileaks’, que deram origem à divulgação pública de dados reservados.

Segundo o padre Lombardi, diretor da sala de imprensa da Santa Sé, o suspeito vai ser ouvido após a conclusão da instrução sumária, dando início à fase formal do procedimento judicial, na qual vão ser tidos em conta os vários materiais descobertos na casa do inquirido.

Os advogados de Gabriele pediram liberdade condicional ou prisão domiciliária para o seu cliente, mas, de acordo com o porta-voz do Vaticano, o mordomo vai permanecer na prisão até ao início da fase forma do inquérito.

O padre Federico Lombardi negou, por outro lado, que na casa do antigo mordomo do Papa tivessem sido encontrados pacotes de documentação prontos para serem enviados a destinatários específicos.

A este respeito, o diretor da sala de imprensa da Santa Sé sublinhou que a investigação sobre os atos criminosos está a ser levada a cabo pela polícia e os magistrados do Vaticano, sem confusão com o inquérito coordenado por uma comissão de cardeais nomeada, para o efeito, por Bento XVI.

Na última quarta-feira, o Papa confessou “tristeza” perante os recentes acontecimentos envolvendo o seu colaborador, lamentando as “ilações, amplificadas por alguns meios de comunicação, totalmente gratuitas e que vão muito para lá dos factos, oferecendo uma imagem da Santa Sé que não corresponde pela realidade”.

RV/OC

Internacional | Agência Ecclesia | 2012-06-01 | 15:23:17

© 2009 Agência Ecclesia. Todos os direitos reservados - agencia@ecclesia.pt